Calmila responde: traição - há perdão, ou não?

11.28.2011 -
 
Oi Camila! Tudo bem?
Acompanho teu blog há dois anos e sou fã incondicional. Após ler tantos depoimentos e pedidos de ajuda sendo gentilmente acolhidos por você, tomei coragem e vim deixar o meu. Na verdade, não preciso decidir nada, mas é algo que me incomoda então vim abrir meu coração para saber a sua opinião sobre o assunto.
 
Olá, garota. Claro, claro. Fico feliz que leia desde o comecinho, e goste bastante. Pois então, vamos lá.

Namoro há mais de três anos um rapaz que me trata como qualquer garota gostaria de ser tratada: carinhoso, companheiro, compreensivo. Nosso relacionamento é tranquilo e na medida certa, com seus níveis de ciúme e diferenças controlados. Tudo sempre foi muito intenso. Estávamos sempre juntos. Quando eu não dormia na casa dele, era ele que dormia na minha. Tínhamos finais de semana harmoniosos, de diálogo, colo e carinho mútuos e o sexo sempre foi bom para os dois. Saíamos e nos divertíamos sozinhos ou com amigos em comum para todos os lugares: de boates a viagens a dois. Eu o ajudava com os estudos, ele me ajudava com coisas do trabalho que eu levava pra casa...Enfim: era o relacionamento - modéstia parte - que todos os nossos amigs julgavam perfeito. Com planos futuros, inclusive.

Ótimo. Aqui aqui, tudo bem. Até demais.

Só que na metade do relacionamento, aconteceu uma coisa inexplicável. Um dia, sem mais nem menos, ele ligou avisando que estava chegando...E não chegou. Fiquei preocupada, esperando, ligando e só consegui falar com ele no dia seguinte. Foi aí que ele apareceu com uma história duvidosa que eu vim descobrir ser mentira dias depois. 
 
Putz. Mentira é péssimo. Não sei como conviver. Acho que passaria a questionar tudo até então, se não foi mentira também e eu é quem nunca tinha olhado mais atentamente.
 
Ele havia me traído. Sem mais nem menos, no caminho de casa, passou numa festa com o amigo, conheceu uma pessoa e ficou com ela.
 
Meu deus, mas assim, do nada? Tipo, vou ali na esquina comprar pão, e de repente peguei aquela gostosa que estava ao lado do orelhão? Ou, fui lá fazer a revisão do carro e voltando pra casa, resolvi entrar numa festa? Não entendi muito bem. Mas aí que tá: as pessoas não estão aqui no mundo pra que a gente as entenda, mas sim, que as compreenda. Erros são humanos, porém, assim, de repente, me assustam. Acho que meu mundo desabaria e eu teria ido comprar correndo uma passagem pra Europa, num país bem distante.
O mundo desabou. Terminei tudo com muita, muita raiva. Meu coração ficou destruído, ele parecia enlouquecido. Não sabia dizer porque havia feito o que fez e eu não entendia como isso podia  estar acontecendo. A partir daí, foram meses de pedidos de perdão. Ele aparecia na minha casa chorando, implorando, me enchia de flores, de cartas e dizia que reconhecia o erro, e queria apenas uma chance para provar que era mesmo amor o que sentia por mim.
 
É fácil cometer o erro, em poucos segundos, e depois se arrepender por meses, né? Talvez, tenha faltado espaço pra singularidade e sinceridade ao longo do relacionamento, o que acabou resultando nessa explosão de sentimentos guardados em que figurou a traição dele. Pense comigo: você faria a mesma coisa? Sequer cogitaria entrar numa festa ao invés de ir ao encontro do cara? Tenho certeza que não. Quando a gente está namorando, é essencial ainda estar apaixonado. E se não está, alguma coisa errada anda ocorrendo. Ou simplesmente é um prenuncio do fim que a gente se recusa a captar. Deve ter sido difícil não ceder aos apelos e choros, e afins. Mas sabe, e voltar confiando no moço, será que dava? Eu não conseguiria.

Camila, eu sempre achei que quem ama não trai. E nunca achei explicação pra isso. Porque não sou do tipo que se engana e sei que nada que vivi foi uma farsa.Mesmo tentando entender, perdoei e reatamos. No início foi uma situação muito dificil. Apesar de ele permanecer como sempre foi comigo, a minha insegurança chegou a mil por hora.
 
