Cuidado: frágil

5.01.2012 -


Diz ao lado de caixas, mas poderia vir escrito no peito de cada um de nós: cuidado, é frágil. O vermelho vivo das letras retratando toda a nossa urgência em viver, sendo também a mais bonita estampa possível daquilo tudo que - internamente - tanto nos incomoda. Fugaz demais a felicidade que um olhar feio, uma atitude brusca, um atraso, mensagem nunca antes nem mesmo imaginada por nossa fértil mente. Andar nas pontas dos pés, mover atitudes e palavras com cuidado e zelo, porque a vida só é grande de tanto que, simultaneamente, é leviana.

Somos frágeis e precisamos de doses regadas de abraços apertados, beijos em canto da boca, ver o sol, a rua, ao menos uma vez o dia. Elogiar sempre que estiver saindo na ponta da língua uma possível felicidade do outro, pensar no bom e fazer o bem: lembrar de tratar com cuidado quem a nós é caro para não quebrar, mesmo quando a raiva ativa o sinal vermelho. Um carinho nos fortalece tanto, pessoas boas presentes na vida são também flores que brotam em meio ao concreto - necessitam de um pouquinho de atenção, morrem da indiferença e no esquecimento, atropeladas pela pressa, estresse cotidiano, as tentações maléficas e invejosas por aí a solta.

Pouquíssimo tem a ver a força que a gente aparenta, o tanto que se esforça, o poder que ostenta, a autoconfiança tão falsamente estampada. Por dentro, mil e uma desconfianças, desilusões, problemas que cada um carrega no íntimo. Impossível prever as quedas, os estragos, as cicatrizes e até onde dói cada ferida que nem mesmo sabe existir por trás dos dentes salientes e conversas descontraídas. A porcelana de todos nós, enfeitada sempre de pinturas rebuscadas e cores vibrantes, mostra arranha com facilidade e quebra a cara, os sonhos, e ideais quase sempre, como o estourar de um balão, o soprar do vento num anjinho do campo, uma hora depois no mesmo dia: em segundos, noutro trânsito dessas curvas e vias da vida humana.

Humor bipolar, pouso de borboleta, o passar apressado das nuvens: tudo transitório, assim como as pessoas na nossa vida, as tantas vestes de nossos humores, elevadas e baixas temperaturas dentro do cotidiano. Tem que se guardar na malinha que a gente é mas não reconhece mesmo, porque nem sempre ser exatamente como gostaríamos é o recomendável pro momento. O coração em melhor estado num potinho, bem guardado pelos milhares de anos que o vidro demora a se decompor com a pressa que a gente passa por aí. Embalados em plástico bolha, levados com delicadeza até o altar dos sentimentos. Cuidado: somos frágeis.

21 Comentários:

  1. Camila, ultimamente estou ficando impressionado com seus textos. São realmente ótimos. Minha namorada sempre comenta sobre vc, e aos poucos to pegando o hábito de ler novamente com ela, lendo seus textos.. hehe
    Se bem que vc deve conhecer ela, rs
    Jackelline Marcelino.
    Curto muito seus textos, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito como sempre os seus textos. Mostra o quanto as vezes parecemos uma rocha por fora, mas por dentro estamos nos desmanchando, afinal, ninguém é de ferro e a sensibilidade fala mais alto, sempre. Eu mesma posso transparecer forte e confiante mas tenho muitas fraquezas, ainda se for em questões do coração!

    ResponderExcluir
  3. Bonito casal 20: muito, muito obrigada pelas palavras de incentivo. Todos somos muito frágeis por dentro, mas gostamos de mostrar que possuímos alguma força sim, né? A verdade é que, se tratarmos todo mundo com delicadeza, não receberemos menos em troca :)
    Obrigada pelos comentários!
    Um beijão

    ResponderExcluir
  4. Que lindo :( Também me sinto tão frágil.. E já enchi os olhos de lágrimas lendo, porque vamos combinar, na tpm nos sentimos mais frágeis ainda. hehe! Beijosss

    ResponderExcluir
  5. TPM feelings fica difícil controlar, né? hahahaha ficamos mais sensíveis ainda, Catherine! Um beijão

    ResponderExcluir
  6. Lindo, Camila! Acompanho o Calmila há um ano, e acho que o nível dos teus textos só vem aumentando.. Eu considero a escrita uma das mais belas artes, e aprecio MUITO quando as pessoas sabem usar as palavras pra se expressar de um jeito tão sincero como você faz. Quero muito te agradecer por tocar meus sentimentos em cada um dos teus textos com os quais me identifico. LINDO trabalho, e obrigada mais uma vez! (:

