Pero sin perder la ternura jamás

3.11.2011 -

No meu período pós-revolucionário, uma porção de efeitos e consequencias. Minha subversão interna, aparentemente, catastrófica; em contrapartida, necessária. Houve lágrimas e uma dor aflitiva. Rotas traçadas que desembocaram em caminhos impensados. Ataques impróprios, traições nunca antes sequer cogitadas. Em guerra, por tempos de paz. Pela liberdade do espírito; em prol da chama acessa, porém plácida: viva, sem peitos feridos e incêndios verbais. Flamejante. Após o tempo de descanso necessário, de pé e pronta para outras: me tornei uma guerrilheira do bem próprio, sem nem ao menos notar.
E sim, enrijecida. Da ótica positiva, mais forte, até mesmo curada. Olhar atento aos relacionamentos ao redor, feito órbitas de um Saturno que é individualista e vê apenas o seu centro exato, intenções e quereres mais íntimos. A sensação de nunca mais conseguir ser tão frívola e imaginativa, de uma felicidade tão tola que inquietasse a vida alheia. Sem o sentimento aéreo de crer no desacreditável, e ter fé naquilo que não vingaria nem mesmo com terços rezados e bençãos dominicais. Hoje, estática. Firme em minhas convicções, descrente total do que realmente representa o amor, e este pode representar. Nunca mais ter a base estremecida e os tremeliques sutis de se sentir viva não porque dá pinote o coração, mas sim, porque o órgão funciona além de apenas bombear sangue para o corpo todo. Abandonar a fantasia de cair em beijos quentes e arroubos de paixão repentinos. O amor deixou de me comover, para me dar náuseas: regurgito palavrinhas e pensamentos internos tão racionais e céticos que quase me sinto matemática. Farejo no ar a hipocrisia de casais de fachada fake, que brigam quase diariamente, e à noite fazem as pazes, no calor da hora - just for sex. Descreio namoros, analiso friamente ditos e ações, assisto possibilidades que quem ao lado anda, parece não enxergar com alta resolução: é triste, mas gira o mundo por dinheiro, sexo e por último, amor. O mais nobre dos sentimentos, banalizado por tantos que querem e pensam sentir o que nunca até então lhes ocorreu. E lá vão estes falar "eu te amo" antes da hora. Firmar compromisso sem nem ao menos em tal estágio se encontra. Enquanto várias das moças que observo acham um amor, muito bonitinho, que fofo, penso calada em como consegui assim viver por tanto tempo. Nas falseações de tanta coisa que não existiu, e fantasiei, ansiosa por bancar a princesa Disney e distraída, não notar que vestidos bufantes e saltos de cristal não cabem e nem se acomodam na realidade da mulher moderna. O olhar treinado e a percepção ampla do que poderia facilmente vencer essa barreira que impus, abstraída, e daquilo que nem em trocentas tentativas me tocaria de maneira brusca ou até mesmo intensa para que abalado fosse esse estigma sólido de sentir que construí. Difícil encontrar nas imaginações de futuro este protótipo de mim que foge dos tentáculos de afetos e apreciações quaisquer, tão pueris era eu antes dessa última queda. Quando foi que queimei os livros de auto-ajuda aqui de casa, e comecei a redigir minha própria história com final etéreo, e no caminho e com continuidade, feliz? Faz parte da trajetória, eu sei. Deixar que nos atinjam em cheio para que quando o tornado retornar, fortalecida esteja o refúgio, nossa defesa: a alma.
Endurecida, então. Sem perder a habitual ternura de tilintar cílios e absorver com os olhos. Com uma pitada do humor ácido na ponta da língua e sorriso de quem sabe do mundo, e não conta. A mesma doçura de sempre, porém com toques, rotinas e pessoas programadas, à dedo selecionadas. Porque há que ser brava, e simultaneamente, branda. Fundir sensibilidade com coragem e pulso.Saber a hora exata de sumir, silenciar e agir, sem pestanejar. Sem perder a ternura, jamais.

30 Comentários:

  1. Camila,

    Acredito que muitas mulheres que vivem intesamente seus sentimentos, passam por um momento de ceticismo, ficando quase como os matemáticos,como você mesmo escreveu. Mas faz parte (é tão cliche,mas é verdade); talvez seja o momento de crescimento que vai permitir que vivamos o belo, que tanto asiávamos.
    Amada,mais uma vez desejo que todas nós, que ficam desacreditadas e com náuseas do amor, ainda tenham dentro de si a fé. O amor, claro;mas fé! Pqe a vida vai cuidar de nos apresentar para o seu amigo íntimo e de longa data:o cupido.

    Beijocas, parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  2. E a mulher moderna ainda há de se livrar desses anseios.. Com desejo de que o amor deixe de ser banalizado.

    ResponderExcluir
  3. Camila, sempre que leio algum texto seu fico refletindo... Não sei por que. rs Sempre estou por aqui, coloquei o seu blog nos favoritos para sempre me lembrar de passar por aqui, gosto demais daqui.
    Fiquei revoltada com aquela guria ter te plagiado, e mandei um recado pra ela no orkut que até hoje ela não respondeu. Aquela descarada.

    Ah, gostei muito daquele seu texto Piriguete, queria pedi autorização para postar no meu blog Epifania com os devidos créditos, é claro (:
    Espero resposta, beijos querida.

    ResponderExcluir
  4. Frases tocantes e fortes Bela. Que não fique assim enrijecida por tanto tempo.

    Um beijão guria.

    ResponderExcluir
  5. Acho que você acabou de descrever o amadurecimento! São as mudanças que muitas sofrem, mas poucas se dão conta de disso!
    Por mais que deixemos de acreditar em algumas coisas e mudemos de prioridades, sempre escondemos lá no fundo uma esperança terna, doce de encontrar e ser feliz ao modo dos contos de fadas!
    beeijo ;*

    ResponderExcluir
  6. Camila,

    de todos os textos que já li aqui no blog,este foi o melhor que você já escreveu,na minha opinião é claro.

    Eu e minhas amigas sempre comentamos:acho que a Camila vive nos espiando,pois cada texto se encaixa com o momento de vida de alguma de nós.Mais o fato é que nós,mulheres,compartilhamos desses mesmos sentimentos,sem saber.

    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  7. Ora, srta Camila Paier. Assisto aqui as suas forças no calabouço da dúvida serem testadas pelos jogos de tabuleiro amoroso atualizado. De uma maneira um pouco futurista, eu sabia que todas essas amarras emocionais de célebres personagens do passado iriam perder os nós e dariam vida a uma das suas asas mais poderosas.
    Ainda que você encare essa nova festa como uma promoção de falso moralismo e descomprometimento com a nobreza do amor, quanta confiança se desenha nesses novos traços, não?
    Mas você é passageira desse iate de sentimentos antes mesmo de venderem o pacote de viagens, logo, tenho certeza que acredita que o final dessa excursão valha todo o investimento aplicado. E certamente vale.

    Esse posicionamento atual é incrivelmente válido. Todo esse amadurecimento dá a estrutura essencial para pavimentar o seu caminho ao prazer cardiovascular.

    Essa fase me agrada.

    ResponderExcluir
  8. Dona Camila, sempre essência pura, aquela crua. Que a gente vê criando forma, uma diferencial, marca única. Tenho notado esse seu amadurecimento febril que tem marcado a sua postura, não aquela escolhida, mas que tem vindo e tu aceita com muita sabedoria. Mas nem por isso deixando de lapidar as beiradas tão brutas e preencher bucaros agudos, que podem doer. Acho que amadurece mesmo em ti é esse seu cuidado leal contigo, com tudo o que acreditas mas que conceitua também, mostrando cada vez mais que só abraça o que vale a pena, te é merecedor. E mesmo que alguma dor sinta, não deixa de entender que algumas coisas são mesmas passageiras e o soma mesmo a toda a nossa vivência são os ratros das experiências.
    Te vejo mulher diferente, de meses atrás mas ainda com uma doçura que é bordado da sua pele, e tantas ternuras que algumas vezes mudam também, intensificam.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. ADOREI, me identifiquei totalmente com tudo que escrevesse. Há alguns anos penso dessa forma. É a vida né. Um beijo a nós, céticas!

