A primeira vez do amor

10.20.2011 -

Alguém havia me falado sobre a primeira vez do "eu te amo". E que depois de dita, a vontade é repeti-la milhões  de vezes ainda - nem sempre nos momentos de romance, fofuras e afins, mas que às vezes na dor a gente nota o extremismo sem limites de quando o amor nos atinge. Para mim, é na intensidade que salta à boca a frase que garante, anuncia e merecidamente o outro escuta - tão gritante - que pequeno a nós mesmo fica; e a consciência se toca, e as atitudes revelam, e os gestos comunicam. Compartilha-se e nem nota-se, já se ama e seja a vez que for, torna-se de repente, novamente a primeira. Ou a unica. Desejamos que também, a ultima.

Eu, que nunca amei ninguém além de familiares, me vi saber que amava outro ser de idade regular com a minha, homem, já com algum passado nas costas e um futuro todo pela frente. Era dia dos pais. Chorava sem parar, porque essas fatalidades da vida ocorrem em dobro para aqueles que se rebelam - e claro, me incluo exatamente no grupo de risco. Sem norte, sem chão e praticamente sem afeto, o momento foi triste, mas até então nesses dezenove anos de vida, nunca havia notado alguém que quer tanto o meu bem, tão mal exatamente por estar em frente ao meu sofrimento. Doeu, claro, mas notei saindo do carro, em lágrimas e infeliz, que podia além de contar com alguém, como confio em minhas amigas, uma possibilidade de quem me traga uma felicidade até então irreconhecível, porém tão nova e acima da linha de apenas o bem querer e uma amizade suportam. Não contentada em esperar até o ao vivo, respondi numa mensagem desinquieta que eu amava mesmo, finalizando que estava bem também e a único desejo no momento era ver o outro tranquilo e feliz, comigo. Sei que nos é ensinado que meninas, e então, mulheres, não devemos nos arriscar a dizer primeiro tais três palavras que compõe a fatídica frase primeiro sem ter certeza. O medo tentou assolar um pouquinho, porém eu sabia do meu - nobre, único, exclusivo e cada vez mais, grandioso - amor. E mais: tinha plena ciência que o outro tinha conhecimento de eu já tanto saber disso tudo.

Acredito também que a resposta postivia não se deu apenas por me encontrar num momento de fragilidade. Para construir um sentimento, é necessário um bom punhado de tempo, aliciado a pequenas atitudes de depois de um tanto conquistar do outro, nos faz ganhar apenas para nos perdermos: doamos um pouquinho da gente, colocamos o coração nas mãos firmes do outro e se faz tudo isso sem penar nem pesar; tendo um sorriso como estampa. Alguns meses, muita coisa passada por cima, e o resultado final não seria diferente. Apenas a incessante certeza de ter feito tudo certo, de usar do instinto que por vezes me toma conta no momento realmente necessário. Agora, que o amor está declarado, apenas tenho tido o maior cuidado para não deixar que se banalize ou tornar rotineiro algo que tão forte me fez chegar ao ponto de declarar ao outro que orbitava já internamente, em mim. Até porque, quem ama não precisa dizer: age, demonstra e com pequenas atitudes, algumas surpresas em quintas-feiras frias ou finais de semana inesquecíveis dizem pela gente.

A cada briga, me propus a repetir o que tantas vezes já disse, desde então. Para que se esfrie os animos, para que na mente fixe o tanto que a gente sente ao invés de se piorar os atritos.
Concordo que, quando estamos em período de TPM o cuidado talvez possa ser maior, e a frase, prolixamente empregada. Feito remedinho, como profilaxia barata, porém, de poderoso efeito. Substitui muita paranóia, chocolate e choro à toa. Treinem, meninos!

15 Comentários:

  1. queeeeeeeeeeee lindooooo camila DEus abencoe e conserve vcs assim sempree...
    me visita lá um bjuu

    ResponderExcluir
  2. Menina, Camila você arrasou! Muito lindo, lindo e lindo! Excelente vir aqui e ler um texto desses logo de manhã!
    Obrigada por proporcionar isso, e que se façam presentes muitos " Eu te amo" em sua vida!

    Beijos ;*;*;

    ResponderExcluir
  3. "A cada briga, me propus a repetir o que tantas vezes já disse, desde então."
    Eu, que sou tão controlada e por muitas vezes, não ligo para meu instinto, não me arrependo de pelo menos uma vez, ter tomado coragem e falado tudo que sentia. Bom, o resultado é a minha plena felicidade hoje em dia.

    Texto linda Camila, mais uma vez.

    ResponderExcluir
  4. Texto lindo!

    Espero a minha vez para um dia dizer com tranquilidade e para alguém que igualmente mereça ouvir ta´s palavrinhas!

    Felicidades moça,muitas felicidades a amor para vocês!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Foi me ensinado que: Mulheres nunca devem gostar mais dos homens do que eles delas. É estranho, porque não mostram como fazer isso, resultado idealização, sofrimento e a incessante espera das três palavrinhas.
    Porém, aprendi que homem ama com gestos. Aí dói mais ainda, quando vc percebe que os gestos dele não correspondem ao seu querer.
    gostei do texto.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Lindo demais , acho incrivel camila como você consegue passar o que você ta sentindo para textos tão maravilhosos e eu me indenficar cada vez mais com o que você escreve é bom saber que existem sentimentos que não são exclusivamente nossos,assim como é bom ter você como uma ''amiga virtual'' , e não é ? belissimo texto , continue assim graciosa como sempre , te adoro querida (L)

    ResponderExcluir
  7. Que amorrr! Mesmo não estando na mesma vibe que tu, curto teus textos apaixonadosss. O amor é lindo, né? hahah Beijos lindonda!

    ResponderExcluir
  8. Esses textos dessa fase "apaixonada" chegam a dar vontade de viver um amor, lindas palavras Camila (:

    ResponderExcluir
  9. Nossa Camila, seus textos sempre muito bons e cada vez mais surpreendentes! Acompanho seu blog há um bom tempo, mas acho que é a primeira vez que comento. Admiro muito voce e sua forma de escrever, e só mais uma coisa, o seu texto "ele nao te quer"(acho que esse é o nome) é simplesmente perfeito. Voce postou ele em um momento exato que eu precisava abrir meus olhos, e a partir daí me tornei sua fä =). Ahh, meu nome é Camila também, haha. Comentarei mais vezes. Um beijo =)

    ResponderExcluir
  10. Acompanho tem quase um ano, ou um ano e alguns meses... Sei que continuo me encantando com teus textos, torcendo pela tua felicidade e sucesso. Não tenho certeza se ja te disse isso, mas repito, vez ou outra venho aqui buscando paz. Os textos antigos e novos, independente do meus estado emocional, sempre me fazem abrir um sorriso, derramar uma lágrima... Pensar, re-pensar em muitas atitudes minhas, ou semelhanças na vida das muitas que mandam sua perguntas aqui!
    Tenho muita gratidão por quem me apresentou teu blog, desde então, sempre que possível to aqui.
    Parabéns por todos esses textos maravilhosos. Não vejo a hora de sair um livro teu! :)

    ResponderExcluir
  11. LINDO! Amei esse texto. Me lembrei do meu primeiro "eu te amo" pra um namorado que tive, apaixonada por ele, falei antes dele dizer, sem medo de ser feliz. E sabe o que descobri? Que valeu muito a pena, porque o que vale é o que a gente ta sentindo, aqui dentro, hoje e sempre. Beijo Camila. E que continue amando. Amando o namorado, a família, o seu dom, a faculdade, o ursinho de pelúcia. O importante é não deixar de amar!

    ResponderExcluir
  12. Amei! que cada "eu te amo" na sua vida continue sendo mais forte e sincero a cada dia!
    Você supera muito as espectativas a cada texto! continue escrevendo, leitoras e 'suspiros' é que não faltarão aos seus textos ;)
    beiiixoo

    ResponderExcluir
  13. As três palavrinhas. Por muitos banalizadas. Por outroa ainda nunca ditas por medo, insegurança ou o que for, mas quando se tem certeza, fale.
    Assuma mesmo! E ame, ame muito. No sentido mais irrestrito da palavra. Ame com os olhos, com os gestos e com um sorriso ao dizer de coração o que se sente verdadeiramente.
    O que é sincero tem muito mais valor.

    Lindona, tá cada vez melhor esse blog, se é que isso é possível :D

    ResponderExcluir
  14. É lindo mas quando estou com raiva não sai, de jeito nenhum da minha boca. rs

    =*

    ResponderExcluir