Dicas para meus dois menores

10.26.2011 -
 
Muito quis me fazer presente e acompanhar o desenvolvimento de vocês dois, menores que eu. Atuei quase como uma segunda mãe em momento que se fizeram necessários; tirando maturidade de onde nem sabia possível existir, inventando maneiras de que, do jeito que fosse, e sem a mãe e o pai presentes, alguma autoridade ainda imperasse dentro do lar. Pois então, eu agora vivo longe. Na mesma cidade, em bairro comum, porém, talvez de espírito. As vezes que vi vocês dois não foram a mesma coisa. Sei que muita coisa se perde quando a gente se afasta, mas não deveria ser assim, quando o que nos enlaça em outrem é o sangue e as memórias infantis.

Comam toda a comida que a mãe faz. Ela sente orgulho de ser boa em culinária e cozinhar aqueles suculentos pratos italianos que não conseguiam me deixar magra de jeito nenhum. Repitam, lambuzem o prato, peçam mais. Não reclamem nunca, até porque como muito já disse a vocês, tem criancinhas que infelizmente passam fome nas ruas e para sobreviver, vendem balas de goma em ônibus ao dia, ao invés de estarem estudando. Estudos, sim. Outra dica que dou: aproveitem. Reclamamos sempre e tanto do colégio: que as matérias são insuportáveis, que os professores são velhos e não sabem viver a vida com felicidade, que as provas são um saco, mas esperem só até entrarem na faculdade, e mais que exames, vocês tenham que correr praticamente uma maratona por dia para cumprir horários, obrigações, e ainda assim - continuar estudando. Mente que para é mente que não evolui.

Aliás, leiam bastante. A casa é cheia de livros, alguns até meus - muitos deles femininos, infelizmente - porém, devorem feito traças o que aparecer na frente e que possa deixar vocês bem informados. Lá adiante, acompanhar as mudanças temporais que o mundo e a sociedade vem desempenhando pode ser um diferencial. Quando os pais quiserem sair ao ar livre no sábado e no domingo para aqueles parques e lugares com natureza, vão. Nem titubeiem, não discordem. Hoje, passando os dias que posso com meu namorado, tento aproveitar ao máximo cada lapso solar que enfeita os finais de semana. Faz bem, dá vitamina D e deixa com que vocês dois, ainda tão pequenos e com tanto mundo para descobrir, gastem um pouco da energia motivadora que faz com que, ocasionalmente, baguncem a casa de tão absortos nos seus paralelos imaginários.

Assistam menos televisão, usem pouco o computador. Andem bastante de bicicleta, que sei que vocês gostam bastante. Apaguem sempre as luzes, puxem as descargas, façam as camas quando der. Tentem não me odiar muito, porque mesmo de longe, penso em vocês pelo menos umas quatro vezes a cada dia. Aproveitem para ter pais que já sabem agora como é criar um filho, com a experiência de quem me criou mas titubeou ao deixar ir pro mundo.

12 Comentários:

  1. Lindíssimo! =) De um cuidado e amor incondicional visível em cada palavra! Ah, se pudéssemos conservar essas crianças sempre assim... Como crianças! ;)

    ResponderExcluir
  2. L I N D O camilaa, lindo mesmo *-* Tenho um irmão mais novo e, meu Deus, como me lembrei dele agora, lendo o seu texto! Parabéns pelas sábias palavras e por me trazer à tona uma lembrança tão singela e tão importante!

    ResponderExcluir
  3. Fraternal quase materno, sincero, doce, único... LINDO!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, adorei esse texto.
    Tenho um irmaozinho e vivo longe dele. Mas sempre me dá um aperto no peito por não estar por perto.
    Enfim, me emocionei!

    ResponderExcluir
  5. Que lindo! Guarde isso para sempre, pois pode ser que os seus dois pequenos agora ainda não entendam o que (e porque) esse belo texto foi escrito. Mas, um dia, quando a vida insistir em retirá-los do infância e jogá-los de vez no mundo cinza e frio dos adultos, ler esse texto, vai fazê-los sentir essa proteção e amor que chega, mesmo a distância.

    ResponderExcluir
  6. Lindo, lindo! Amor de irmão é bem isso mesmo. E o melhor, é que o tempo mais une do que separa, a medida que os irmãos crescem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Nossa. Dá um medinho quando fala que a gente vai ter de andar com as próprias pernas. Muito medo. Mas, você tem razão. Vamos ler para entender o mundo e não nos subordinar a mídia, modas e etc..

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o texto

    Visite (siga) antimateriadonada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. É por isso que sempre quis ter irmãos mais novos. Lindo, Camila!

    ResponderExcluir
  10. Que demonstração de amor lindaguria, esse seu pequeno "manual", só me confirma o que eu já imagino, o tanto que você é uma pessoa maravilhosa haha!
    Parabéns :*****

    ResponderExcluir