Calmila Responde: início de relacionamento, drogas e dúvidas

1.26.2012 -

Oi Camila,

Antes de tudo queria agradecer por responder meu e-mail e dizer que uns tempos atrás, vasculhando na internet, encontrei teu blog e desde então ele está entre minhas páginas favoritas. Me indentifico bastante com teus textos, sempre me ajudam.

Que linda, olá. E muitíssimo obrigada! Espero que possa ajudar direitinho.

Já iniciei um e-mail pra ti mas, não tive coragem de mandar e se tratava da mesma pessoa que vou citar abaixo, só que agora preciso mesmo de uma opinião.

Certo, então vamos lá.

Namorei com um garoto por 2 anos e gostava muito dele. Terminamos ano passado, em julho. Depois dele, pensei que não gostaria mais de ninguém da mesma forma.

Natural pensar assim, hoje em dia é normal vivenciar o romance como se fosse o último. Mas o bom é que sempre depois do fim, a vida dá um jeito pra gente de recomeçar. Mesmo que demore ou a gente se frustre, enfim.

No tempo que estive solteira, fiquei com alguns caras interessantes mas não quis manter algo a mais por simplesmente 'enjoar'. Era do nada, simplesmente não queria mais.

Não eram tão interessantes assim, então. Não a ponto de te fazer apaixonada.

Saí pra um lugar aqui na minha cidade que não curto muito - acredito que foi o destino - mas lá conheci um garoto. Nós não ficamos. No outro dia, ele me adicionou no Facebook, conversamos e nos demos muito bem. Pouco tempo depois começamos a sair.

É legal quando algo começa aos poucos. E a gente vai dando tempo pra saber bem o que tá fazendo, com quem está lidando. Ele demonstrou que queria contato com você e que tinha persistência e atitude, coisas que a gente não tolera em homens que não possuem. Até aqui, bem ok.

No começo, pensei que enjoaria - como já havia ocorrido com outros - mas não. Começei a gostar dele, por um milagre divino. Reconheço que sou um pouco difícil de lidar, e como disse acima, pensei que não gostaria mais de ninguém da mesma forma que meu ex. Estamos saindo há quase 2 meses, já conheço os amigos dele e as respectivas namoradas, a mãe, o avô, o irmão, o primo. Ele me pediu em namoro e disse que, após o namoro de 5 anos, passou 3 anos solteiro e também nunca tinha gostado de alguém como sentia por mim. Não aceitei por não ter muito tempo que nos conhecemos, nem coragem, pra entrar em um relacionamento agora.

Well. Você não enjoo dela. Pelo visto, nem um pouquinho. Ele demonstrou que queria compartilhar um pouco da vida contigo, e já te apresentou família e tudo, e deve ter a levado pra churrascos e festas de amigos, onde tu figurou como uma possível namorada, conhecendo as outras do grupinho. Depois de três anos solteiro, pelo visto escolheu você. E por que, mesmo assim, falta "coragem" pra assumir algo com o moço, menina? A gente morre de aflição e se sente enroladas quando o cara não nos pede nunca em namoro mas, se é o contrário e ele se decide rápido demais, nos assustamos também. Sim, somos mulheres e um poço de contradições, confusões e afins. Mas, não entendi a parte da coragem, não. Será que não foi tu mesma quem colocou na cabeça isso de que seu ex é intocável e nenhum cara fará com que tu sinta mais do que sentiu por ele? Ou será que o cara é bacana, e tudo, mas não é tanto assim e você está começando a enjoar ou já sabe que pode iniciar esse processo de desejar coisa nova daqui a pouco já? Coisas que só tu pode saber, mas acho válidos questionamentos para fazer à ti mesma, guria.

O problema é que quando o conheci, sabia que ele fumava cigarro e bebia. Conversamos sobre isso e ele diz que quer diminuir o vício, para começar a parar. Nos últimos dias descobri, por si só, que ele também fumava maconha. Eu não curto, nunca experimentei, e não sinto a menor vontade. Falamos sobre isso novamente, e ele disse que ia diminuir o 'ritmo' com o tempo, mas acredito que de uma droga pra outra é um passo.

