Sem caio, rosas.

2.25.2011 -

As homenagens são tantas, e fico aqui em branco, sentada, pensando exatamente em como começar. Existe isso de não haver conhecimento algum, nenhum toque ou olhar, nenhum autógrafo em primeira página, e ainda assim, sentir por inteiro o que em anos passados sentiu? Acredito que sim: pela memória eternizada em livros e escritos, vídeos e fotografias. No patamar de sílabas e emoções, experiência e palco da vida, Caio foi rei. Em externar sentimentos como quem desata todos os nós internos: da delicadeza que ocasionalmente acometia as palavras de Caio, do peito inserido por entre vírgulas e predicados, da força brutal de seus escritos nesse cotidiano já tão defasado de banalidades. Há uma quinzena de anos, Caio se ia. Num piscar de olhos, se foi. Eu, talvez, com meus três anos, pedisse a chupeta que esquecia em casa quase sempre, já no carro. Ou eu criança precoce, treinando a fala e correndo com as perninhas curtas e grossas pelo mundo à fora que nem sabia ser tão grande, mas que é enorme. Ainda assim, Porto Alegre, um ovo de cidade. Quase ervilha. Cidade grande com ar interiorano. Na mesma cidade, no idêntico último estado país, gaúchos.
Três anos atrás, a descoberta dessa literatura que nos engole pra dentro, de Caio. Vício imediato. Paixão pelo mistério de em outras épocas, anos antes, alguém sentir o mesmo e colocar para fora da forma mais angelical que encontrou: sublime. Do jeito único de se reencontrar, que era escrever, e encontrar mais uma multidão de admiradores que são sensíveis e nas linhas captam a magia de apanhar todos os pedaços e seguir na vida, inteiriços do feitiço do mago Caio. Tenho como sorte poder visitar o Menino Deus, e sentir no balanço de cada uma dessas árvores que assistem, um rastro da sedução lustrosa que pelo caminho, o rei eterno da introspecção deixou. Nas ruas do Centro, onde habito e transito diurnamente, em cada esquina, um resquício do que pode ele ter contemplado. Uma visão que pode ter inspirado o glorificado monarca da minha (e de tantas) prateleiras, soberano. Amigo íntimo a que não viemos, a maioria, conhecer. Sem apertos de mão, sem nem mesmo a ultrajante cabeça pensante em seus debates filosóficos, suas entrevistas polêmicas, para observar como agora anda esse mundo que vivemos. Igual: o conselheiro a que tantos nos reconhecemos, um ícone.
Hoje, em homenagem a este que tanto admiro, e nem mesmo posso contatar (telepatia, talvez? Profundos pensamentos, para que cheguem talvez ao céu ou ao paraíso, onde com certeza se encontra Caio) tentarei, como em seu aniversário, um dia de paz interna. De chá no meio da tarde, jazz e blues ao pé do ouvido. Cometer uma loucura, pequena que seja, para sentir a vivacidade no sangue. Nomear objetos, pegar a bicicleta e sumir por aí. Entrar dentro de cada um desses personagens que por nós passam, e a sensibilidade despercebemos; o fino traço do rosto, a exatidão dos gestos. Desvendar pessoas. Declarar paixões. E rosas. Como em seu aniversário, uma visita com direito às mais vivas e robustas rosas que encontrar no caminho. Bem cultivadas, duradouras, para colocar ao lado da foto em preto e branco. Tudo pela genialidade desse Caio que nos atinge em cheio, e quase nos pega no colo, em cada reflexão perspicaz. Inspira e traduz almas e afeições. Tenho certeza que Deus já o tem lá em cima, junto aos anjos e a um céu tão azul que o faz o mais feliz dos querubins. Desses que assistem e enviam axé, força e fé a todos nós que sentimos demais e com complexa atenção os dias, na ponta dos dedos. Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce.

