Aprendiz

10.11.2011 -

A saúde anda ótima, já que o amor, além estar sendo correspondido, consegue de vez em quando enviar também correspondência com a racionalidade, esse freio que apenas o cérebro consegue manejar quando o peite insiste na aceleração. Sem medidas, apenas com a gritante e submersa sensação dos dias que correm, das semanas que se atropelam, dos meses que se acumulam enquanto eu, humana, errante e talvez por este mesmo motivo, adorável, observo a fermentação e o crescimento disso que sinto na dimensão de quem nunca viveu nadinha disso antes.

Com paciência e discernimento que você tem, deve ser complicado assistir aos erros de quem antes se negava a dividir a vida com qualquer um. Nenhuma pessoa que fosse. Amigas, mãe e só. Eis que surgiu, então, quem além de me fazer sorrir em boa parte do tempo, saber conversar sobre uma vasta gama de assuntos, se vista decentemente e corte o próprio cabelo, e num passe de mágica ou numa manha adquirida, fez ruir o muro que ergui para todos os seres comuns que teimavam em me aparecer. E eu, sempre tão incontrolável, me vi domada pela calma que alguém mais interessante que um mundo inteiro se dedicava a me mostrar, para que quisesse ser assim também. Para quem nunca havia confessado a ninguém além de membros da família, foi fácil esplanar a certeza de sentir algo muito mais forte que gostar, e que corre além de apenas ter respeito. Amor.

Tenho aprendido tanto a vedar meus impulsos, a desclassificar minha onipotência, que deixa de ser um aprendizado doloroso como naquelas vezes em que somos menores, caímos e choramos. Ou então, insistimos no erro, afim de qualquer dia, por mera sorte, acertar também. Dói um pouquinho dar essas cabeçadas no lugar do que deveriam ser apenas delicados gestos e doces palavras, para depois escutar ainda alguns defeitos notados no meio do caos. Porém, vejo que tudo isso seja necessário, talvez. Passar por essas fases de ajuste um ao outro, ao se conhecer cada vez mais a fundo, é efeito colateral para um futuro onde já sei saiba como proceder quando a loucura iminente tomar conta. Na minha inconstância de viver, deixar que a letargia de um relacionamento bom, aconchegante e valoroso me atinja tem sido fácil, aliás. Primeiro em tantas - e importantes - coisas, fatos, gestos e dizeres, desejo eu, tão diferentes que somos e evidente que, para estar juntos, muito nos gostamos, fosse você o único.

Difícil encontrar por aí quem se preste a encontrar todas as tantas pintinhas pelo meu corpo - e que goste em especial da que fica acima dessa minha boca que se cala apenas quando muito cansada ou realmente abatida. Esse alguém que ri do meu espirro trancado e agudo, mas que beija às vezes mais o risco que separa meu nariz e até mesmo desconheço porque existe - tamanho o amor. Ou, mesmo com sono e cansado, aceita meu desvario hiperativo. Tão bom aprender com quem, sabe dessas maturidades da vida, mas ao invés de lecionar passo a passo, acaba ensinando só de agir assim terno. Porque se eu escolho ser boa, é por saber depois de cada dia cansativo, tenho para quem deixar que, por telepatia, minha mente corra e a parte boa dos meus melhores pensamentos corra atrás. Mesmo que não ao vivo, juntos.

9 Comentários:

  1. Tava meio sumida daqui, mas quando volto, me encontro e reencontro em teus textos perfeitos ein guria? Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Os seus textos nessa fase de comprometida tem irradiado felicidade e amor! Estou amando, que os dias sejam cada vez mais doces pra que você venha aqui e nos presenteie com esses parágrafos tão bonitos!

    ResponderExcluir
  3. É tão especial esse momento de amor .

    Belíssimo escrito!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que coisa mais bela!!
    Deve ser muito bom quando encontrar com esse amor confortavel que cresce junto, a dois!Ir aprendendo aos pouquinhos e realinhando os defeitos para que sejam bons nessa coisa forte que é o amor!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. a melhor coisa quando se namora é sentir paz, que ta tudo tranquilo, tudo bem... qdo vc sente que encontrou a pessoa certa! :) e mais uma vez: os textos dessa fase pra mim são os melhores!

    ResponderExcluir
  6. ah, e corrigindo: espero não ser só uma fase, espero que seja bastante duradouro e se possível eterno! felicidadeeeeeees!

    ResponderExcluir
  7. Como é bom o amor, assim doce, assim alegre, assim hiperativo, assim companheiro, assim verdadeiro: único e só nosso!
    O amor anda temperando divinamente seus escritos, que assim permaneça!

    beijos.

    ResponderExcluir
  8. Amo seus posts, sem dúvida.
    Estava ouvindo esta música http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=Yaj3D8VcjVg e lembrei do blog, vim pra cá *-*

    ResponderExcluir
  9. Ah, Camila!No tão distante 2010, você escreveu um texto pedindo que ano novo -2011- viesse com um amor: amor correspondido, real, forte ... E aí ein Camila? A vida sorriu pra você e te abençoou com um namorado que te agarada e faz feliz.Não deixa de agradecer à Deus por te permitir viver algo tão lindo! E agradeça à ele, o boy, por mim!Ou melhor pelas leitoras, já que ele é beeem culpado por tanta inspiração e textos lindos! Aproveita, Camila!Desejo toda felicidade e amor pra você nessa relação!
    P.S.: Ei, cupido não se esqueça de mim! Dá um pulo aqui no RJ, que eu tô facin, facin.

    ResponderExcluir