    ResponderExcluir
  7. Ai, que fofa! De verdade, posso super agradecer também? Escrever é a forma que eu encontrei de me achar com vocês por aí, e ler isso é maravilhoso, gratificante. Obrigada pelo enorme carinho, Natália! Espero continuar te agradando, sempre.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  8. Eu sou a fragilidade em pessoa, qualquer coisinha desabo.
    Lindo texto Camila!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Ariana, obrigada pelo comentário! Pois somos duas então! hehehehe sensibilidade é meu terceiro sobrenome. Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Lindo texto Camila!É a primeira vez que comento um texto seu, mas já acompanho teu blog a um tempinho! Confesso que não faço o tipo romântica, mas a cada texto teu que leio me vejo mas aberta e com uma vontade de achar alguém que me faça sentir todos esses sentimentos que tu descreve com uma facilidade e uma maestria incrível! ;). Bom e que mulher não carrega dentro de si essa tal fragilidade, essa necessidade que alguém nós torne menos frágeis e mas fortes para podermos enfrentar toda essa jornada! (:

    ResponderExcluir
  12. Acho que essa é a verdadeira imagem que temos intimamente, hoje em dia é tão fácil se denominar forte em tantos aspectos, mas no fundo todo mundo guarda um pouco (ou muito) de fragilidade, costumo dizer sempre que não existem pessoas inteiramente fortes, existem pessoas que fingem ser fortes por completo, mas que na verdade pecam por não serem capazes de assumir o que não é vergonha nenhuma: somos frágeis desde sempre.
    Adorei o texto! Lindo como todos os outros Camila! Beijos

    http://dramasxdamas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Renata,

    Também já fui mais durona, mas acho que o amor vai nos rendendo, nos fazendo mais sensíveis e, românticas mesmo! hahahaha se torna ao mesmo tempo nossa fraqueza e nossa maior força. Além de ser lindo e vestir bem em praticamente todo mundo hahaha
    Obrigada pelo teu comentário e espero que seja o primeiro de muitos! Um beijão!

    ResponderExcluir
  14. Schirlei,

    Sintetizou e compreendeu BEM o que escrevi. É bem isso mesmo: fingimos ter uma força por fora, ser quase rocha, indestrutíveis, mas é nos mais ínfimos detalhes que nos deixamos cair e quase estilhaçar. O que importa é que, com o tempo, vamos ganhando força, né?
    Obrigada pelo comentário, adorei. Um beijo!

    ResponderExcluir
  15. Acredita que ontem o amor falou pra mim: "amor, cê é sensível demais", e eu: "é amor, não tá vendo escrito 'CUIDADO, FRÁGIL' aqui na testa, igual nas caixas?" .
    Ficamos rindo da minha sensibilidade gigante, cada vez maior.
    Estou ficando mais e mais grave: ando chorando até assistindo Faustão. rsrs

    Mas ó, deveriam ter mais cuidado com todos os corações né?
    É tanta arma que a gente carrega, que é praticamente impossível não ferir este que é tão delicado.

    Ótimo texto queridona!

    Este comentário é mais que especial né, porque acabei de saber que ganhei o livro da promoção! E tô é feliz por demais!

    Uma beijoca!

    ResponderExcluir
  16. Que amor tu, Ana! hahahahaha somos muito parecidas, ontem quase chorei com tudo, com a beleza dos mínimos detalhes felizes de cada coisinha do meu dia. Foi fogo! hahaha ainda mais, como eu disse, em dias que a TPM se faz presente. Fica difícil, né guria? Congratulações por ter ganhado o livro, quero ver se posto no Sedex ainda essa semana. Um beijo!

    ResponderExcluir
  17. Lindo lindo lindo! Sem palavras para esse texto.

    ResponderExcluir
  18. Ameii, lindo demais
    Parabéns!!!


    Gosta de romantismo? Comenta lá.
    http://meuryss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Raquel e Mariana, muito obrigada pelos comentários! Que bom que curtiram toda essa sensibilidades espraiada no texto!
    Um beijão!

    ResponderExcluir
  20. Me faço de forte perante tudo e todos, afinal não gosto de me mostrar frágil. Um erro quando se tem um namorado observador e que me conhece melhor do que eu mesma. Ele mesmo, após alguns minutos de silêncio, me olha e pergunta o porque de eu tentar ser tão durona, quando na verdade sou completamente frágil. E eu concordo, mesmo sem saber a verdadeira razão de tudo isso.

    Mias uma vez teus textos me descrevendo dona Camila, parabéns!

    ResponderExcluir
  21. Um texto antigo de volta! Que alegria guria, lembro bem o tanto que me identifiquei com ele na primeira vez e como continua fazendo total sentido ele pra mim. ;)

    ResponderExcluir