45 Comentários:

  1. Flor...
    Lindo texto, belíssima homenagem a este autor que tanto nos inspira, falar de Caio é como falar de uma alma encantadora, doce e que nos levava para dentro de seus textos, como um furacão, intenso e emocionalmente perturbador!!!
    Amo de paixão os textos dele.

    "Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe. CFA"

    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. "Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce" :)

    15 anos sem Caio, mas com sua presença ainda tão sólida entre aqueles que se sentem encantados pelas suas obras, não é? :)

    fiquei honrada com seu comentário no meu blog, obrigada pelo 'boa sorte' e fico feliz que o blog da plagiadora foi tirado do ar!

    beijos!

    ResponderExcluir
  3. na boa: sem Caio, não dá. Meus dias são tristes e amargos, sem Caio, não dá. Repito isso sete vezes.

    ResponderExcluir
  4. Está muito belo!
    E sim, que seja doce hoje, amanhã e em todos os dias.. a cada amanhecer.
    Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  5. Oi versão feminina e vida do Caio!
    Que homenagem mais perfeita flor!
    Quanta palavra linda! Quanta sensibilidade! Quisera eu, poder ter o prazer enorme de falar que sou conterrânea desta pessoa incrível!
    Ou melhor, destes dois: você também.
    Confesso flor, meu sonho era ser gaúcha. haha, Mas amo minha Minas demais também... Terra que foi berço de pessoas estimadas como Drummond!
    Ah linda. Tenha certeza, que aonde estiver Caio, ele estará feliz, por tanto carinho dedicado a ele.
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Que texto lindo, fiquei emocionada. "Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce." Caio eterno!!!

    ResponderExcluir
  7. Que lindo flor, ma-ra-vi-lho-so. Digno mesmo de Caio F., nosso tão admirado escritor. Ele realmente merece tal sentimento e uma delicadeza nas composições das palavras-frases, aqui. Essa sua admiração emociona, sabia? Porque Caio realmente é intenso, e todos os seus sentimentos nivelados no papel nos acolhem também, familiariedade constante deixando nos anos o distanciamento que às vezes, não deixamos existir. Algo dele, muito grandioso e tocante, ainda vive. Em mim, em você, em nós e em toda a obra que hoje ele ainda nos presenteia a cada nova leitura. Sempre surpreendendo, envolvendo.

    Um beijo, sua artista das letras.

    ResponderExcluir
  8. Nós do blog, também AMAMOS Caio! Muito linda sua homenagem :)

    "E que seja doce!" #CFA

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Bela homenagem,sinto o mesmo por Clarice.E Caio é um grande escritor!
    Beijão ;*

    ResponderExcluir
  10. Que delícia de texto!
    Caio F. de Abreu merece todas as homenagens possíveis. É um mestre nas palavras, sempre vai ser.
    Homenagem em palavras, mais digna não poderia ter... "Vida Caio, que deixa cada dia nosso mais doce."

    ResponderExcluir
  11. O duro de amar tanto a Caio é essa saudade de quem eu sequer conheci. E minha maior vontade é pode ir à Porto Alegre só para respirar o mesmo ar que um dia ele respirou. Saudades eternas e uma condolência enorme por suas palavras.

    ps.: gostei bastante do blog, sinto que serei leitora assídua.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. ele foi visceral como poucos conseguiram ser.

    :*

    ResponderExcluir
  13. Que homenagem mais linda, está maravilhoso o texto! Aliás, não só esse mas como todos os seus outros textos são perfeitos, reais e emotivos!
    Admiro muito também o Caio, suas palavras são de extrema importância para mim, e com certeza para todos aqueles que apreciam esse ícone!
    Eterno Caio Fernando Abreu!

    ResponderExcluir
  14. um homem que eu amo de verdade.
    viva caio! ♥

    ResponderExcluir
  15. Que homenagem mais linda flor, me emocionei com cada palavra sua. Com certeza Caio agora é um anjo que sofra em seu coração essas palavras lindas que tu compartilha com a gente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Caramba Camila, me emocionou! Caio foi e sempre será um mestre. Beijo, flor!

    ResponderExcluir
  17. Que bonito. De emocionar! (:
    Que nosso querido Caio esteja sempre cheio de luz. E de tanta coisa bonita que ele nos transmite pelos teus escritos.

    ResponderExcluir
  18. Sinto muito pela moça que te plagiou, é bem estranho ver que tem gente que faz isso quando a verdade sempre vem (uma hora ou outra). As pessoas cadastram os textos em cartório? (Sério mesmo?) :O Belos os dois textos, mesmo.

    ResponderExcluir
  19. Uma bela homenagem mesmo!
    Para esse escritor maravilhoso, que acaba sendo como um amigo mesmo.Quando lemos algo, e sentimos que estamos a conversar com ele!Maravilhoso sempre!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  20. Com toda certeza Caio ficaria muito feliz com a sua homenagem. Texto simplesmente maravilhoso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Que linda homenagem, Camila!
    Me arrepiei lendo, juro!
    Sou apaixonada pelo Caio..E disse tudo, Caio foi Rei.
    E sempre será...
    ;**

    ResponderExcluir
  22. Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce!
    Confesso que o "conheci" a pouco tempo, mas quando o conheci foi amor a primeira vista, ele sempre tem uma palavra certa pra cada momento...
    Ah, é o Caio né? Sem mais a dizer!
    Lindo texto Camila, como sempre né?!
    Ele deve ter amado com toda certeza!
    beeijo ;*

    ResponderExcluir
  23. Olá, gostei do seu blog,de onde vem tanta inspiração, verdade, semtimento! te adicionei aos meus favoritos, se possível faça o mesmo! Me visite: maxximotv.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Caio será pra sempre eterno!
    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  25. Acho que esse pegar no colo, que ele consegue através das palavras, já me acolheu. CaioF. é digno de todas as homenagens, pois combinar letras com sentimentos da alma não é simplesmente escrever.
    Um ser de luz, certamente.
    Ler suas linhas é sinônimo de se encantar. E quando eu digo aos meus amigos que amo CaioF, é pq sim, eu o sinto e, pra mim, ele me sentiu também. Eu brinco dizendo coisas como "ah, ele escreveu já sentindo como eu seria." hehehe.
    Quando ele se foi, eu tinha lá maus 3 anos, quase 4. Ainda tão pequena e frágil e doce. E sim, a doçura permaneceu em mim. E que seja [sempre] doce.

    ResponderExcluir
  26. Lindo Camila, quase chorei aqui. Caio era e é Rei, nunca houverá outro, meus parabéns, adorei o texto e com certeza ele iria adorar. Mil vivas para o Caio que deixou tantas saudades.

    ResponderExcluir
  27. Homenagem emocionante, flor!
    Belo post.

    ResponderExcluir
  28. ETERNO CAIO ♥
    Amei a Homenagem e visitei o blog "15 anos sem Caio" *o*
    Linda iniciativa ;)
    beiijos camila ;**

    ResponderExcluir
  29. Viva!

    Que homenagem maravilhosa, Camila! Merecida! Bem escrita!

    O coração fica apertadinho, né?

    Ai...

    ResponderExcluir
  30. "Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce"

    Lindo texto.
    Lindo blog.
    Lindo Caio.

    ResponderExcluir
  31. Maravilhoso...
    conseguiste algo incrível: descrever Caio Fernando Abreu.
    beeeijo guriia!
    Uma ótima semana pra ti!

    ResponderExcluir
  32. Justíssima homenagem, Camila!
    Tenho certeza que ele observa tudinho, sorri e agradece.

    Bj grande

    ResponderExcluir
  33. Olá, lindo os seus textos é te belíssima inspiração!

    ResponderExcluir
  34. A mais bela das homenagens guria.
    Você disse tudo que nós admiradores deste grande autor gostariamos de dizer.

