Don't put a ring on it

7.18.2011 -

Bem possível que ninguém aqui nunca me veja noiva. Isso mesmo. De vestido, véu e quem sabe grinalda, talvez. Embora ache o casamento uma instituição que abriga mais falência que sucesso em relacionamentos contemporâneos, confesso que caso suba ao altar, será por pura vaidade. Ou ainda, me case de alguma maneira inovadora - o que vem sendo cada vez mais usufruído por casais do mundo todo, das mais diversificadas maneiras. Juiz de paz se tornou padre, e igreja, palco de tantas uniões, hoje é trocada por praias, salões de festas, hotéis, fazendas e os mais diversificados cenários.
Pois bem, o que me intriga então, é o anel. Mal começaram a namorar e lá tem os dois, jovens, adolescentes, muitas vezes, púberes, anéis de compromisso. Com data e os nomes do casal escrito. Por vezes, alguma jura cafona de amor que não será cumprida nem pelos próximos meses, nem nunca, claro. Comprometimento, laço, território marcado; delimitado. Ó, a moça tem dono. Mas ele tem aliança, não é solteiro. O que é bonito na teoria na prática não garante absolutamente nada: bolsos existem, carteiras e criados mudos idem. Retira-se do dedo o amor explícito pelo outro para se fantasiar sem amarras e apegos, por alguns momentos. Há quem confie e não precise de provas e ações ou ornamentos explícitos para provar fidelidade; há quem use de todos os meios possíveis, desde a troca de senhas, até a revista injusta de mensagens e ligações no celular do outro quando este se ausenta por alguns minutinhos para checar que, ufa: aparentemente - e anotem, pois para quem vive de fachada, a casa deve parecer bonita por fora ainda que venha a cair aos poucos e qualquer - está tudo bem. Será?
Me recusaria a usar qualquer anel, que não fosse uma aliança trocada após muito tempo de relacionamento. Provar para quem o que já está pacificado em nós mesmos, internamente? Desnecessito. Assim como noivar. Como disse, não aceitaria nem jantar, muito menos o tal anel de noivado. Pura babaquice. Pra que serve ser noiva? Ser enrolada por anos porque, poxa amor o orçamento não tá legal, vamos construindo nossa festa de casamento de revista aos poucos, que cê acha? Ou, amor, será mesmo que a gente deveria casar? Tô na dúvida, sabe como é, a relação do Fulaninho era maravilhosa e passou pra satisfatória depois que selaram de vez a união. E dúvida, e remorso, e espera, e muita coisa pode acontecer nesse stand by onde ser namorada e logo depois mulher, ou nunca mulher e para sempre algo que dure e seja sólido se intensifique: surtos, neuroses e revisão de um passo que nem sempre é certeiro ou para sempre - podem-se voltar algumas casas, mesmo avançando nesse tabuleiro chamado vida.
Que pra mim, do time dos apressados cheios de certezas perecíveis, casamento seja no ato, imediato: quer? Sim. Aceito. Também. Se possível em Las Vegas e antes que qualquer lado mude de ideia. Porque de sério já basta o lado chato e burocrático dos dias. E que a maior prova de amor possível seja atravessar cada uma das rotinas da semana sem que se perca o encanto e o brilho visto no outro, sem ser necessários avisos de propriedade enganosos, tatuagens ou acessório na mão esquerda. Suficiente é um sorriso que faça a felicidade durar, e atitudes que deem segurança e motivos para confiar. Noiva ou não.

18 Comentários:

  1. idem ibdem.

    nada mais cafona que aliança de namoro entre crianças ainda. perdoe-me quem me lê, mas é brega na minha opinião.

    alianças depois de casados é outra história. e também não vejo necessidade. aqui na Alemanha nunca vejo ninguém de aliança e todos são comprometidos!

    dá pra refletir né? eu preciso externar uma condição pessoal na mão pra quem?

    ResponderExcluir
  2. Assino embaixo !
    Esconder a aliança é a coisa mais fácil do mundo e sei que ainda há quem se sinta atraída por homens de aliança, n é meu caso mas sei que há. Vai saber né haha
    Enfim, desnecessário, principalmente quando surge em qualquer espaço de tempo que seja menor que um ano.
    Abaixo as aparências ! kk
    Bjj Camila.

    ResponderExcluir
  3. O anel de casamento até que vai, mas o de namoro é uma coleira menos feia que tem o simbolo do infinito, ás vezes. Super apoio! É o mundo e essa mania de banalizar tudo o que ainda tinha um lindo significado!

    ResponderExcluir
  4. Perfeito e ainda digo que se faça necessário, muito além do que uma argola de prata, ouro ou sei lá o que, se faça presente o respeito,o querer e se gostar mútuo a cada dia. #façamos

    ResponderExcluir
  5. concordo em grau, gênero e número.Já acho cafona colocar namorando no status de relacionamento do orkut, imagina anel de compromisso.As pessoas não se garantem, é isso mesmo?Tem que viver gritando aos quatro cantos a felicidade que tantas vezes é forjada.
    Mas de uma coisa discordo: casamentos tradicionais jamais irão perder o brilho.

