Eu quero a sorte desse amor tranquilo

5.06.2012 -

Precisar de paz é não precisar de muito: uma tarde praticamente vazia, gasta em descansar sob as horas e florir sorrisos, apertar abraçando, ficar compressos, quietinhos com aquele papo de o que você quer fazer? Ah, o que te fizer feliz. Dormir uma horinha no sol, dar uma volta de carro e vidro aberto, redescobrir a força do seu cabelo enquanto o toque é muito mais cafuné que perícia. Repousar as malucas das minhas ideias no colo de quem acha tudo muito bonitinho enquanto falo em parar depois que o chocolate penetra no organismo e eu vasculho as novidades do mundo pelo computador enquanto você assiste televisão. Essa é a sorte do nosso amor, tranquilo, fazendo tanto eu, pessoa energética ver o quanto é bom esses tempos de paz onde, burra e inadaptável, corria atrás de mudanças - desnecessárias.

Ou lavar uma louça em água morna enquanto você acende a lareira, maratona de filmes, alimentar os peixes, silêncio sadio enquanto leio e ele dirige: tudo pacifismo puro onde antes a minha mania impetuosa doente via problemas, o meu estado de espírito irrequieto complicava sem cerimônia, pudor, pedido; agia sem uma fagulha de pensamento durável, o desejo de permanecer no embalo da rede, matando a sede na saliva. Sorrir sem cansar e, ao se dar conta, ver no sorriso do outro a única figurinha repetida que a gente não cansa de arquivar na coleção. Viver de bandeira branca amarrada no peito, muito melhor acordar sem caber no espaço de tempo que passamos juntos espaço para mau humor, chatices já conhecidas e melindres totalmente desnecessários. Rir com as imitações ao telefone, agora gostar dos antes tão detestáveis domingos, quase voar quando junto, tamanha a leveza que com erros, ganhos, situações e a mesma vontade de que não quebre nunca e dure pra sempre (ampliada, gigantesca, gritante) de sempre fizeram chegar até a parte mais doce e segura, até então.

De olhar a vista nebulosa do friozinho da noite e lembrar momentos de um passado ainda próximo, e gargalhar um pouco, se proteger do sereno e fazer a dancinha. Ser pão, comida e todo o amor de uma vida enquanto durar, conseguir ultrapassar árduo do inferno até chegar a esse céu de alguns dias - assim, limpinho e azul, sem ventos que nos enrolem as ações, nem o frio de palavras impensadas, atitudes intempestivas. De um colorido tão clarinho que nos ilumina e do tanto de bem que tem, nos faz querer ser pessoas cada vez melhores. Porque é dessa calma aguda que preciso sempre, de pés de meia que roçam e esquentam os meus, da fortaleza de sossego que são dois braços fortes que me envolvem, sólidos. Serenos. Tranquilos. Felizes.

16 Comentários:

  1. Lindeza..é o que eu chamo de ter e sentir o prazer de fazer até o "nada" juntos. Cada um no seu cantinho, mas os olhares se cruzando ali do ladinho. Ai como é bom viu. Que a vida me faça sentir isso de novo por alguém. e que a espera do momento, valha super a pena no futuro.

    ResponderExcluir
  2. É exatamente assim que eu venho me sentindo, nunca imaginei aquela tal "sorriso bobo" com alguém, mas hoje já é natural e é bom, a vida fica mais leve, o peso que sentia antes quase não existe, pq fica mais fácil quando se tem alguém do lado, até porque é melhor ser dois do que um e sem falar na paz que a gente sente.

    Como sempre escrevendo o que a gente sente e muitas vezes não temos coragem ou tempo de colocar em um papel...Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  3. E o amor é assim mesmo, trás essa paz que tanto precisamos e que você tanto merece!
    Lindo texto!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ai que encanto Camila! É assim mesmo que a gente se sente, quando o coração aquieta e tem um lugar pra no colo do outro pra descansar da vida frenética. Com sabor de fruto mordida!
    Lindo, lindo, lindo de mais!

    ResponderExcluir
  5. Wélida,

    Guria, com certeza e quando tu menos esperar, vai aparecer alguém que, pode não ser perfeito pra ti, mas vai te fazer feliz, livre, completa. E isso que é bom. Obrigada, e boa sorte!

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  6. Isadora,

    É bom mesmo, né? A gente se sente tão bem. Claro que pintam uns momentos de loucura e caos, mas passa, que bom que passa hahaha e a gente volta a encostar a cabeça no ombro e ver que o mundo volta a girar devagarinho. Obrigada pelo carinho, beijocas!

    ResponderExcluir
  7. Ariana,

    Todos merecemos, né? Um dia ela nos chega, de mansinho assim, pra não assustar e ir nos tomando conta. Obrigada, um beijão!

    ResponderExcluir
  8. Aninha,

    É um pouco magia ir indo assim no embalo do outro, e de repente, se ver tão e tão feliz com o que se construiu até então. Bonito, né? E nos faz um bem danado, não só pra pele, corpo, assim como pra mente! Um beijo, guria!

    ResponderExcluir
  9. "(...)todo o amor de uma vida enquanto durar(...)"
    Lindo texto, Camila! Vivo "suspirando" aqui no blog... Desejo muito sucesso, você merece! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Senti sua tranquilidade e amor daqui!
    Tô vivendo um momento parecido..mas um amor diferente..
    "todo o amor de uma vida enquanto durar..." traduz bem meu momento.
    Tava precisando de dar uma passada por aqui pra me tranquilizar um pouquinho..como te disse, pós-tpm existe, e não estou num bom momento. rs
    Adoro ler o que escreve, você passa um sentimento tão bom, impossível não se sentir bem aqui!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Que amor lindo! Pra ser amor não precisa de grandes aventuras, qualquer rotina agrada. Eu também quero a sorte de um amor tranquilo, um amor pra curtir em paz. É nos momentos mais simples, que nós reconhecemos os maiores amores.

    beijo.

    ResponderExcluir
  12. Lorena Belo,

    Muito obrigada pelo carinho, guria. Coisa boa saber que tu andas suspirando por aqui e resolveu deixar um comentário, viu? Sempre dádiva :)
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  13. Natalie,

    Ah, existem mesmo amores e amores, né? O bom é que a gente agregue o melhor de cada um aprenda, traga pro nosso dia a dia. Acho que a tranquilidade vem aos poucos também. Acredita que nem na TPM consegui perde-la? Espero que permaneça assim por tempos e tempos. É o que mais quero. Boa sorte nesse amor bonito pra ti também!
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  14. J.D.,

    Concordo contigo, guria. Grandes demonstrações nos aceleram o peito, mas passam tão rapidamente, né? Bom é ir vivendo devagarinho o amor, desfrutar cada pedacinho, ir aos poucos. Pressa pra que?
    Beijoca e obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  15. Pleonasmos a parte, deixo aqui meu suspiro. haha, lindo, lindo !

    ResponderExcluir
  16. Que lindo guria, lindo mesmo. E te desejo mais e mais desse amor tranquilo que te faz feliz sem dó alguma. Amor esse que resulta em textos lindos como esse. beijoca

    ResponderExcluir