Calmila responde: Escolhas do vestibular

9.30.2011 -

Antes de falar qualquer coisa, gostaria de te parabenizar por ter aberto esse espaço interativo onde em cada história contada é possível aprender com os medos, as alegrias e decepções sofridas por outras pessoas. Parabéns querida.

Muchas gracias!

Agora, o que de fato me traz aqui é aquele tipo de dúvida que cola na mente e tem me perturbado: o vestibular. Estou no terceiro ano do Ensino Médio e esse ano, tão diferente de todos os outros, é o único no qual "passar de ano" não é o maior problema. E sim, a escolha da profissão. Confesso que esse dilema surgiu agora, pois desde criança quero ser médica e cheguei ao terceiro ano acreditando que de fato seria isso.

Certo, vamos por partes. Segui anos imaginando que me tornaria advogada, juíza ou em qualquer outro cargo que tivesse como curso superior o Direito. Argumentativa, de opinião forte e outras coisas, acredito que desde meus doze anos meus pais, que sonhavam com uma carreira estável para mim, e o restante dos familiares viam uma jurisprudência em mim que, depois de prestar vestibular e cursar por um semestre, vi não existir. Ou seja: ao longo de alguns anos, quando já temos suficiência em moldar opiniões e sermos influenciados, acabamos talvez nos deixando deslumbrar um pouquinho com sonhos que não cabem na gente - por sermos maiores em autoconhecimento, com certeza. Meu terceiro ano gerou dúvidas, fiz acompanhamento vocacional com uma psicóloga (o que muito recomendo, para mim, adiantou), mas ainda assim: apenas você mesma poderá se escutar e ver o que realmente deseja. Fiquei entre três cursos, e passei em todos os vestibulares que desejei: um em Direito, outro em Moda e outro ainda em Jornalismo, o que aprendo hoje em dia. Se sou totalmente satisfeita com o curso que escolhi? Nem sempre. Acho a dúvida perfeitamente normal.

Mas acontece que ultimamente não sinto mais aquele fervor, aquela vontade de seguir nessa carreira. Não sei se essa dúvida de ultima hora é por  toda a tensão, o estresse, o cansaço de livros e mais livros. Mas estou preferindo acreditar que até os sonhos mais sonhados possam nos cansar por um determinado período.

Também. Mesmo coisas que a gente quer muito, fogem de serem perfeitas. E isso é que é o mais magnífico de tudo: a enormíssima capacidade em nos surpreender, sendo maravilhosas novamente. Há o lado ótimo e algum complicado, qualquer situação ou escolha que seja. Agora, esse seu dilema talvez possa servir como alerta para você ler mais sobre o assunto, conversar com pessoas que já estão na faculdade, com profissionais do ramo, ou quem sabe, como eu fiz, uma psicóloga. O autoconhecimento é válido pra vida.

O coração fica apertado em uma super indecisão! E pior é que me falta coragem de comentar isso com meus pais, vão ficar mais confusos do que eu. As inscrições das faculdades já estão feitas, todas para medicina e eu nessa indecisão. Não sei mais o que fazer!

Eu sei, guria. E é normal. Porém, se tem te incomodado tanto, fale. Seja sincera. No calor do momento pode ser que eles não compreendam, mas mais tarde, quando tudo isso se fizer passado, a sua atitude em ter sido transparente será reconhecida. Acredito que eles podem ficar chocados, e tudo o mais, mas compreenderam. Faça os vestibulares, contudo. Não fuja, experiência é sempre importante. Mesmo que você note que Medicina não é a sua área.


Ufa! Falei. Isso está tão dentro de mim...Tão perturbador. Algo engasgado e que não faço a mínima idéia de como fazer passar. Bom, sei que já posso te agradecer, por ser alguém que vai ler sem julgamentos e me auxiliar com sinceridade. Muito obrigada! Um grande abraço e tudo de melhor para você.

Capaz! Espero que eu tenha conseguido auxiliar em algo. Sei que é complicado. Pois então, leia bastante sobre o assunto, exponha essa incomodação interna, que só bagunçara as coisas aí dentro caso não saia pra fora. Boa sorte, e tudo de bom também. Beijoca!

Quer enviar a sua pergunta também? Faça um e-mail bonitinho e bem explicado, que quando menos esperar, está respondido aqui! É só enviar para: camilapaier@gmail.com e cruzar os dedos.


11 Comentários:

  1. No meu terceiro ano também fiquei desse modo, sem saber qual profissão seguir. Você tem toda razão, você deve se ouvir para saber qual caminho seguir, mesmo se fizer um curso e nao se identificar, ver os prós e os contras em sair ou ficar!

