Da Alemanha: Com vocês, Weingarten

5.17.2011 -

Eu ando pelo mundo prestando atenção em cores que eu não sei o nome... ah como é bela a sensibilidade do olhar. Como é triste quem vê sem ver, quem ouve sem ouvir, vive sem viver. É nas ruas estreitas, nos castelos em ruínas, nas igrejas históricas que as emoções vão me convidando à ingressar na viagem ao meu próprio universo e aos universos satélites que ali vou encontrando. Assim resumo meu caminho por esse continente, que está em pleno descobrimento. Acabei de visitar Portugal, foi uma semana intensa e de muita reflexão sobre quem foram as pessoas que tornaram o Brasil o país que é. Mas sobre isso falarei outro dia. Quero hoje compartilhar com vocês um pouco sobre a cidade onde eu vivo.

Eu moro em uma cidade chamada Weingarten (“jardim do vinho”) ao sul da Alemanha, onde dizem ser terra de gente alegre e radiante. O sul como um todo é assim pois há mais dias de sol por aqui do que ao norte. Acredite, você não sabe a falta que o sol faz até passar dois meses com neve, frio e poucas horas de dia. Essa cidade tem uma história que se inicia na época medieval. Sua primeira fundação data o ano de 1056. Havia um vinhedo e um mosteiro beneditino aqui. Em 1715 demoliram a igreja que existia e em seu lugar construíram uma das maiores basílicas que há na europa. A basílica foi construída em apenas 9 anos, tempo recorde para uma construção de tal porte. Em estilo barroco, ela guarda em seu altar uma relíquia, um dos três fragmentos do sangue de cristo, que segundo o mito, o soldado que furou cristo na cruz ao anoitecer, para averiguar se este estava realmente morto (mais tarde viria a ser o nosso São Longuinho) teria guardado o sague precioso que escorrera do então falso profeta, pois este sangue o curou de um problema de visão ao entrar em contato com seu olho sem querer. Ele então o enterrou e foi percorrer o mundo como convertido. 800 anos mais tarde a relíquia foi achada e divida em três. Um dos três fragmentos teria sido novamente enterrado, e quando encontrado fora dado de presente à princesa Judite, filha do conde de Flanders, que casou com o príncipe da Bavária. Na época das cruzadas ela prometeu que daria esta relíquia à igreja, caso seu marido voltasse vivo. E assim, a relíquia foi parar na basílica de São Martim, aqui em Weingarten. 

A cidade foi refundada em 1922, tendo o nome oficial que tem hoje e pertencendo ao estado de Baden-Würrtemberg. 44 dias depois da páscoa é feita anualmente uma procissão carregando a relíquia, há mais de 300 anos! Estou esperando para ver de perto, pois católicos da europa inteira passam por aqui.  
A tradição na europa se diferencia da brasileira em pequenos detalhes, um deles é com certeza  as origens medievais que elas tem. Castelos mais antigos que o Brasil, universidades mais antigas que a nossa independência, isso é fascinente de visitar e conhecer. Bobo daquele que preocupa-se em gastar seu dinheiro unicamente em carros, roupas de marcas famosas e baladas, podendo desfrutar a história viva que está edificada em cada canto do mundo, e não só na europa, minha gente.

Os contos de fadas, de reinos e vassalos, de alguma maneira acredito que aconteceram um dia no passado. Assim foi com a minha cidadezinha aqui. São cerca de 25 mil moradores, é um município normal, um tanto quanto pequeno para os padrões brasileiros, mas na europa há menores. Talvez este seja o segredo para manter a organização e calmaria. Cidades pequenas, cidadãos mais próximos aos governantes. Ou não, tudo são conjecturas.

Uma das rotas do caminho de Santiago de Compostela também passa por aqui. Diariamente vejo turistas de todas as idades, geralmente se parecem alemães, com roupas de caminhadas, muchilinhas e as vezes estão com bicicletas, mas essa já é outra história.
Ficamos assim por hoje, vá conhecer a história da sua cidade, seu bairro,  perceba as cores que te rodeiam e apaixone-se. O passado nos explica muito sobre os eventos do presente. 

Haa...  Quem quiser ver algumas fotos daqui, entra no meu flickr:

Um abraço apertado,
 Meiri

7 Comentários:

  1. Adoro a música do começo do texto, me lembra uma amiga, me dá uma calma!
    Sempre tive um interesse pela Alemanha, um dia irei conhece-la e vê todas as belezas do velho continente!
    beeijo ;*

    ResponderExcluir
  2. Legal! Tenho vontade de conhecer a europa. Também gosto de história e de detalhes. Belo post.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Como estudante de Arquitetura e Urbanismo, me transportei pra Alemanha em segundos!
    Que delícia de lugar, de arquitetura, de clima!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Que coisa boa ser embalada assim pela história e encanto deste lugar e de seu relato Mei!Adorei!

    ResponderExcluir
  5. Tradições, fundamentos e lindas fotos...um convite a cultura este teu post! Também sou a favor de gastar dinheiro assim, com história viva, lembranças eternas que carro e balada nenhuma deixa! bjs moças!

    ResponderExcluir
  6. Ai que lindo demais!!!!
    Um dia vou pra lá! Acabei de voltar de Paris e as cores me fascinaram também!
    Beijos pras duas lindas!!!

    Juru

    http://juruzando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. eu já me sinto íntima de vocês!

    um beijo

    ResponderExcluir