Conversas afiadas: Joga fora no lixo

10.02.2013 -

- Eu sei que é terrível aceitar e só, sabe. Eu sei. Mas porra, supera de uma vez e pronto. Vai despirocar um pouco, vive.
- Porra, eu também sei. Só que não tá dando. Não tá rolando. Tu sabe que eu insisto por pura teimosia em consertar aquilo que nem ao menos brilha mais, né? É doentio.
- Sei. E assim tu sofre, e assim tu segue.
- Refleti esses dias. Descobri o meu problema. A minha grande falha tá em não saber perder. Cara, perder é o que me mata. Uma aposta, um jogo de futebol, aquele par de sapatos únicos do nosso número na loja quando vai comprar no dia seguinte e já foi vendido.
- Mas, sei lá, muito dizem por aí que a gente perde coisas meia-boca que julgávamos maravilhas pra poder "ganhar" algo melhor em troca. Essas autoajudas de Facebook, tu sabe.
- Colocar fora pra mim é um pecado. Odeio perder dinheiro, odeio perder festa boa, odeio perder promoção. A única coisa que não odeio perder é peso.
- E boy lixo, pelo visto. Aceite, perde e olhe pra frente de uma vez.
- Sabe, é a reciclagem. Não se sabe se um dia vai ser preciso reaproveitar um dia, oras. Acho todos sempre vintage.
- Compra novo e sem lembranças que cheirem a mofo, se foi pro lixo é porque dificilmente quis ser reutilizável. Joga fora no lixo, gata.
- Dessa vez, pro seco.

1 Comentários: