Intensidade é mesmo um diferencial

9.05.2011 -
Meus queridos, abaixo postarei uma entrevista que fiz em comemoração aos quatro anos do Blog Novas Ideias, do amigo Weslley Talaveira. Eu gostei bastante do resultado final, e espero que seja essa a opinião de vocês idem, ao finalizarem a leitura. Tentei amostrar meu lado menos calma e mais Camila possível. E acho que deu certo. Segue:

"Intensidade é um diferencial": entrevista com Camila Paier @camilapaier

Ela segue o mesmo caminho de escritoras que vem fazendo sucesso como Martha Medeiros e Tati Bernardi, mas com uma diferença importante: se as outras são mulheres maduras que fazem de um tudo para entender a cabeça das adolescentes, Camila Paier é tão jovem como a maioria de suas leitoras. Gaúcha de Porto Alegre, Camila estuda jornalismo e trabalha em uma agência de comunicação. E ainda assim encontra tempo para se dirigir a corações adolescentes sedentos de uma palavra amiga. Aliás, “amiga” talvez seja a palavra que melhor defina Camila Paier entre suas leitoras: meninas de todas as idades a procuram em busca de um conselho, de um comentário, ou simplesmente em busca dos textos postados semanalmente em seu blog pessoal, o Calmila – uma junção de “calma, Camila”. É quase impossível não se identificar com um blog que desde o título já deixa claro que tem como objetivo compartilhar crises e trocar experiências.

Blog Novas Ideias: Muitas de suas leitoras te tratam como mais do que uma blogueira. Algumas têm em você uma amiga. Como é sentir isso?
Camila Paier: É gratificante. Escrever e saber que, pessoas te lêem, literalmente, e se identificam é um dos motivos que me faz continuar.


Percebi que garotos visitam seu blog. O que você acha que os leva a visitar um blog feminino?
Acredito que, a maioria do meu público "masculino" é trazido até o Calmila por suas amigas, namoradas, confidentes. Muitos meninos querem ler o que a garota compartilhou no Facebook ou Twitter, e diz ser perfeito para ela, ou que se enquadrou completamente. Alguns outros, são garotos que também, de alguma forma, se identificam. Acho as duas vertentes bárbaras.


Acha que as adolescentes de agora são mais românticas do que foram nossas mães?
Acho que o romantismo mudou sua face, talvez. Nossas mães (a minha, ao menos) escrevia em diários onde recortava, colava e fazia o que dava na telha afim de ficar bonitinho e sentimental. Esperavam ligações sentadas no sofá, não beijavam cinco caras numa festa. Tudo isso, de certa forma, influenciou o romantismo, sim - na minha opinião. Quem é romântico no dia de hoje, é com convicção, com intensidade (o que acho mágico, delicioso). No meio de tanto sentimento banalizado, quem ainda consegue amar e exprimir isso se torna quase especialista.


Algumas pessoas dizem que as adolescentes de hoje são muito “dramáticas”, pois lidam com experiências simples como se fosse “o fim do mundo”: um namoro que não deu certo, um ‘não’ que ouviu de alguém. Você sente isso nas suas leitoras?
Sinto, e sou também. Sei que dramatizo e dou uma importância indevida a fatos pequenos, situações que deveriam ser tratadas racionalmente e com cautela. A verdade é que quando algo importa para gente, é difícil anular a parte que nos faz sentir na pele o aperto e a loucura. O drama hoje é quase uma bengala para que a sociedade pare um pouquinho e olhe atentamente essas moças que sentem demais, amam demais e choram demais. Intensidade também é outro grande diferencial nesse mundo de superficialidades.


Um dos livros da escritora Tati Bernardi se chama “A Menina que Pensava Demais”. Você acha que as meninas de hoje pensam demais?
Falo por mim, que com certeza, penso demais. E graças a Deus, consigo exprimir toda essa minha obssessão pensativa em forma de palavras. Alivia.

Como você define o “homem perfeito”? Acha que os homens de hoje estão mais atentos ao que as mulheres pensam?
Difícil falar, estou comprometida no momento. Acho tudo tão maravilhoso no meu namorado que poderia dizer que é ele, mas seria um equívoco, talvez. Temos nossas diferenças. Por fim, não existe homem perfeito, na minha opinião. O que existe é cara bacana, momento ideal, duas vontades parecidas e sinceridade no olhar. Não sei se atualmente há esse olhar direto masculino sobre as necessidades da mulher. Acredito que nós, meninas, é que andamos mais sinceras e diretas, sem medo de dizer o que queremos, precisamos ou desejamos.


Quando surgiu a idéia de criar o Calmila?
Não surgiu, apenas criei. No início, era mais um diário com desabafos sinceros e minha identidade preservada. A coisa foi tomando uma tal dimensão que, um certo dia, resolvi investir no que pessoas que nem ao menos sabiam meu nome ou viam meu rosto admiravam. E tem dado certo.


