Calmila Responde: Fazer a difícil nem sempre dá resultado.

11.22.2011 -



Olá Camila (:


Antes de começar com a pergunta quero te parabenizar pelo blog - que eu simplesmente A D O R O - e pela iniciativa de nos atender. Você como todas nós, deve ter milhares de problemas e, ainda assim, arranja um tempinho para ajudar. Obrigada, MESMO.

Sim, gente: o tempo anda curto. Mas sim: eu ao menos leio t-o-d-o-s os e-mails que vocês me enviam, e vou guardando todos pra que sejam respondidos. Só peço paciência, pois como já disse, dividir minhas preciosas 24h com o trabalho, dormir, a faculdade, o namorado e amigos é complicado. Pois agradeço aos elogios, e vamos lá.


Vamos logo ao que interessa. Durante a semana trabalho em um lugar. Num final de semana sim e no outro não, trabalho em outro. E nesse meu emprego de fim de semana, meio que conheci um garoto. E digo 'meio' porque o vi apenas de longe (ele trabalha na loja em frente a que eu trabalho). Nós ficávamos o dia todo olhando um pro outro e arriscando uma paquera. Mas nada demais, eram só olhares e eu nunca criei (muita) expectativa.

Até aqui, apenas normalidade. Legal o interesse por quem passe o final de semana como você, ralando.

Nesse meio tempo de ‘paquera’, descobrimos que o melhor amigo dele era amigo da minha melhor amiga. Confuso, eu sei, mas foi bem isso mesmo. Foi aí então, que ele deu o primeiro passo: pediu pro amigo o telefone da menina e pediu para ela o meu telefone. 


Ele foi atrás. Achei bem digno. Não é fácil pra um cara pedir pro amigo pedir pra amiga o telefone de quem apenas troca olhares. Pensa só.


Mas eu, louca de pedra que sou, apesar de estar com uma super-hiper-mega vontade de passar, resolvi bancar A difícil e mandei na lata um NÃO.

Sendo franca: se vocês estava REALMENTE afim, achei burrice. Que custava arriscar? Tem vezes que a gente se faz demais de difíceis e depois fica chupando o dedo, querendo quem já nos quis e agora não arrisca mais.

Ele não pediu mais, e daí em diante começou a conversar com essa minha amiga. Conversar até demais para o meu gosto. Fiquei toda enciumada, confesso. Ela diz que jamais ficaria com ele, e eu acredito (e mesmo que não acreditasse, o que poderia fazer?! Ele não é propriedade minha). Porém, acho que ele ficaria com ela. Que menino (normal) mandaria tantas mensagens pra alguém que ele não quer ‘pegar’?

Também acho que ele ficaria. É difícil homem ver apenas como boas amiguinhas quem não role um interesse, nem que seja secundário. Ele queria você, que não quis ele, e que tinha uma amiga pegável. Solteiros, eles arriscam até não poder mais - ou em quem não vingar, enfim.

Para tentar ‘reverter’ a situação, adicionei o garoto no Facebook e no MSN. Já até trombei com ele em balada e NADA. Ele nem olha pra mim. 

Se adicionou e não disse nada, a situação deve ter ficado tensa mesmo. Ainda mais se você não sabia todos os detalhes das mensagens e do contato que ele estabeleceu com a sua amiga. Agora, se você arriscou um "oi", ou  coisa do gênero, e nem assim, estranho mesmo. Ou, ele simplesmente perdeu o interesse. Tem ocorrido bastante no mundo de hoje.

Na verdade, até olha, mas ignora sabe?! Como se nunca tivesse rolado nada. Tá, eu sei, não rolou muita coisa mesmo. Mas e os olhares? E o fato de ter pedido meu número? Foi pra que? Pra nada? 

Por ele, teria sido. Por você, não foi. Ele tocou o barco. Como mulher, acho que você faria a mesma coisa. O erro foi ter bancado a durona até demais, amiga.

Andei stalkeando as fotos dele e sempre o vejo com uma menina. Ela parece ser apaixonada por ele, mas ele não demonstra lá muita coisa.

Provavelmente, alguma guria que ele está ficando, mas é mais pela comodidade que pela paixão. Ou ele não é de  demonstrar publicamente, ainda mais se não é nada sério.

Minha amiga diz que ele é todo durão e que vive dizendo que não quer se apaixonar. Ela jura de pé junto que somos almas gêmeas, porque eu também vivo dizendo isso (apesar de ser só uma máscara, claro). Eu não quero é que ninguém me veja chorando pelos cantos por causa de um babaca qualquer. Visto essa fantasia para não ser frágil aos olhos dos homens, para que eles nunca se sintam capazes de me magoar.

Mas guria, não existe controlar isso de "não vou me apaixonar e deu". É coisa que simplesmente acontece, e fim. Algum dia vem um moço bem corajoso e te tira a venda dos olhos sem que tu nem notes, vai por mim. Se machucar é consequência de tentar viver algo maior, só isso. E passa. E a gente arrisca de novo porque a adrenalina de estar apaixonado é absurda.

O fato é que, apesar de negar e usar todas essas máscaras e fantasia de durona: eu estou MUITO afim dele. Não o conheço muito, mas sei que ele gosta de rock, tem um cabelo super bagunçado, e é de escorpião. Tenho essa mania de me apaixonar por quem não me quer – ou finge não querer, que seja. O que eu faço? Esqueço o que não aconteceu? Ou tento fazer com que aconteça? Será que ele estame ignorando (só) porque foi ignorado por mim, ou porque não quer nada mesmo?

Tudo ainda está bem vago. Hipóteses: se essa sua amiga, é tão amiga dele, por que não fala sobre você? Converse com ela, e se nunca o fez, peça. Ela pode ser o "cupido". Caso ela não ajude muito, arrisque-se, oras. Não insistentemente, que a maioria aqui é mulher, mas louca só de vez em quando. Arrisca uma vez, conversa numa boa, vê se o papo flui. Depois, é a vez dele. É simples. Flertando como com qualquer outro: sem expectativas, com os pés no chão, e neurônios no lugar de sonhos futuros. Sempre arrisque no lugar de temer; por mais que doa, ou a gente quebre a cara, a recuperação sempre traz força junto. Boa sorte, menina!

Quer enviar sua pergunta também? Mande pra: camilapaier@gmail.com e espere lendo, ao invés de sentado.

1 Comentários:

  1. achei super interessante esta história e acho que a guria deve arriscar.
    Acho que depois ela deve nos contar o que aconteceu \o/

    ResponderExcluir