Vocês, homens, adúlteros

10.09.2012 -

Minha fé nas relações humanas decai um pouquinho toda vez que acabo sabendo que, um cara que eu no alto da minha ingenuidade, trai. Tem acontecido toda semana. Já houve bombardeios diários escutando que eu deveria ser corna já e nem saber (sim) e que isso é "coisa de macho" (ui). Desculpa mas, sim, sou uma afetada pelos amores alheios, e como observadora também, acho simples perceber onde tem amor e onde não (ou somente ACHO, como escrevi, que sei das coisas). É um familiar, é um amigo, são todos os colegas dos antigos trabalhos, o rapaz que eu nunca vi mas que uma colega comenta que já saiu com o sujeito, comprometido. Ou foi o cara que namorava uma amiga e chegou em mim, o menino que eu vi uma vez na vida e ia casar com uma prima, o moloque que aproveita a deixa do banheiro na balada pra atacar menininha solteira, enquanto a coitada espera tomando um drink. É oficial: homens traem. Se não todos em algum dado período da vida, uma gorda parcela dos indivíduos que contém cromossomos XY.

Ao mesmo tempo, tenho uma porção de amigas em um relacionamento sério - a maioria - e não sei de ao menos um caso extra a relação conhecida. Nenhuminha. E mulher fala. Não aguenta a língua, coça as palavras antes de expelir em tom de segredo (pra mais de uma, quase sempre), porque mulher é bicho burro e se esquece às vezes que aquela querida super confiável tem outra guriaaaa super crível e geralmente é assim que a raça feminina descobre ser corna: "a outra" vai lá e fala pra uma. Que conta pra colega de trabalho, que espalha pra um grupinho, chega até um desafeto - desses que faz questão de falar para quem sabe que pode transmitir o chifre até a propriamente dita, corna. Em cidades maiores isso demora mais pra acontecer, claro, mas basta ter menos de 2 milhões de habitantes pra se saber em questão de dias. Ou, no máximo, semanas. Choro desesperado de um lado, felicidade bamba do outro e o cara geralmente fica solteiro, sem uma (a traída) e raramente com a cúmplice do ato falho.

Mulheres traem? Há as que sim, óbvio. Porém, eu realmente desconheço. Nunca uma amiga chegou e disse "porra, trai meu namorado". De novo: nunquinha. Se fazem, deve ser muito bem feito - e escondido. Não venho defender o lado feminista da causa, ainda mais com o crescente números de periguetes e vadias tentando destruir namoro alheio. Eu sei, você sabe e a gente concorda: o moço tem que ser muito firme hoje pra não pular pro outro lado da cerca. Saber desses "machões" por perto é que dá agonia de soltar a mão e deixar livre pra ver se eles voltam nos dias de hoje. É, infelizmente, ter a confiança questionada, apesar das certezas e da felicidade à dois - e quase sempre é sem escolha, a gente acredita no que vive e no amor que recebe, mas cada dia é um baque novo em saber que os homens por aí, com quem eu falo diariamente, rio de vez em quando, ou apenas passo por na rua são frouxos a ponto de perder a racionalidade de magoar quem "amam".

Escrevi tudo isso para realmente dizer: meninos, PAREM de trair. Segurem o "instinto" (a meu ver, desculpa furada), freiem os impulsos, pensem ao invés de só agir, agir e metralhar os corações românticos que a gente tanto desenha na última folha do caderno. Não, eu não fui traída pra estar vir aqui e redigir esse desabafo todo (que eu saiba). É só o efeito do choque diário porque é demais pra minha cabeça, e pra de tantas outras, ser chifruda. Ou, talvez nem seja tanto drama assim. Tem quem afirme que só é traído aquele que tem conhecimento do adultério, o que até faz sentindo. Agora, pra mim, o que não faz a menor lógica é continuar junto infeliz e procurar fora do namoro o que tem faltado. Se justifica ou não, se é feio ou simples falta de lógica compaixão, sei lá eu: acaba, cada. Deixa a criatura ser feliz com quem pode amar ela decentemente, como merece. Pensa bem antes de abrir a calça, enviar SMS, atiçar mulher que quer só um desafio. Nossas neuras não descansam, mas agradecem.

