Loira sim, e?

3.07.2012 -



Quem é gordinho sofre com os olhares tortos de uma sociedade onde a magreza é o única padrão aceitável. Os negros, mesmo após anos e anos da abolição da escravatura, ainda penam com comentários racistas e pré conceitos infundados. Baixinhos tendem a ter menos oportunidades com as mulheres, e moças altas sofrem com a pouca disponibilidade em tamanho grande de homens no mercado. E as loiras? Convivem todo dia com um discriminação quase calada mas que, atentamente, é possível se notar: o mito da "lôra burra" está vivo, em pleno século XXI. Assim como possível, deplorável.

Enfiaram na cabeça das mais diversas populações que, mulher inteligente, loira não poderia ser. Acham que podem passar a perna quando devolvem troco, pensam que a gente não vê o olhar de desdém ao realizarmos provas, processos seletivos, entrevistas ou algum feito histórico. Conspiram contra os fios dourados, porque como ensinou a cultura ao longo dos anos, inteligência e capacidade tem mais a ver com feiura e menos com vaidade. Não entendeu a piada? É a cor do cabelo, meu bem. Comprou algo do tamanho errado? Entendeu de maneira equivocada? Deixou-se distrair quando não deveria? As pessoas julgam, e sendo bem arrumada, vão ter o habitual comportamento que é um misto de temeridade e cuidado excessivo com qualquer artifício que venha a calhar nas suas mãos. Piora se você for bonitinha. Agrava muito mais se for maravilhosa.

A insinuação calada também é bastante comum. Olham da raiz às pontas, com direito à parada no rosto novamente para soltar um “sem querer ofender, claro”. Quase nunca é o que desejam, mas sim, sempre o que acabamos por sentir: ainda, com a mulher sendo líder de empresa, conquistando o homem que bem entender, tendo filho somente quando quiser, falando seiscentos idiomas e sendo malabarista da vida moderna, a loira é a burra. Suficiente um erro para que o julgamento e o fardo de “insuficiência inteligente” sejam engatilhados quase que pra sempre na memória alheia.

Já estamos com os “louros” da vitória como mais sensuais, conforme as pesquisas. Passamos uma ingenuidade e feminilidade, assim como chamamos mais atenção – já tive cabelo escuro e, assim que voltei ao tom normal (o sacramentado loiro com mechas), notei a grandessíssima diferença, assim como já me relataram amigas e leitoras. Dizem até que somos melhores tratadas, pois para algumas pessoas, mesmo sem notar remetemos “nobreza”. Riam dos nossos minúsculos erros, de alguma ou outra gafe que todos cometemos mas, por sermos loiras, sofremos mais com qualquer comentário. Até porque, continuaremos sorrindo enquanto o áureo dos nossos fios claros reluzir, brilhando para o mundo.

13 Comentários:

  1. Adoro ser loira e não mudaria por nada. Odeio as piadinhas e coisa e tal, do tipo "tinha que ser loira", cor do cabelo não justifica nada, assim como a da pele também não. E somos sim, mais atraentes, chamamos mais atenção e com cabelos bem cuidados, desbancamos muitas das que deveriam ser inteligentes, de acordo com a tonalidade do cabelo, mas que no fundo, tem inteligencia inferior a nossa. Dorei guria, beijão

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Tipo, meu pai me disse que essa coisa de "Loira Burra" é, supostamente é, as loiras falsas, aquelas que pintam porque acham que ficam mais bonitas. Acho que isso acabou afetando todas as outras que, assim como você, assim me parece, são muito inteligentes e não merecem de todo essa descriminação. É como o que você disse no inicio, meninos baixos, meninas muito altas, gordinhos... isso é pra quê, meu deus? Para quê tanta burrice? Sim, porque essas "pessoas com a aparência perfeita" só podem não ter nada na cabeça. Por exemplo, eu acho meninos baixinhos um amor, e as modelos não têm de ser altas? Então! Seu post devia mesmo ser lido por esse mundo hipócrita, sério. (olha que texto que eu escrevi agora ~u_u~)

    Adorei o post, adorei o seu blog, seguindo aqui.
    beijo ♥

    ResponderExcluir
  3. Por muito tempo pintei meu cabelo, filha de loira e loira natural, hoje faço luzes para deixa-los ainda mais claros e sabe? Mesmo tudo isto incomodando e incomoda, tento ver todas as outras maravilhas e assumo feliz que sou! E claro, que mais uma vez - e sempre- tu consegue com as palavras dizer tudo o que é pra ser dito e da melhor forma. Uma loira maravilhosamente inteligente, tu és! :*

    ResponderExcluir
  4. Eu tive cabelos loiros e agora retornei à raiz (loiro escuro que, na minha opinião, é moreno demais), mas tenho uma coceirinha imensa em retornar ao tom claro. Tornamo-nos mais sexys e nos damos melhor com o espelho.

    ResponderExcluir
  5. boa reflexão, o lance é que ninguém aprendeu que existe mulher bonita e inteligente!

    ResponderExcluir
  6. Adorei um texto, e foi mais um desabafo né mesmo Camila? A verdade é que todos estamos alheios a esses esteriótipos, ideias taxativas pré-formadas da nossa sociedade. O que é um absurdo. CLARO. Mas preconceito pra mim, é OPINIÃO sem conceito!

    ResponderExcluir
  7. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir
  8. Ah, como me li nesse escrito seu Camila!
    Como sinto na pele cada pré conceito, ironia, comentário sacana e machista. E olha, quanto mais tentam me rotular de burra, mais quero provar quão inteligente sou! O conhecimento vem através de esforço, e não embalado numa caixa de tinta de cabelo cor escura.
    Adorei, Beijoca.

    ResponderExcluir
  9. Todo tipo de comentário tem um porquê por trás.

    ResponderExcluir
  10. Sou morena. Moreníssima, desde que me lembro.
    Acho que o preconceito esta em todo lugar e sobre a maioria das coisas. No fim, loiro ou não, de uma forma ou de outra todo mundo tem ideias pre concebidas, mas imagino eu que nesse século as coisas são melhores que em outros tempos..

    =*

    ResponderExcluir