Mil perdões

3.06.2012 -

Olha, releva essa minha loucura inoportuna. Tem dias que a lua de tão cheia, me acerta quase completamente, e além de fazer o cabelo ter vida própria, faz com que o humor ser torne caleidoscópico. Noutros, é nada mais que uma junção de alguns minutos que, me fazendo divagar distante, trazem de volta para alguma realidade plausível. Desculpa esses meus choros desmedidos, que ocorrem sempre sem porque nem hora certa, mas de certa forma lavam a alma e me aliviam da existência de mim mesma - densa, enérgica, às vezes, caótica. Absolve essa minha veemência em precisar tanto do melhor que tenho (você), da carência de algumas tardes vazias onde o telefone não vibra, da chatice de todo o resto do universo, enquanto estamos ocupados com um montão de coisas que fazem bem pouco sentido assim que a gente se vê.

Dá um desconto pelos pisões no pé quando na minha frente na escada, aos discursos quando algum assunto acalora minhas ideias, àquela vez em que chamei de brincadeirinha de "cara chato" de tanto rir, as cócegas ainda ofegando qualquer outras palavras que desejassem escapar. Poupa minhas vontades, de vez em quando, intempestivas e excêntricas. O cobertor (ou lençol) que te roubo furtivamente, para ficar tapada até a cabeça. As reclamações disfarçadas de manha, quando todo o meu desejo é o seu colo macio e um cafuné nos cabelos. Perdoa todas as rotas de fuga que tracei em vão, e que, com um simples olhar seu, me fizeram sentir a pior pessoa a existir no presente. Dispensa de qualquer punição o grude dengoso da minha carência que às vezes arruína toda a pose de independente e bem entendida que carrego durante o dia inteiro. Inocenta o meu medo de quase tudo, minha opinião sempre carregada de uma intensidade polvorosa, a impulsividade que passa sem filtro entre mente e fala, e sem pestanejar, diz.

Anistia a minha culpa, justifica a minha confusão, isenta a minha brabeza, escusa essas minhas falhas de quem erra mesmo sem querer, atrás de um sucessão de vitórias. Educa esse meu comportamento genioso que aparece sem avisar com uma frase qualquer sincera onde você diz que gosta ou do meu pézinho torto, das frases inesperadas, ou mesmo da carinha de braba, presente sempre quando algo desagrada. Desobriga o meu desespero em ser sozinha, acalenta aquele mimo que eu tanto peço e que cala num só abraço bem apertado e que demore praticamente a vida a garotinha assustada e que, de tanto que quer sempre um pouco mais de amor, vezenquando, erra. Orgulhosa com alvará e tudo e argumentista quase que por profissão, eu que nunca peço, agora tenho praticamente implorado (a arrogância morre com o que a gente sente): mil perdões: me perdoa, amor.

14 Comentários:

  1. Lindo. De todos os textos esse é o que mais me identifica nesse momento. A vontade desmedida de querer está junto de quem ama. É tão bom amar, É o sentimento mais sublime, a paixão inflama, mas o amor é doação e compreensão entre todas as dificuldades que podem existir. Parabéns Camila.

    ResponderExcluir
  2. Não existe palavras certas pra descrever a sensação que eu tive, e vou continuar tendo toda vez que eu ler esse post. O medo de errar é tão grande, que alguma vezes até impede, tem como existir prova maior de compreensão, amor e crescimento do casal do que os pedidos de desculpas? Melhor ainda, quando eles assustados nos olham enquanto caímos no choro incontrolável... Como explicar pra eles que nem tudo tá perdido e que só foi uma crise, e pedir desculpas por não conseguir controlar, ou fazer eles entenderem que por trás de toda a manha só estamos tentando fazer com que eles abram os olhos?!?!
    Teu texto fala muito por mim, numa totalidade absurda que pra escrever tudo aqui vai faltar espaço. Parabéns guria é muito bom chegar no teu blog, e vê um texto que me faz parar tudo o que eu to fazendo, ficar em silencio, refletir

    ResponderExcluir
  3. Um livro, dona Camila. Nos brinde logo com um livro!!!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo,que meigo, que apaixonante! parabéns moça!

    ResponderExcluir
  5. E tem como não se viciar? Cada dia melhor! Tens aqui uma grande fã, Camila!

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente com Marcella, cada dia fica melhor. Lindo demais *-*

    ResponderExcluir
  7. sempre que não sei como explicar o que sinto você me aparece com a resposta, assim, tão magica e fofa e criativa e linda. Parabéns, camila.

    ResponderExcluir
  8. Então dona Camila, o que dizer depois desse texto maravilhoso, que me descreve perfeitamente (como todos os outros, claro)?
    Um parabéns, parece repetitivo e pouco, mas é o que me cabe. Me vi em todas as palavras, em todas as frases e até mesmo, nos pontos. Já pedi "mil perdões" pro lindo, que diz não ser necessário e com um abraço, faz tudo se amenizar dentro de mim.

    ResponderExcluir
  9. Achei muito amor esse texto, e para variar me identifiquei demais né. hehe, beijo!!

    ResponderExcluir
  10. Adoro quando você escreve textos sobre seu namoro, assim me vejo em algumas falas sua. Adorei o texto e me identifiquei muito. Beijos Camila.

    ResponderExcluir
  11. Amei muito o texto. :c
    http://disfarcedecinderela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Nada como uma passada pra me atualizar no Calmila e me deliciar com teus textos depois de mais uma semana de loucuras inoportunas, é. (:

    ResponderExcluir
  13. Perfeito, de tudoque já lih, me sentir no momento da leitura o proprio pedido de perdão! :a

    ResponderExcluir