Então, acho que o problema está aqui. Que hoje 99% dos jovens bebem, temos que concordar. Admiro você por não fazer uso. Cigarro, nunca experimentei. Nem seque cogitei, tenho nojo de fumaça e acho o cheiro péssimo. E sim, concordo contigo que da maconha para ir pra cocaína, ou LSD e Extase é um passo mesmo. Convivi com pessoas que usavam (colegas, alguns poucos amigos), e a maioria se perdeu dentro do mundo paralelo em que pessoas - geralmente, fracas - usufruem de drogas. Não recrimino, não sou contra, nem nada disso. Só acho que há tantas alternativas de felicidade e diversão hoje em dia nessa vida que, se drogar é um pouco burro. Uma escolha falha. Enfim, acho que o que mais te incomoda é que é, sim, complicdo levar um relacionamento com alguém que tem abusado dos usos ilícitos. Como saber o momento em que está "limpo", ou não? E se diz que vai parar, por que não começa já? Hoje, é algo que pesaria na minha decisão de estar com alguém ou não. Nem tanto o fato da bebida, que se não for alcoolismo, considero até um pouco banal pros jovens de hoje. Mas mais pelo cigarro (que destrói os órgãos internos, deixa um cheiro e gosto da boca péssimos e é um nojo) e pela maconha (que ok, dizem que não faz tão mal assim, mas como disse a amiga, é um passinho pra demais drogas). Você já conversou, e ele disse que ia ir diminuindo. Mesmo assim, você parece não aceitar nem mesmo isso - e ele parece ter diminuído mas muito, muito pouco. Já conversou por duas vezes sobre o assunto, e não obteve muita mudança. Se fosse você, tentaria dar uma afastada, pra ver o que sinto. Caso fosse forte demais o gostar e essas coisas de amor, diga que para você ter algo sério e sólido, isso é muito importante. Daí, só esperando pra ver a reação do rapaz.

Ele é um amor de pessoa comigo, me trata super bem, é carinhoso e nos damos muito bem. Tô gostando, mas não sei se devo continuar algo com medo do depois, sabe? Não sei o que pensar, nem o que devo fazer. Me ajuda.

Do depois tu dizes de sei lá, ele ficar cada vez mais adicto? Pode acontecer. Mas se ele disse que ia ir diminuindo, talvez você deva dar um voto de confiança ao moço. Por algumas semanas, ou meses. Tente fazer com que o assunto não se torne um tabu entre vocês, e diga que, pro que ele precisar, você o ajuda. Pense em alguns meios para que ele substitua as drogas por outras coisas (chiclete por cigarro, chocolate por maconha - talvez eu esteja sendo ingênua, mas dizem que pode dar certo). Como descreveu, pelo visto isso a incomoda bastante, deixe isso claro, mas de forma sutil. Ele vai entender, e se quiser estar mesmo contigo, vai acabar se viciando cada  vez mais em ti e largar toda e qualquer drug do caminho. Conheço alguns casos em que isso aconteceu, ou seja: é possível sim, ainda mais que ele é jovem. Desejo boa sorte pra ti e muita disposição, não desista assim tão fácil de algo que tem a feito feliz. Tentar é sempre válido. Um beijo!

Quer enviar a sua pergunta/dilema/desabafo para mim também? Escreve linda pra camilapaier@gmail.com e então basta esperar!

4 Comentários:

  1. concordo com a camila (como sempre)acho que você deve falar ao rapaz o que sente mas sem ficar pressionando. Tenho certeza que ele pode se viciar mais em você.

    sorte.

    ResponderExcluir
  2. Dica super válida. De fato depois de um tempo ela está preparada para viver um grande amor com outro alguém que também quer e deseja o mesmo. A situação é complicada, eu também não saberia como agir, teria milhões de pensamentos contra, mas se o sentimento que existe entre voces, é bom, vale a pena, ao menos, lutar por ele. Muito diálogo, compreensão, mostrar que o amor, é a melhor "droga" que existe nesse mundo. Sorte pra ti!!!

    ResponderExcluir
  3. Dica super boa...e o ideal é saber levar uma boa conversa...um verdadeiro relacionamento tem que ter algum tipo de renúncia por parte de ambos...só não vale ficar neurótica e fazer a tal "chantagem emocional"...no mais, nada que uma boa conversa não amenize ou acabe com o que lhe incomoda
    ótima dica...sorte pra ti

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir