Pequenas e irritantes "regrinhas"

10.27.2011 -

Espere ele vir falar com você. Caso ele não venha, vá atrás uma única vez. Se vocês conversarem já há alguns dias, cada um tem a vez para chamar o outro por mensagem instantânea. Ele não chamou você? Espere. Não se atire, não se jogue, pareça "fria-controlada-indiferente" e ele dará muito mais valor. Faça-o esperar para ter sexo, mesmo que você queira muito. Suma quando brigarem. Saia sozinha, para que ele sinta a sua "independência". Não ligue no dia seguinte. Apenas cumprimente quando esbarrar com ele em festa. E todo esse sistema que nos limita a sermos blasés e indiferentes, quando na verdade mesmo, gostaríamos de ser marcantes heroínas que chegam na vida do cara pra mudar de vez. E pra melhor.

Seguir regras, para mim, sempre foi um suplício. Em casa, nos colégios em que estudei, e mesmo em lugares públicos, há sempre limites tênues, que se quebrados, nem fazem estardalhaço. Às vezes me revolto, incompreendo métodos e doutrinas, e enfim, quase nunca sigo à risca o que me impõe. Acatar ao resguardo nos faz evitar muitos percalços, uma boa quantia de desilusões - porém, por outro lado, alimenta a masculinização dos relacionamentos, o que faz com que o padrão de termos sempre que estar esperando que ajam, ao invés de agir, permaneça ao longo das décadas. Tem diminuído, eu sei. Contudo, continuamos reféns de atos (ou da falta dos mesmos) do lado dos moços que vêm de Marte. E a cartilha das meninas repreende quem não segue os mandamentos de não amar demais, demonstrar de menos, falar pouquinho e parecer comportada e bem adestrada, mesmo quando na realidade não se é.

Se está afim, vai lá e tenta: que a gente acha que sabe de tudo, mas dos mistérios das pessoas sabe pouco demais, mesmo quando se conhece bastante. Acredito nas válidas tentativas de se tentar a felicidade, ainda que a cicatrização apenas é apenas acelerada quando por pouco tempo nos doeu e já foi. Se ontem foi esplêndido, não se sinta corrompida pelas opiniões alheias que falam tanto, mas não nos dizem realmente nada de útil. Ter a intuição como atriz protagonista quando nós mesmos só conseguimos coadjuvar se torna necessário ao longo dos anos que passam. Crer mais no que se sente internamente, na bondade de com quem nos relacionamos, no contorno que a vida dá aos dias. 

Quanta menina que espera namorar para transar, e é largada por aí assim que acontece? Quanta garota que não liga, e o moço não liga e os dois quase se envevenam de tanto orgulho? Ou que some, e ele nunca mais reaparece? E que fica sem entender mais nada, porque não seguiu o que acreditava mas, simplesmente "o certo a se fazer". Quem é que nos diz, depois de certa idade, o que é certo o que a gente precisa que seja? Só a gente, feliz, ou infelizmente. Que a gente beije quando sentir vontade, saia quantas vezes e com quem desejar, vá para cama (com segurança e cuidados necessários, sempre bom reforçar), quando o feeling nos tomar conta. Há tanto relacionamento por aí que venceu barreiras, preconceitos, quebrou tabus e continua de pé, justamente por ser forte o suficiente para se fazer o que bem entender, com espontaneidade o bastante para ser maior que qualquer regrinha que outra que os comportamentos não sigam. Que se mantenha a vontade própria no alto das prioridades dessas nossas vivências. Nada no mundo é tão insustentável que não nos faça suportar com decência. Que o respeito mútuo seja a única necessidade vital da vida a dois, que a gente namore quem nos der vontade, que aja de acordo com os princípios que escolheu para si, que não se deixe enganar fantasiando ser quem por tempo suficiente nossa autenticidade não permite. Sem regras, só o amor.

15 Comentários:

  1. Só amor, tão lindo e verdade. Esperar as vezes não te leva a lugar algum.
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza.. Devemos fazer o que queremos, na hora que queremos, contanto que não atinja ninguém. Adorei o texto :)

    ResponderExcluir
  3. "Sem regras, só o amor." Quanta perfeição em um só texto, Camila. Parabéns, como em todos os outros, esse foi mais um texto maravilhoso! Sou sua fã.

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, amei!
    Fui criada com aquela história de “guria não corre atrás de guri, pra não parecer atirada demais”, mas quando conheci meu noivo, eu senti que precisava, sim, correr atrás antes que alguma outra guria o fizesse. Então eu cheguei e me apresentei a ele, e hoje estamos juntos e felizes... Se eu não tivesse “quebrado” essa regra, isso jamais teria acontecido.