Olha, segurança bem justificada. Como disse antes, a confiança não se restaura assim, num piscar de olhos. A fase ruim roda na cabeça sem parar, a imagem que tínhamos da pessoa, com certeza, muda. Tudo bem compreensível da sua parte. Só, como eu disse, não teria reatado o relacionamento. Quem faz uma, pode facilmente e já sabe o caminho para fazer duas, três..
 
Muitos apoiaram a decisão, inclusive minha familia (com quem ele fez questão de conversar). Mas ao mesmo temp, fui julgada por outros que adoravam a gente como casal antes. Fui chamda de burra e "conformada" por perdoar uma traição e recomeçar.
 
É a cruz a se carregar. Pessoas julgam as outras, e quem diz que não o faz, mente - o que também resulta em pecado no final das contas. Se sua família é importante pra você, e a apoiou, já consideraria um fato de grande importância. A opinião alheia nos serve muito pouco, não é feita sob medida. Em primeiro lugar, prime pelo bem estar da sua consciência, atenta à sua intuição e ao que seu radar feminino capta ao redor. Se voltaram, e estão bem, e as paranóias conseguiram sumir da sua cabeça, viva o momento e deixe o passado lá atrás mesmo. O que vai, volta, e pode não ser por você, mas corno o moço também há de ser um dia, oras.
Na sua opinião Camila, é possível quem ama errar desta maneira? E se errou, é possível se arrepender sinceramente? E não seria o amor capaz de perdoar tudo quando a pessoa merece pelo que sempre foi? Ou errar desta forma põe a pessoa numa posição imperdoável pelo resto da vida? Sseria eu mesmo burra?

As respostas: pessoas que amamos erram, e algumas vezes, nos machucam sim. Agora, se ele foi procurar algo fora da relação de vocês, é porque, para ele, algo estava faltando. Isso é fato. Tendo então errado, claro que é possível se arrepender (ainda mais quando o faz sem nem ao menos pensar direito em quem realmente importa). Se você ver nos olhos que há sinceridade ali, e sentir que deve perdoar, perdoe. Confiança, é como dizia a Lady Gaga à Beyoncé naquele clipe, e eu reafirmo: depois que estraçalhada, difícil de colar todos os pedacinhos e voltar a ser exatamente a mesma. Imperdoável para o resto da vida é tempo demais, deixe que os dias corram, e quando você conseguir, de coração não pensar mais nisso tudo com raiva/nojo/ódio, caminhe em frente e deixe isso lá atrás porque o passado é uma roupa velha que não nos serve mais - canta também Belchior, esse lindo. Burra nada, você ama e ponto. Tem gente que é traída, nem sabe e posa por aí de bem entendedora dos relacionamentos e o caralho a quatro.

Mesmo depois de quase dois anos, essas questões ainda me incomodam, apesar de hoje - modéstia à parte - ele e nosso relacionamento continuarem sendo tudo de bom. Ele diz que daria tudo pra apagar a burada que fez da nossa história.
 
Pena que não pode. Até eu queria apagar junto com ele, mas só dá pra abandonar o que já passou e pensar em futuro, ao invés de passar simplesmente uma borracha. Se ainda a incomoda, mas não é tanto, tente conversar com ele. Não esconda essa sensação, fale o que a aflige e quando. É justo com ele que entenda o que se passa no seu comportamento por tudo isso que não fez bem. 
 
Camila, te considero uma pessoa de boas opiniões e sentimentos, gostaria de saber sua opinião e visão desta situação... Aguento qualquer coisa, mas por favor, me diga de coração o que você acha? Muito, muito Grata!
 
Não conheço seu namorado, o que impede uma visão mais crítica e que a minha intuição auxilie a sua. Porém, é complicado. Eu imagino a barra que deve ser. É o tipo de situação onde a gente julga e fala o que faria e o que deixaria de fazer, porém, quando na pele, ficamos perdidas. Dei algumas dicas de como (eu acho) que procederia, ao longo do seu e-mail. Dizia até pouco tempo, que pra mim, traição não tinha perdão - frase manjada que muitas pessoas por aí dizem, mas poucas seguem a risca quando o barco afunda pro seu lado. Hoje, pensando super criticamente, vejo coisas muito piores a dois do que uma fraqueza momentânea. Ele poderia a xingar, bater, puxar pra baixo, ser indiferente, e tantas outras coisas que também nos ferem acentuadamente. Se você está pronta para perdoar mesmo, vá em frente: arrisque e esqueça. Enterre o assunto e pronto. Caso contrário, peça um tempo, pense bastante, cuide bastante de si mesma, e reavalie BEM o que deseja pro seu futuro. Acho as duas atitudes bem válidas. Boa sorte!