8 Comentários:

  1. De novo, como sempre, disse tudo! Tudinho!
    Beijos guria :)

    ResponderExcluir
  2. Já ouvi a desculpa do ''procurar fora do namoro o que tem faltado'', o que é bem estupido, visto que um dos fatores mais importantes de um relacionamento é a comunicação, se nenhum dos dois conseguem se comunicar e não fazem nada pra isso mudar, que terminem e sigam com suas vidas.Pois pra mim não tem nada mais baixo e repugnante que traição.Se você ama, converse e faça de tudo para que você e o seu parceiro(a) se sinta bem, simples.Porque por mais que você traia e volte a namorar com a pessoa, a confiança nunca mais será a mesma.

    ResponderExcluir
  3. Traição não é o ato em si, é pensar em praticar, já. Antes uma traição que sacia, do que um desejo que atormenta. Importante mesmo é o sentimento. Desejar outra pessoa não indica nada além disso. E mulheres traem sim, e muito! Aliás, há recentes pesquisas que indicam ser em maior número do que os próprios homens. Neuras demais, cobranças demais, tudo demais é que permite que o outro pense que a grama daquele outro lado da rua é mais verde.

    ResponderExcluir
  4. "Não venho defender o lado feminista da causa, ainda mais com o crescente números de periguetes e vadias tentando destruir namoro alheio. Eu sei, você sabe e a gente concorda: o moço tem que ser muito firme hoje pra não pular pro outro lado da cerca."
    Camila, admiro tanto teus textos. Por isso mesmo, venho te pedir que não descambes (de inteligente que noto que és) para o caminho comum e fácil das mulheres: achar que se os homens traem, é porque "periguetes" e "vadias" deram em cima. Aliás, a extrema maioria dos homens comprometidos que conheço deram em cima de outras mulheres, e não o contrário. Ainda existe, E MUITO, esta mania de as mulheres condenarem umas às outras, de quando descobrem uma traição ficarem putas com a guria que o namorado pegou, e não o contrário, o que me parece BEM absurdo.
    Ora, o namorado não é seu? Ele é compromissado. ELE deve satisfações à você. Ou por acaso vocês vêem homens reclamando dos caras que passam cantadas em vocês? Na rua, no trabalho... Não. Sabe por que? Porque a responsabilidade é DE QUEM TEM COMPROMISSO E TRAI, e não de quem é solteiro e dá em cima. Ninguém obriga o cara a trair, gente, pensem. Ninguém coloca uma arma na cara dele e obriga.
    Talvez as mulheres devam ser menos competitivas entre si, menos machocentristas (meu homem está sendo assediado por vadias, etc) e comecem a realmente querer priorizar o seu desenvolvimento como mulher ao invés de querer buscar desculpas para o namorado que cedeu à cantada de outra (e repito, muitas vezes são ELES que dão em cima, Cinderelas) para poder continuar com o namoro acreditando que tudo está muito bem. Homens não traem mais ou menos do que mulheres por "natureza". Isto não existe. Isto é uma desculpa das mais esfarrapadas e que vocês só cairão se quiserem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito teu comentário! quem tem o compromisso é quem deve mantê-lo! parabéns!

      Excluir
  5. quero deixar aqui uma dica de leitura interessante, que talvez nos comentários seja repudiada devido ao conteúdo "politicamente incorreto", mas tenho certeza que deixará muitas pessoas que lerem com a pulguinha atrás da orelha, e essa é minha intenção.
    http://revistatpm.uol.com.br/revista/124/paginas-vermelhas/regina-navarro-lins.html

    ResponderExcluir
  6. "É, infelizmente, ter a confiança questionada, apesar das certezas e da felicidade à dois - e quase sempre é sem escolha, a gente acredita no que vive e no amor que recebe, mas cada dia é um baque novo em saber que os homens por aí, com quem eu falo diariamente, rio de vez em quando, ou apenas passo por na rua são frouxos a ponto de perder a racionalidade de magoar quem "amam".

    Nossas neuras não descansam, mas agradecem."

    PERFEITO! Se precisa de algo fora, assim como tu disse, acaba. Simples e menos injusto. Baita texto, Camila!

    ResponderExcluir