    ResponderExcluir
  35. Acho que todos nós devemos deixar determinadas coisas de lado pra comentar sobre isso ou aquilo.
    Você sabe que eu não sou um admirador do Caio, mas guardarei isso aqui comigo justamente pela forma ‘Paier de descrever’ de um jeito bastante criterioso e honesto.

    Eu procuro ritmo, coerência e principalmente um compromisso natural com a escrita. Isso você tem em cada letrinha digitada/escrita. Tal postura é mais válida que qualquer crítica ou indiferença ao tema que você abordou dessa vez.
    Tenho certeza que o tal Caio iria adorar tal reverência feita por suas letras profundas e pontuais e é isso que realmente importa, não?
    Afinal, ainda que eu ignore, tudo isso fez parte do seu processo de evolução literária. E nada mais nobre do que respeito nessas horas.

    Do seu leitor mais honesto.

    ResponderExcluir
  36. Belo texto!

    Adorei seu blog e já estou seguindo :)
    Gaúcha como eu *.*

    Se quiser conhecer, fique a vontade:

    http://www.limao-e-mel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  37. OI, CAMILA, VIM AGRADECER SUA VISITA E SUA ATENÇÃO PARA COMIGO ENQUANTO ESTIVE DOENTE. FOI MUITA GENTILEZA DE SUA PARTE.
    FIQUEI INDIGNADA QUANDO LI, ALGUNS POSTS ATRÁS QUE PLAGIARAM SEUS TEXTOS. PROCESSE MESMO E FAÇA VALER SEUS DIREITOS. EU FARIA O MESMO!

    ResponderExcluir
  38. Olá. Por mais simples que seja, será o eterno clichê, que sem dúvida está mais do que acostumada a ouvir, mais ai vai: escreve mais do que bem. Suas palavras envolvem me. Corri por várias das suas combinações de sentimentos, fatos, e pensamentos, que acabaram-se tornando em belíssimos textos. Encantador! Adorável! Tudo por aqui. E uma vez que sem uma razão acabei por acaso encontrando essa preciosidade, ficarei por tempo indeterminado perambulando por essa banda. Beijos, minha cara. E sinta-se a vontade de qualquer dia, vez ou outra visitar-me em meu humilde canto (www.afternoonend.blogspot.com).

    ResponderExcluir
  39. Lindas tuas palavras em forma de admiração e homenagem a Caio, Camila! Com certeza a obra de Caio transmite a beleza e a identidade daqueles que sentem por imenso e expressam em munúcias, ricas, doces e intensas. Um encanto, mesmo.
    bjs moça!

    ResponderExcluir
  40. desculpe demorar para comentar e ler, inclusive. mas ficou fabuloso. muito LINDO, Camila. de verdade, tocante mesmo, e é belo ver esse seu sentimento pelo Caio, do qual também sinto. que bom que com a sua leitura, você também conseguiu adquirir essa forma bonita de tocar as pessoas. muito sucesso pra ti. e viva a Camila, também.

    ResponderExcluir
  41. Oie lindaa, te admiro muito adooro ler seus textos. e o caio, ah o caio como eu o adoro ótima homenagem !
    Beijos

    ResponderExcluir
  42. "Viva Caio, que deixa cada dia nosso mais doce"

    Me apaixono diariamente pelo Caio.Infelizmente não tive o prazer de conhece-lo pessoalmente, mas sinto como se o conhecesse a anos, como se fossemos grandes amigos. Ele me entenderia!

    ETERNO CAIO FERNANDO ABREU ♥

    ResponderExcluir
  43. Sou fã declarada de Caio a uns dois anos. Conheci-o através de uma amiga que admirava suas obras e, desde então, não parei de ler. Sinto muito que estas sejam limitadas, sinto muito mesmo. Eternizaria Caio, se possível fosse. Nunca vi nenhum escritor com tamanho dom para falar de sentimentos, de amor, daquilo que, na maioria das vezes, nós somos incapazes de traduzir em palavra. Caio, caro Caio, você é grande demais. Demais.

    ResponderExcluir