    ResponderExcluir
  10. Olá Camila, tudo bem? Então, sou sua fã de carteirinha, amo todos os seus textos...nunca comentei, mas acredite, eu sempre venho aqui :)

    Como gosto muito do seu blog, queria lhe presentear com um layout. Fui eu quem fiz o layout da Ana Flávia (PratoDoDia) e da Ariana, que vc conhece demais e que também é minha amiga. Se vc quiser o layout, manda login, senha e como vc quer pra cá > gaby.bisinha28@gmail.com
    Se não, indico a Jana (http://layouts.keanuloka.com/) Foi ela que fez o layout do meu blog e ela não cobra caro, além de ser uma designer de mão-cheia. Bem, espero ter ajudado.

    Outros layouts by me:
    http://bateuasasevoou.blogspot.com/
    http://loreenaprazeres.blogspot.com/
    http://emi-meuladoescritora.blogspot.com/
    http://tatyns.blogspot.com/
    http://give-poison.blogspot.com/
    http://a-literata.blogspot.com/
    http://apenasomeumundinhofeliz.blogspot.com/

    P.S.: Não sou profissional, mas faço o melhor que posso. Seu layout será grátis, aliás, de todo mundo aí foi grátis, eu nunca cobro. Faço por prazer...seu pagamento será continuar postando =)

    Bjos, @Gabi_limah

    ResponderExcluir
  11. Acho que só tem uma palavra que descreva todo esse texto. MATURIDADE!
    E fico feliz que tu tenhas amadurecido com as quedas,as desilusões amorosas e tenhas ficado mais com os pés no chão. Isso faz um bem enorme, principalmente pra alma.
    Adoro textos assim, que as palavras veem la do fundo, com toda a sinceridade possivel.
    Amei demais o texto flor!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Mais uma vez me identifico amiga, acho que estou passando por uma fase assim, Amadurecendo e trocando a paixão pela paixão por uma relidade friamente real. Não podemos usar os vestidos cheios de babados, mais somos guerreiras de calça jeans e camiseta. Somos a mulher madura moderna e corajosas.
    Amadurecimento... daqui a pouco caimos do pé.

    Lindo camila, continue assim, sem calma de crescer.

    ResponderExcluir
  13. Isso daí é o chamado amadurecimento não é mesmo? E é muito bom amadurecer, mas sem perder a ternura jamais. Lindo texto! beijos, Camila ;*

    ResponderExcluir
  14. magnífico, fantástico, brilhante. esses teus textos faziam falta, pois no teu crescimento, no teu amadurecimento, a gente acha uma luz, uma brecha pra crescer também. e me deixa contente te ver assim, expressando tão bem o que em muitos textos não consegui. e também mostrando o quão culta você pode ser, se diferenciando de muitas por aí. um beijão Camila, amei o texto, ficou na coleção dos meus preferidos.

    ResponderExcluir
  15. Diva sempre Diva, sabe brincar com as palavras, e expor sabia mente o que se passa com as pessoas como se fosse uma vidente. Parabéns Camila e muito obrigada.

    ResponderExcluir
  16. Que texto Camila!
    Com o tempo vamos aprendendo a ser mais cuidadosa, observadora, e menos sentimentalista. Tem lá suas partes ruins, mas é muito bom pensar muito antes de agir, e não se deixar enganar por qualquer "eu te amo" fajuta.

    ResponderExcluir
  17. É, paso por essa fase também!Sempre com um pé atrás,descrente em muitos contos de fadas,que não são reais,mas sempre acabamos comparando a estes.rs
    Mas,é uma sensação madura,de maior resistência!