    Enfim, o blog está cada dia melhor, Camila.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Acho bonito demais meninas que tem coragem de assumir que querem e tomar uma iniciativa, pra que esse comodismo? Essa lei do espera que ele vem? Magina, ele vale a pena? Vai oras. Antes que outra não-vítima das "regras irritantes" o faça. Nada de correr atrás, apenas demonstrar interesse também, que isso não mata, né? É até um diferencial, no meio de tanta garota que fica esperando ligação do dia seguinte..
    Ah dona Camila, falar o que desses seus escritos? Preciso disso na minha mesa de cabeceira *-*

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Sabe por que eu acho que de tantos leitores, nem tantos comentam? Porque seus textos simplesmente tem o hábito de dizer tudo. Não tem o que completar, só elogiar. Então é isso, né? Parabéns Camila, por mais um maravilhoso e completo texto.

    ResponderExcluir
  8. Sem regras só o amor! Avante nessa campanha! haha

    Perdemos muitas coisas, muitos que poderiam ter sido bons momentos por medo de quebrar as regras! Estava a pensar isso esses dias, tantas coisas que não disse, que não fui avante por medo de quebrar as regras ! Temos sim que ir avante, se queremos mesmo vale a pena!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Quer coisa mais inadequada que essas regras?Dá nojo entre em sites e ler em revistas esses joguinhos de sedução? Pelo amor!Vamos seguir os impulsos, ligar se tiver coragem, chamar pra sair se achar que deve!Tão lindo o natural e fazer aquilo que nosso 'instinto' manda! E daí que um monte gente vai ficar dizendo o que acha e não acha?E pode acontecer de não surtir o efeito desejado e bater aquele sentimento de 'não devia ter feito'; mas é a vida, certo?Quem disse que tudo são flores?Vale o aprendizado!!! QUERIDAS OUÇAM A CAMILA E ESCREVAM EN SU CORAZÓN: Sem regras, só o amor. Arrazou, Camila!!!

    ResponderExcluir
  10. Parabens pelo texto , adorei ... eu também nunca gostei disso , faço o que eu quero, peço conselhos para minhas amigas, mas eu sigo o que eu penso e acredito, não gosto de regras tb , se eu tiver afim não vejo problema nenhum em ligar , mandar uma mensagem algo do tipo, se não der certo vai ver que não era com ele, e um dia de tanto tentar eu acerto. Obrigada camila pelas sábias palavras , continue assim você é maravilhosa !
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Muito bom esse texto. Eu também sempre tive dificuldades em seguir as regras. Faço o que tenho vontade (com responsabilidade, claro), só sigo o que sinto. Me recuso a seguir cartilhas, acredito no momento, e no que meu coração manda. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. ei, Camila, o texto foi demais!
    Esses dias estava conversando com um amigo e o assunto era exatamente esse.
    Eu que nunca fui de seguir essas regrinhas que a sociedade insiste em impor, posso dizer com total segurança (sei o que estou falando, já que passei por isso), que fui e sou feliz só quando escuto o que meu coração quer.
    Por isso quando quero, ligo, brigo, falo. E não me arrependo, pois fiz quando quis e no momento que precisava.
    Não vale a pena ouvir aquela amiga que tá preocupada mais com o que vão falar de você do que o que voce tá pensando e o que ta sentindo.
    Esse texto ficou ótimo. E essa regrinha, bem, eu encorajo as meninas a quebrarem ela.

    ResponderExcluir
  13. achei divino o seu texto.
    Estava passando por isso.
    e as pessoas diziam: calma...vc ñ acha que isso tá muito rápido?
    e eu chegava em casa desesperada pensando se realmente estava indo rápido demais, e dava desculpas, mas no fundo eu sabia que poderia ser rápido mas que estava me fazendo um bem danado, maior do que as vezes que esperei para ser no "momento certo".
    Adorei o texto.

    ResponderExcluir
  14. Mais uma vez, certíssima! Como num post do "calmila responde", vc havia dito q oq as amigas e os outros em geral falam pra nós, nao temos que nos sentir na obrigação de acatar tais ideias, afinal, é a vida de cada um...cada um sabe bem como conduzi-la!
    Obrigada por continuar escrevendo de forma envolvente e clara para todas nós "calmileiras de plantão"!
    beijo grande!

    ResponderExcluir
  15. Concordo! E acho q devemos seguir o q achamos certo, as consequências serão de quem mesmo??
    ótimo texto!
    cada vez melhor!

    ResponderExcluir