A insustentável leveza de um chocolate depois do almoço

9.16.2012 -

Desenvolvi o péssimo hábito de acreditar que "faz bem" pro coração uma sobremesa depois da segunda principal refeição do dia. Tal como qualquer substância ilícita, mal sabiam eu e minha propensão ao vício de que a vida ficaria tão mais infeliz sem um pouco de açúcar, cacau e gordura hidrogenada correndo pelas veias. Já passei da fase em que as espinhas pipocavam assim que eu degustasse proibidas e calóricas guloseimas, o que me faz comer sem medo de ter a cara infestada de pontos vermelhos como se não houvesse amanhã. O que pesa mesmo é a consciência depois que a boca cede e deixa triturar, deliciar e engolir dopamina com sabor meio amargo, branco ou

Nem eu mesmo sei qual a motivação que me faz desembolsar diariamente alguns reais a caminho do trabalho, logo depois de um prato de comida. Depois do hedonismo saciado, é apenas culpa e uma sensação de engorde lenta a que eu me submeto pelos minutos em que o chocolate derrete na boca e impregna a alma, doce doce doce que me deixou. Em semana de TPM, vejo aumentada essa sensação de dependência e mais do que precisar, necessito das propriedades que desconheço mas que fazem tão bem quanto um SMS inesperado logo de manhã, depois de acordar. Difícil tirar meu bom humor do rosto depois de ingerida minha dose diária de felicidade.

Chocólatra: me assumo. Sei que não é sadio, e desejo urgente criar uma campanha que policie a mim mesma manter distância, continuar caminhando e não abrir a carteira nos mercadinhos dos arredores por um pouco de prazer momentâneo (e sentimento de menos valia tardio). Já houve a fase do café, que passou, no entanto a cafeína parece ter uma força absurda em mim, uma dependente. Mesmo já naturalmente agitada, a produção se torna melhor no trabalho, sorrisos nascem sem predisposição ou horário marcado, a sensação de bem estar vence rapidamente o arrependimento: entregue à serotonina e à insustentável que um chocolate, mesmo que pequenininho e de todo santo dia tem no peso da mente (e do corpo, sim).

Companheiros e companheiras que também não conseguem resistir a um docinho depois do almoço: uni-vos! Proponho trocar a vontade, assim que aparecer, por uma copo de água, uma fruta, ou pensar naquele biquíninho que merece ser vestido no verão. Procurar academia, tomar algumas cápsulas que inibam o apetite ou façam desaparecer essa malefício, que comecemos já o combate ao que pode nos trazer mais celulite, gordura localizada e infelicidade a longo prazo. Dedo lambido é coisa do passado, a moda agora é: mente sã e corpo mais ainda.

6 Comentários:

  1. Segunda a gente começa.. haha adorei o texto!

    ResponderExcluir
  2. "Tamo junto" hahaha Muito bom! :D

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto, afinal, não dispenso um chocolatinho depois do almoço. Hahaha. ♥

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela renovação do blog. Está lindo!
    Um beijo <3

    reflexoesdeletrasepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O chocolate é bom a qualquer hora ;)
    Beijinhos,
    http://as-palavras-sonhadas.blogspot.pt/ (gostava que visses para saber a tua opiniao)

    ResponderExcluir