    "Fundir sensibilidade com coragem e pulso"

    Isso mesmo!
    Me encatei demais com esse texto.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  18. Oi Camila, voltei ao seu blog, haha! As pessoas de hoje tem muito esse medo de serem o que são por não sabarem o que vão achar. Eu mesmo tem horas que tento ser mais "seca" om as pessoas por puro medo. Tenho que mudar isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Sem, jamais, nunquinha, perder a ternura!
    Beijos meus guria!
    Um doce final de semana pra ti!

    ResponderExcluir
  20. Que texto lindo flor! Me ifentifiquei demais com isso. Também passei mais a ver as coisas dessa maneira, mais cética talvez. É como se a gente passasse a ver certas coisas de forma mais racional, mais realista. Mas não sei até que ponto isso é bom. Amei seu texto!! Beijo.

    ResponderExcluir
  21. essa tomada de consciência é dura, sofrida, mas necessária para crescer.
    e um dia você volta a acreditar no amor, um dia alguém abre seu coração...

    ResponderExcluir
  22. Descrição perfeita da realidade que deveria ser vista por todas .. Mais uma vez seus textos surpreendem e nos faz se identificar com ele. Parabéns!

    ResponderExcluir
  23. Vizinha,eu estava indo pegar uma xícara de açúcar na amiga ao lado, quando passei e ví as luzes de sua casa (blog) ...nossa que lindo aqui ...
    Quando tiver um tempinho passe lá em Casa para um café...
    Se resolver se hospedar por lá , preparo minha melhor roupa e também venho para ficar !
    Se precisar de algo é só gritar ,moro entre as montanhas e por lá tem eco.
    Meu nome é Valeria , mas pode gritar KIM ...que é meu apelido!

    ResponderExcluir
  24. adorei seu blog! Estou te seguindo. bjs

    ResponderExcluir
  25. Ótimo...gostei muito da forma que escreve e da carga que coloca e consegue expor com suas palavras!!

    Aproveito para lhe convidar a participar do sorteio que estou realizando no meu blog Desce Mais Uma!.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  26. Camila, achei tão expressivo e profundo este texto, um desabafo até. Desejos de mudanças, talvez? Bom que reconhece que independente de qualquer cansaço ou aprendizagem, a doçura de sua alma permanece intacta com a nova carga e não há como ser diferente...é tua essência! bjs, tb adorei teu texto!

    ResponderExcluir
  27. Querida, o que importa é isso: que a ternura não te foge!
    beeeijooos

    ResponderExcluir
  28. blog digno de se perder...
    esbarrei por ele pelos meus caminhos da vida e agora,
    me deliciando com tuas palavras.

    um beijo.

    ResponderExcluir
  29. Fico feliz (e triste) que você tenha se juntado ao grupo das "não-crentes-no-amor", do qual eu sou sócia há um bom tempo (tempo até demais) ASAUSHAUAHUSH E eu juro por Deus que nem imaginava que algo dessa magnitude ia acontecer no Japão, só estava (e ainda estou) um pouco obcecada por tsunamis e toda essa coisa :O HUHSAUSASSH Grande abraço, colega :D

    ResponderExcluir
  30. E a maturidade está aguçada com a proximidade do soprar das velinhas hein?!
    Camila, Camila.

    estou encantada mais uma vez.
    Primeiro: sou APAIXONADA com Espanhol. Quando li o título, já amei. rs
    A maturidade (diferente de idade), nos apresenta tanta coisa né?
    Saber como agir diante das várias situações de nossa vida, é uma dádiva.
    Estou muito feliz com os ensinamentos mostrados a você.
    Que você continue sempre assim, como Clarisse; forte como o vento ou suave como uma brisa, e que não perca 'la ternura jamás'.

    Gosto demais de ti. (:

    ps: me emocionei com seu ultimo comentário lá no #pradododia.
    Volte sempre, tu é muito bem vinda.
    beijiim =*

    ResponderExcluir