Calmila responde: e quando o cara é afim da amiga?

4.09.2012 -


Camila, enfim tomei coragem para te escrever.

Sempre louvável. Então, manda bala.

Eu gosto de um cara que gosta de uma outra menina que não gosta dele. Esse menina é minha amiga e sempre deixou bem claro que não quer nada com ele.

Certo. Tu curte um cara que, é louco por uma menina. Menina essa, que vem a ser amiga sua. Complicado. Mas tem solução. Ou não. Prossigamos.

Tempo vai, tempo vem, ele acabou aparecendo no mesmo círculo social que nós duas (no intuito de estar perto do objeto de afeto, no caso, ela). Foi aí que acabei o conhecendo. E nessa lenga-lenga eu venho me interessando por ele cada vez mais.

Oh, god. Então, ele sempre foi afim dela. Chegou mais perto dos amigos em comum por causa dela. Só que aí, tu é quem ficou afim. Pelo que tu tem contado, ele ainda é afim dela. Cego, praticamente, por quem só pisa nele. É, meninas, temos que aprender: quando é difícil, por mais que o cara nem esteja mais tanto afim assim, continua ali, só pelo desafio. Pode ser o caso. Ou não. Vamos lá.

Hoje ele vê esperanças de conquistar essa menina irem por água abaixo, está praticamente desistindo.Mas eu não sei o que fazer! Tenho certeza de que minha amiga não vai corresponder (há meses ele tenta, dá em cima dela, e nada). Por mais que ele ainda tenha esperanças, já percebeu que as chances de acontecer algo entre eles dois é... nula. O que eu devo fazer? Continuar nessa posição, esperando o tempo passar e quando ele enfim desencanar dela, começar a ser mais direta com ele? Eu não sei mesmo o que fazer nesse banho maria. É aquela velha história: não sei como agir. Temos muitas coisas em comum e acredito que somos capazes de formar um belo casal. Mas, agora, o que eu devo fazer? E aí? Obrigada pelo espaço!

Certo. Então, é praticamente 80% de chance de nada acontecer, pelo que entendi - o que não impede que, numa balada, ela bebaça, ceda. E aí possa começar uma boa história. Mas ok: ele está caindo fora. Desiludido. Pelo que entendi, vocês são amigas. E andam com um grupo de mesmos amigos. Agora, eu é que pergunto: e se tu ficares com ele? Será que não acenderia nela um ciúme, uma posse? Será que não geraria fofoca? Será que o momento é esse, ou não seria melhor esperar até esse caso que não vingou ficar engavetado? Olha, ele está desiludido, né? A porta do coração, facinha de entrar qualquer uma praticamente - carente, sozinho, descrente do amor, etc. A chance de ocorrer algo entre eles pode realmente ser nula, não duvido. Mas será que agora é a hora de que você se "meta" em algo que não aconteceu e deixou mágoa? Se fosse você, esperava um pouco mais (é difícil, eu sei, mas acho que pode valer a pena). E aos poucos, ir conversando tanto com a sua amiga sobre a atração quanto ao garoto, e com ele, dando indiretas, ficando mais próximas, tendo mais intimidade. Por enquanto, acho que dar um tempo e ir construindo a "base" pra que algo ocorra seria a melhor e mais fácil solução. Minha opinião, lógico. Agora, boa sorte, e deixe que a intuição se meta um pouquinho que seja. Ser racional é importante, mas não tanto e nem sempre. Boa sorte, guria! Beijão


Quer enviar o seu dilema, dúvida, pergunta também? Escreve bem linda pra camilapaier@gmail.com e just wait!


1 Comentários:

  1. Olha, não vou deixar exatamente minha opinião, mas passei por uma experiência bem parecida com esta e agi diferente. Eu gostava muito do cara, o cara gostava da minha amiga ela não gostava dele. Eles até tiveram uma tentativa de relacionamento, mas foi rapidamente por água abaixo. Só que eu não esperei, na verdade fui até bem rápida! Dois ou três dias depois do"término" dos dois eu disse para o cara que eu tava afim dele. A gente já se conhecia, tal, ele ficou meio surpreso, mas surpresa mesmo foi quando, no mesmo dia ele, que tinha pedido um tempo pra pensar na minha declaração, correspondeu com um beijo! Fiquei super feliz e a partir daí começamos a "ficar". Maaas, toda essa rapidez não foi muito boa. Com uma semana que a gente estava "ficando", ele começou a esfriar, dar sinais de que não queria mais nada. E eu que gostava muito dele e sempre meio apressada, decidi "terminar", já que prolongar aquilo poderia ser torturante pra ele (pois parecia, apesar de ele sempre negar, que ele ainda estava apaixonado pela minha amiga) e pra mim, já que eu não estava sendo correspondida. Resultado: continuamos amigos, minha amiga não se chateou nem um pouquinho, e, pelo contrário, brigou comigo porque eu deveria ter contado a ela que eu gostava dele antes de ela ter tentado se relacionar com ele, e ele, depois de um certo tempo e um maior convívio, se apaixonou por mim. Só que aí já era tarde, ele estava se mudando pra outra cidade (beem longe de mim) e eu não quis assumir um compromisso com a distância... Bem, é isso. E faço minhas as palavras da Camila: "Boa sorte, e deixe que a intuição se meta um pouquinho que seja. Ser racional é importante, mas não tanto e nem sempre." :d

    ResponderExcluir