Dois goles de eternidade

12.13.2011 -

Começou quando passamos pela casa de janelas abertas, enquanto caminhávamos pela zona próxima ao seu apartamento. Era domingo, e eu que deixei de detestar o dia para chorar a cada fim de noite, lembro ainda da cena do casal de senhores assistindo ao Domingão do Faustão na tevê. Ouvi de você que "nós não vamos ser assim, tá?", e concordei, convicta: estaremos brincando com nossos netos, isso sim. Teve também aquela outra vez em que olhávamos o fogão acoplado à copa do salão de festas de um amigo. Foi quando eu disse que "nem deve ser tão caro um desses" e você, em seguida, esboçou algo como "nós vamos ter um, sabia?" que senti a alegria medrosa de viver, quem sabe, um conto de fadas da era moderna. Feliz com o que antes também havia pensado, porém, sem dizer, afirmei: sim, nós vamos.

Mal consigo imaginar o dia de amanhã, e promessas, eu admito: me dão calafrios. Elevam ainda mais minha já superestimada ansiedade. Mas se for sempre assim, por mim, poderia ser para sempre. Pro meu próprio bem, deveria. Mesmo que, assim que você me deixe em casa eu desabe de melancolia já no percurso curto que leva uma eternidade do elevador. Ainda que seja a cada dois ou três dias, porém que faça a minha vivacidade aflorar só por ter a malinha no final de tarde, esperando você no shopping que fica perto. O importante é escutar a sua voz dizendo "brabinha" de vez em quando, só pra negar com a cabeça enquanto você ri. É a competição sempre perdida em que o abraço mais apertado que você consegue me dar vence quase sempre no intervalo entre escovar os dentes e colocar o pijama. Só para depois te esperar precipitada e tapada de lençol até o pescoço para fazer a graça divina do seu sorriso ao abrir a porta. Porque é desses detalhes tão pequenos de nós dois que eu vejo o quanto uma pequena briga qualquer se torna um grão no meio da imensidão toda que é a recompensa de se apaixonar todo santo dia pela mesma melhor pessoa escolhida.

Somos novos demais e não levamos muita fé nos matrimônios atuais. Igual, me apraze esse eterno enquanto dure que cada vez mais se torna presente e digno de continuar sendo dia após dia. Detestadora de química e afins, seria capaz de inventar uma poção de nome qualquer mas com efeito prolongador de eternidade duradouro o suficiente pra que isso não tivesse fim por motivos banais ou com o desgaste do tempo, especial que é o temos. Um gole pra cada, divididos de um mesmo frasco da porção única só para nós dois. Porque esses melhores momentos do mundo me arrepiam só de relembrar e escrever, cheia de uma vontade que seja amanhã logo e tudo se repita da maneira singular, e por isso mesmo boa que há meses tem sido e não nos enjoa. Nove. Dava para ter gerado uma vida, mas, incrível - o que nasceu em mim foi uma vontade de pra sempre antes nunca transcrita na mente, sentida aos pulos do coração até a palpitação das veias, quase saindo pra fora do tanto que existem. Autodestrutiva, que seja. Venenosa ao longo do tempo, arrepiante também porque até cruzar a linha entre ilusão e realidade a gente tem dificuldade em perceber. Mas que se for pra ser, que seja querendo muito: até que o destino separe, sem prever términos nem muito menos desejar o fim.

10 Comentários:

  1. Aaaaa que lindo, mais um - e sempre!
    A graça inocente de cada um desses momentos, inenarrável.

    "(...) porém, sem dizer, afirmei: sim, nós vamos." :}

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais lindo ,lindo e lindo! haha
    Como deve ser bom sentir amor assim não é?

    Mais uma vez lindo, ainda maias para mim que sou tão passional e quase choro lendo! haha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. É tão bom sentir um amor assim, não é? Li teu texto e relembrei de todos os momentos que passo ao lado de ele e como sempre, um sorriso bobo e apaixonado apareceu.
    "De se apaixonar todo santo dia pela mesma melhor pessoa escolhida".

    ResponderExcluir
  4. Oi, Camila.

    Que seja eterno enquanto dure esse amor, que dure para sempre!

    Eu sempre leio seus textos e particularmente te vejo como inspiração. Eu nunca postei nada aqui, já te sigo há algum tempo. A-D-O-R-O teu jeito singular de enxergar as coisas. Vou deixar meu blog aqui, caso você queira conhecê-lo:

    www.ameninaquesacudiapalavras2.blogspot.com

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Preciso de mais palavras do que : quero ter pra mim um pra sempre assim?! É, preciso. Preciso te parabenizar por depois de tanto tempo ( percebe-se a mudança antes dele e depois dele, claramente ) você se abrir a uma vivência magnífica como o do amor verdadeiro. Eu, sabe?! Sou uma romântica-sonhadora-convicta-que-acredita-no-amor E que acredita que entre vocês é amor mesmo e o pra sempre é o tempo mínimo que um amor merece ser vivido. Espero que sempre que houver um desentendimento (poucos) ou algo do tipo, porque existem, vocês leiam textos como este e vejam fotos e relembrem dos momentos juntos e principalmente tentem relembrar o vazio sem explicação que era antes de se terem e não deixem NUNCA nunca isso morrer. Acredito no pra sempre e acredito em vocês. Felicidades. Quero um amor assim em 2012 e pra vida.

    ResponderExcluir
  6. Sua lindaaa, que texto mais amor. Adorei. Mesmo que nunca tenha sentido isso, posso imaginar o quão bom deve ser. Fico feliz em ainda poder crer no amor romântico, e desejo sempre o melhor para vocês. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. namorado de sorte hein? coisa mais linda esse texto que tu escreveu... Beijo ;*

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus do céu Camila Paier! As vezes você me deixa sem palavras pra vir aqui te parabenizar nos comentários... Que lindeza de amor, que sentimento forte e bonito que você tá vivendo! São duas pessoas de sorte que, tinham mesmo que ficar juntas. Essa sintonia que você descreve chega a dar arrepios, felicidades!

    ResponderExcluir
  9. Desapareci por um tempo, correria demais, alguns contratempos.
    E quando volto, eis que vejo este texto tão belo.
    Que seja uma bebedeira de eternidade Camila! Não deve haver ressaca melhor que essa.
    Beijos.

    ResponderExcluir