Beijoca,

Camila Paier

Quer enviar sua pergunta, dilema ou desabafo também? Escreve direitinho e send it pra camilapaier@gmail.com que é só aguardar.


5 Comentários:

  1. wow...ééé...pra perdoar traição tem q amar muito! mas acredito que ainda sim tem q pensar em uma coisa: "será q nossa amiga ae não ama mais o cara do que ela mesma? e assim, amor próprio não é pecado...se a atitude que ele teve faz mal a ela, acho que deve cortar fora...por mais que doa de início, mas pelo menos ela não sofrerá tanto com insegurança e medo de uma segunda traição.
    :)

    ResponderExcluir
  2. Vou contribuir com minha opinião pq isso muito me é familiar, infelizmente.

    Confiança, de verdade, NUNCA mais é a mesma depois de quebrada.. Não é clichê, apenas, é verdade! Agora depende muito perdoar ou não... Infelizmente todas estamos sujeitas a passar por situações assim. Não sou nem quero ser machista, feminista, nada do tipo, mas infelizmente os homens são mais viáveis a ceder e achar que depois ficará tudo bem. Maaaaaas, se você perceber que é sincero o pedido de desculpas, que aquilo que ele fala, olhando nos olhos, então acho que vale a pena.. mas esta é uma decisão dolorosa e dificil de ser tomada, principalmente quando os sentimentos seus ainda estão muito revirados.. o tempo alivia essa confusão, por isso esse tipo de decisão deve ser tomada com calma.. Estou passando por isso agora, e acho que o tempo ajuda muito! No mais, boa sorte. Que sua decisão seja tomada de forma confiante e de modo que vc não se arrependa.. mas se optar por continuar, deixa isso pro passado mesmo como a Camila disse no texto, pq desgastar o que ja foi desgastado toda vez é ruim. beijos...

    ResponderExcluir
  3. Olá, estou aqui fazendo uma visitinha e como comentário pessoal a respeito desse texto acima, eu não perdoaria, como vc mesma disse, a pessoa que faz uma, pode muito bem fazer duas, três vezes! Mas, como cada caso é um caso...


    E aproveitando para informá-los sobre o sorteio que está rolando no blog Capricha Mulher! Participem!
    http://caprichamulher.blogspot.com/2011/11/primeiro-sorteio-no-cm.html
    bjO e boa sorte!
    ~Glaucia

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Já senti na pele isso também. Antes de nunca ter sido traída eu dizia que nunca iria perdoar. Depois que fui.. pensei muito e como a Camila disse: senti sinceridade nele em pedir pra voltar e em tudo que ele falou. Continuo com ele. E sei também que antes desse erro, pra ele faltava algo no nosso relacionamento. Uns me julgaram, me julgam e outros me apoiam. Só apoia quem já passou por isso com o mesmo tipo de relacionamento, não com relacionamentos que tem conturbações além de traição. Confiar do mesmo jeito é impossível. Vc sempre fica com uma pulga atrás da orelha qdo ele não está com vc, independente do que esteja fazendo. Eu diria pra vc tentar o minimo tocar nesse assunto com ele ou outras pessoas, pq vc relembra e machuca, então começa a pensar que voltar foi errado. Viva o momento. Relembre sempre os bons momentos, o que ele fez e faz por vc.
    É DO SER HUMANO ERRAR! Não posso afirmar isso, mas talvez até tenha sido uma forma de melhorar a relação de vcs aos olhos dele, pq ao terminar ele percebeu que seria dificil nao conviver mais com vc e por isso pediu pra voltar pois sentia muita falta. Eu acredito bastante nisso e é uma das confianças que tenho no meu namorado atualmente. Algumas pessoas precisam perder pra poder valor. É clichê, mas é muito, muito válido! ;)

    ResponderExcluir