Você teve alguns problemas com plágios em seu blog. Conseguiu resolver?
Ainda é complicado falar de plágio no Brasi. É triste. As leis brasileiras não prometem, não preservam e nem fazem jus aos ótimos escritores, blogueiros, criativos e afins maravilhosos que o país possui. É complicado você sentir tudo que está escrito ali, colocar pro papel (ou no meu caso, no rascunho do Word ou Blogger) e do nada, vir um indivíduo que acha tudo aquilo lindo mas em momento algum o venera a tal ponto de creditar suas idéias e sensações.


Pensa em lançar algum livro?
Sim, já estou com projeto em editora e tudo. Não só um, as ideias que possuo para publicar mais além são diversas. Complicado é parar, ter tempo e de fato redigir. Depois disso, só falta plantar uma árvore e ter um filho para meu legado pro mundo ser completo.


Pra encerrar, gostaria de deixar alguma mensagem aos leitores do Blog Novas Ideias?
Amem, amem com vontade e sem medo. É do que o mundo mais tem precisado. Vários beijos!

8 Comentários:

  1. Vi tua reclamação quanto aos comentários e vim aqui dar o meu parecer. haha..
    É inexplicável a ligação que eu tenho a você por meio das tuas palavras. Também tenho o prazer da escrita e sei mais "de pele" cada situação em que passas, cada descrição.( Ou pelo menos imagino)
    Te desejo muita luz e sorte nessa caminhada ao sucesso e gravo na minha agendinha teu nome, porque sei que no futuro muito escutarei falar sobre.
    Parabéns Paier, e continue sempre encantando à mim e tantos outros leitores, arrancando longos suspiros no calmila.

    =)


    Laissez Vous.

    ResponderExcluir
  2. Camila,

    Sabe é muito bacana essa carinho que sinto por você. Não somos amigas, não conversamos e nem trocamos confidências mas pra mim é como se fosse, porque, sempre de alguma forma, você consegue expressar o que gostaria e que, infelizmente, não consigo.
    Talvez até consiga mas não atravez da escrita.
    Admiro muito o seu talento e espero que nunca se desanime, pois vai valer a pena. E que quando o desanimo surgir, você respire, calma, camila como o próprio nome do blog sugere.
    Um beijo enorme de uma leitora assídua, que te admira como escritora e como pessoa. E que esse seja só o começo.

    ResponderExcluir
  3. Camila, como mencionei no twitter, suas palavras foram fantásticas nesta entrevista, não só aqui, como em todos os poucos textos teus que tenho acompanhado. Confesso que leio seus tetos meio na surdina, sem tempo para comentários, mas saiba que sempre que posso (entre artigos e pesquisas) sempre dou uma passadinha para ler algo novo. Saiba que essa sua nova fase apaixonada me identifica mais, sou uma eterna apaixonada e também acredito que o mundo precisa de mais amor, de pessoas que amem intensamente em vez de buscar intensamente o ódio...
    Torço para que teu livro saia, já que sou amante de um bom livro com cheirinho de novo. As leituras por computador ainda não substituiram meu vício pelas folhas!hehe!
    Um grande beijo e sucesso nessa sua jornada

    ResponderExcluir
  4. Desculpe, mas não consegui colocar meu nome no comentário a cima, este é um blog que tentei fazer, mas como disse, sem tempos para finalizar! Bjinhos Aline Londero

    ResponderExcluir
  5. Entrevista ótima, Camila Paier!! Muito bom ver o reconhecimento daquela que para mim é a mais intensa e fiel amiga cibernética! Seus textos, conselhos, exposições de opinião, enfim, tudo me agrada bastante. Amo o Calmila, e porque não dizer: amo você! Por me proporcionar ótimas leituras comentadas -seja pelo telefone ou em reuniões de filmes- com minhas amigas e até com AMIGOS,e além disso, causar-me sensações que nem eu mesma sei explicar: algo como alegria e conforto, sabe? Por saber que nesse mundo o qual tantos desperdiçam com rivalidades e sangue, existe sempre em um lugar palavras e pessoas que se entrelaçam e progridem em seu "legado" aqui para o melhor de todos!
    Beijo, super beijo! Cheiro na alma!

    ResponderExcluir
  6. É tão bom acompanhar seu sucesso!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Leio o blog há um tempo já e é gratificante ver que também já te conheço um pouco, mesmo sem nunca ter te visto. Eu lia a pergunta, pensava no que tu iria responder e era isso que encontrava. Como ta escrito aí, tu é mais que uma blogueira. Muito mais! =)

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua entrevista Camila!Tinha um tempo que não comentava nos textos mas continuo acompanhandoe admirando seus escritos e novidades aqui! Um beijo!

    ResponderExcluir