    ResponderExcluir
  2. Acho que 90% das pessoas passam por essa indecisão antes do vestibular.
    Ano passado aconteceu comigo... Por anos eu quis fazer algo relacionado à música, mas então um dia minha turma (da escola) foi na minha atual universidade aprender um pouco sobre o curso de Biomedicina. Me apaixonei na hora!
    Fiquei em dúvida durante um tempo, e um mês antes do vestibular, decidi fazer Biomedicina. Hoje estou cursando e não me arrependo!
    Como a Camila disse, tem alguns momentos que a gente se questiona, se cansa um pouco da faculdade (mesmo no começo rs), mas faz parte. No final, tudo vai valer a pena.
    Pense com muita calma, mesmo que a pressão ao redor de ti seja grande.

    ResponderExcluir
  3. Vivi minha vida inteira sendo pressionada pela minha família para ser médica, mas eu queria ser bióloga, quando no terceiro ano resolvi fazer design de interiores. Passei nos três, mas estou cursando biologia, sabe o que é melhor? Não me arrependo, foi uma escolha que veio desde pequena ser professora e bióloga. Talvez essa sua indecisão venha do fato de que é muita responsabilidade escolher o que fazer pro resto da vida com 17, 18 anos. Estou com 19 e tenho certeza que escolhi a coisa certa.
    Faça a si mesmo a pergunta: Você quer pro resto da vida ser médica e agir como tal? Se imagine daqui 20 anos, como deseja estar, acho que essa pergunta te ajuda um pouco mais. Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  4. Estou passando por isso, mas no caso dela acho que ainda tem uma noção do que quer. Eu não tenho... vou aproveitar as tuas respostas. hehe Gostei e acredito que a gente deve seguir o que quer, ainda com toda a pressão que existe.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Passei pelo mesmo! Minha vida toda quis uma coisa, no terceiro ano queria outras 5 diferentes, fiz vestibular e passei pra 2 completamnte opostas (odonto e letras) e larguei as duas por jornalismo! É aquilo, nada vai te agradar em 100% , mas te aque achar o que mais dá vontade de fazer (ou menos vontade de cortar os pulsos). Escolhe um plano de vida e tenta seguir! :D

    ResponderExcluir
  6. Oi, passando para fazer uma visita, e convidar.

    participe: http://iasmincruz.blogspot.com/2011/09/perguntem.html

    ResponderExcluir
  7. To amando esses posts que você ajuda de alguma forma as leitoras! Mudar um pouco, interagir mais ainda com quem te ler, sempre adorei o fato de você agradecer os comentários, de dar reply no twitter você tem simpatia de sobra guria, e assim se vai longe, muito longe( e eu to na torcida) !
    Sabe disponibilizar um tempo teu, pra pensar em como ajudar, não é qualquer um que faz... Parabéns pela iniciativa :)

    ResponderExcluir
  8. É importante mesmo conhecer o curso,quando cheguei no terceiro anoainda tinha a dúvida entre Letras e História, e beirando um pouco a Engenharia só para complementar meu curso técnico!Meu amor por Letras foi ficando maior,por eu começar a conhecer mais as possibilidades da profissão! Curso Letras atualmente,mas não na faculdade desejada por mim,mas vou fazer o vestibular de novo,é tentando que se aprende! haha


    Beijos!!

    ResponderExcluir
  9. Ai, super normal isso.
    Eu fiz meu primeiro vestibular com 15/16 anos, nova demais pra escolher qualquer coisa. E ainda tinha toda a pressão de que, por eu ser boa aluna, deveria fazer algum curso difícil na federal.
    Resultado? Fiz vestibular, passei, cursei três semestres e desisti. O curso era bom, promissor, mas não pra mim.
    Agora, com 18, ainda estou cheia de dúvidas, mas com muito mais segurança pra recomeçar com uma escolha que pertence inteiramente a mim.
    Boa sorte!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  10. Já tinha pensado 'o chapéu vai servir pra muita gente' e lendo os suspiros a minha idéia só se confirmou. O tema abordado com certeza interessa e já foi um medo pra - quase - todo mundo (pra mim ainda é). O que da aquela sensação de alívio é ver que eu não sou a única pessoa a passar por essa situação e a certeza de que no final vai dar tudo certo! Adoro a tua sinceridade e continua assim, Camila

    ResponderExcluir
  11. eu achei que nunca iria passar por isso porque era super decidida em um determinado curso.
    Mas depois comecei a repensar e até hoje não me decidi.
    é horrivel ficar assim mas decidi que terei cuidado para tomar a escolha certa \o

    ResponderExcluir