    ResponderExcluir
  6. Finalmente encontrei alguém que compartilha da mesma opinião que a minha! Acho a coisa mais cafonérrima do mundo usar "aliança de compromisso", como se o casal que não usasse não se amasse nem fosse fiel um ao outro. E tem gente que só usa para ficar se exibindo, como se um anel fosse a maior prova de amor existente. Como tu salientaste no final de post, um olhar vale muito, mas muito mais do que uma aliança. Sem contar que anel não é sinônimo de casal feliz. Casamento, como todo mundo sabe, também não.
    Gostei muito, Camila! :)

    ResponderExcluir
  7. Assino embaixo e se preciso for, até faço a rubrica.
    Perfeito!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Nada mais inseguro que essa necessidade de marcar território. Um anel não prende ninguém, e saí com a mesma facilidade que o povo tem de ficar trocando aliança por ai.
    Já dizia Caio F. Abreu: 'Primeiro que paixão deve ser coisa discreta, calada, centrada. Se você começa a espalhar aos sete ventos, crau, dá errado.'

    Nenhum elo é maior do que o respeito e amor que podemos ter com quem queremos ser cumplices.

    Concordo, com cada linha. :)

    ResponderExcluir
  10. Então, eu também pensava assim antes de namorar por 6 meses e me ver "obrigada" a me render a até então temida aliança de compromisso. Isso mesmo, meu namorado ciumento que só, não estava mais aguentando as investidas de outros rapazes e tomou a decisão pra ver se adiantava, no começo eu me sentia muito desconfortável com a situação toda, mas acabou que deu certo, as investidas cessaram e aqui estamos namorando a 3 anos com a dita cuja no dedo. Parece que, pelo menos no lugar onde eu moro, as coisas funcionam diferente e as pessoas ainda tem a idéia totalmente retrógrada de que aliança simboliza um "algo a mais", ainda me lembro de ter escutado de alguém um " ah, resolveu oficializar, foi?", fiquei puta. Parabéns pelo texto, externa exatamente o que eu queria ter dito na época, mesmo correndo os riscos.

    ResponderExcluir
  11. HAHAHA Por isso que eu te admiro tanto, falaste tudo e mais um pouco, como sempre.

    ResponderExcluir
  12. Camila, você sempre abordando assuntos que eu super concordo. É exatamente isso. Acho que para a maioria dos casais, a aliança é só para mostrar território. Tantos relacionamentos falindo nos últimos tempos, que acessório nenhum é capaz de segurar e de impedir que desabe. O importante é ser de verdade e bom. Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Falou TUDO que eu penso. Exatamente. As pessoas pensam que tem total controle sobre a outra. Namoro virou domínio e, mais importante que a relação é o status do facebook.

    ResponderExcluir
  14. Em todos os parágrafos do teu texto em nenhum descordei, bom mesmo é chegar nos comentários e ver que sim ainda existe pessoas que encaram amor, namoro, casamento de uma forma "não convencional" , certeza que muitos casais seriam mais felizes se dessem mais atenção a eles mesmos do que a impressão que eles passam para os pais, amigos... (:
    Parabéns Guria, mais um texto fantástico!

    ResponderExcluir
  15. Bem compreendo o que escreves aqui. É tanta preocupação com o provar, mostrar, que o sentimento acaba por fermentar. Azeda, e aquele vinculo continuo ali a encenar o que na verdade já foi esquecido há tempos.
    Concordo, Camila, com essa idiotice de um arco em relacionamentos prematuros, que firmam algo ainda tão cru. Sou contrária, como você. Tenho nojo, pra ser sincera, de todo essa representação tão banal de hoje, com algo tão fundo e importante pra gente, acredito. Mas quanto ao casamento, sem toda essa roteiro clichê existente, e marcado em nossa época, ainda fantasio, a minha maneira, claro. Hahaha.
    Maravilhoso, o texto hein! Digno de ti, mesmo.
    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  16. nossa, eu concordo plenamente! Namoro há um bom tempo e eu e meu namorados pensamos da mesma forma à respeito de alianças, e eu gosto muito disso! Pois namorar não é casar, então pra que uma algem...digo, pra que uma aliança, né? hahah amo seu blog! Pensamentos muito bons, sempre! Beijos

    ResponderExcluir
  17. Não concordo 100, mas 110%. Não tem coisa mais patética que os dito cujos 'anéis de compromisso'. Se o rapaz e a moça se amam (lê-se: sentem afeto um pelo outro, respeitam um o outro, confiam e são sinceros um com o outro) tudo acontece dentro, nos sentimentos. Não há necessidade nenhuma de mostrar para os outros.. Talvez até seja uma forma de mostrar o que não existe. Como diz minha sábia mãe 'nem tudo que brilha é ouro', nesse caso eu mudo um pouco 'nem toda aliança significa amor'. Continua assim, amada =)

    ResponderExcluir
  18. Exatamente!As alianças de compromisso tem a função de dar satisfação à sociedade, pqe significado pessoal, ali para os dois, a representação de um sentimento, passa longe desses anéis de prata na mão direta.Se é pra simbolizar a relação que seja algo de grande significação para o casal e particular, e não simplesmente pqe a sociedade estilou que tem que ter/ser assim.Super apóio: não à essas alianças de compromisso que não a do matrimônio!

    ResponderExcluir