Sexo (bom) acontece

10.04.2015 -


A cada 21 dias, Socorro me dá dois beijinhos, pergunta se tou boa, me vê assiste ensaiar caretas de dor, ais e uis, totalmente nua em sua maca de moça que depila. Acabo sempre amiga das depiladoras que deixo em cada cidade: por que não juntar a intimidade do nu com a dos dias, enquanto fingimos que ela não consegue dissecar mentalmente quanto tenho de celulite e eu esqueço que alguém mais sabe que, se deixar ao natural, tenho monocelha.

Já íntimas, a alagoana sempre expeliu em mim, além do óleo de aloe vera pós-cera, uma sorte cósmica. Um dia antes do meu aniversário, adivinhou que seria chamada para o meu atual emprego. Uns tempos depois, também profeciou um boy novo na área. E outro. A cada pisada na estética da Artur de Azevedo, vão-se os pelos, fica em mim uma aura higiênica, apropriada, assertiva.

Esse mês, um pouco por falta de tempo, outro tanto pelo rolê chega-de-caras-tô-cansada-vou-me-preservar-e-focar-em-ganhar-alguma-grana, não deixei meus ricos dinheiros na maquininha de débito de Socorro. Também não escutei suas ótimas projeções para o meu futuro próximo. Entretanto, eu que já me conformava em ficar até a primeira semana de outubro sem transar, transei. E, ainda que com a depilação vencida e nos últimos dias dos assinalados em vermelho de setembro, dá pra dizer que: foi bem bom.

Tudo isso pra dizer que: sexo (bom), acontece. Eu era dessas que remarcava pra outro dia o timing capilar do meu corpo não colaborasse. E que evitava, à todo custo, ir pra cama se tivesse num dos primeiros ou últimos dias de menstruação. Devo ter perdido caras incríveis, bons sexos e possíveis parceiros pelo caminho? Sim, é bem provável. Depois de uma noite regada a álcool, um pouco confusa, mas cheia de tesão liberado, consigo dizer que me sinto um pouco mais livre desses tabus engolidos pela sociedade.

É bizarro o quanto a gente complica uma equação que é, na real, absurdamente simples: você tá com muito tesão e o cara também? O resultado dessa soma dificilmente vai ser negativo - claro, há fatores que podem diminuir essa maravilhosidade, como nervosismo, a quantidade de bebida ingerida, o cansaço de cada um. Eliminados esses ingredientes negativos, só libido, adrenalina, suor, êxtase. Mesmo em dia impróprio, ainda que sem calcinha da sorte e hidratante no corpo.

Nos próximos dias, um dos horários já marcados com Socorro é meu - gosto de sentir a cera queimando o limpinho no banho mais tarde. Porém: ando tão leve ando por aí após essa desconstrução de mim mesma que os pelos podem se ir, uma nova benção mensal chegar: que dádiva divina essa de ser mulher e cada vez mais livre, perdoar o próprio corpo e adquirir fluência pra entender os acasos. 

Ainda semana passada, uma das meninas com quem divido apartamento contou, um misto de estranheza com admiração sobre uma moça que não raspava as axilas e tinha dois maridos. Por mais que tenha certeza que continuarei a prolongar o prazer dos quase quinze dias em se sentir lisinha: libido é tão mais simples do que a gente arquiteta; eu entendo, eu acredito.


1 Comentários:

  1. Eu "love", eu louvo! Don't Stop, Camila... more, more, again, mais uma vez e de novo!

    ResponderExcluir