Cupido

2.05.2011 -

Seu danado, cadê você? Agora que te busco e em mãos não mais se encontra o passe livre para pisar nas nuvens e flutuar pelas ruas, apaixonada: o seu sumiço, então. É férias, porém, mais do que nunca, quero ser acertada, na loteria romântica, uma vitoriosa. Chega dessa sorte no jogo, que nada adianta ser então profissionalmente uma ganhadora e tanto, se com quem gastar das horas em companhia que me estremeça, é o que mais me falta.
Você, menino, e suas armas invencíveis, gladiadoras. Fortificadoras. Jeito moleque e a pirraça de não olhar atentamente ao jogar o tiro, e errar o alvo. Me pergunto se é com flechas que caças, ou simplesmente, com armadilhas. Arapucas sentimentais, que crivadas no peito doem, esfarrapam a alegria de beijos de amor ao pé da cama, debaixo do travesseiro. Iludem em sua maioria, gostam de enganar com sabor: tiram da mão, quando os dedos então tocavam o tão querido afeto. Erro crasso, coração despedaçado. Seguindo então o curso da vida, que mais se assemelha a um rio qualquer, unido em água, sangue e caminhos destinados, na espera de que a então malfeitora farpa saia do peito logo, e sem demasiada dor.
Mal de Parkinson não é, tão jovem é você. Um cândido que da infância não se desprende nunca - praticamente irmão de Peter Pan, apenas mais inconsequente, serelepe. Mira na pessoa exata, naquela correta, e sabe se lá se por força do vento, das intuições ou destino, acaba por errar a pontaria.
Quero seu bem, duvido que se drogue, como dizem. Apronta por puro contentamento, pela diversão. Quem sabe, para fazer com que aprendamos e cresçamos nesses relacionamentos cansativos, pela metade. Disseram que chegaste a talvez, se apaixonar por cada uma das belas damas que de sentimentos vazios, a você recorrem. Primeiramente anjo que és, duvido. Imagino seu sorriso a ver a felicidade de cada casal que formas, e com você o apego não é uma constante - tudo para o maroto muda; os ventos, as ocasiões, os pensamentos. A rapidez das suas asas dá o efeito dos tais arrebatamentos que não sabemos explicar: ostentadores. Para sobrevoar por aí, urgente, elétrico, e esperto, problema de vista sei que não é o que te impede de fazer boas ações. Fico com a opção de poder crescer no que não posso possuir. Esse é o ensinamento que empunha a cada proposital desacerto: amar com liberdade, e sem vaidade, como cantou tantas vezes Raul. Aprender a sentir de um jeito mais sadio e correto, quando sou só loucura e arrebatamento, paixão. Por vezes, imagino que tenhas também uma cota de flechas, destinadas a cada pessoa. E então, as de fazer apaixonar, para minha pessoa já tão penalizada, se esgotaram. Vai que agora os tais dardos duplos e complementares, do amor real, grandioso e destinado à dois, não entram em cena? Não desacredito você, querido Cupido. Pelo contrário, imaculo seu potencial. De estúpido, aliás, nunca o chamei. Sei que és esperto, basta olhar com atenção os tantos casais cúmplices e apaixonantes que gostaríamos de ser, e no fundo, invejamos, tão felizes e completos. Peço apenas que até pare de se esconder, e à cena retorne, em grande estilo: como meu amigo, e no objetivo, a minha felicidade. Apenas, volte. Sem ensaios para atingir de raspão, ou nas periferias que não são nunca o meio. Em sistole ou diástole: bem no meio, no ponto exato onde para todo o corpo se vá o que sente o coração. Venha e, sem me avisar, que a surpresa é ainda mais deliciosa, de repente no meio da rua, supermercado, barzinho à noite ou farmácia pela manhã, algum olhar de outra vivência, aquele arrepio de já conhecer o incógnito. E ainda assim, querer afundar nele.
Dizem que você não cresce, apenas porque o amor é que não envelhece. Talvez seja. E flechas no peito, o que representam então? Que o amor, para cicatrizar, também um pouco deve doer. Sem torturas, o frio na barriga que é essencial para valorizar a grandiosidade de uma afeição.

33 Comentários:

  1. Que amor! sabe, tenho um texto bem antigo para o cúpido também, que não chega a sua grandeza, claro. acho que estamos naquela fase de transição, esperando uma paixão nova, já que paixão por futilidades ou inclusive nós mesmas, já tem se desgastado e queremos ser exclusivas e ter alguém pra chamar de nosso. e esse safadinho não nos acerta. já me acertou errado também, acho que nem é culpa dele, ele tenta acertar e nós também. nem sempre dá certo. um beijo sua linda, da não apenas fã ou leitora, como amiga, Luh.

    ResponderExcluir
  2. Que texto perfeito! Parabéns :)
    ' Peço apenas que até pare de se esconder, e à cena retorne, em grande estilo: como meu amigo, e no objetivo, a minha felicidade. '

    Nossos cupidos já nos dão trabalho. Espero que o seu traga tudo que você sempre desejou. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. como sempre .. uma OBRA *o*
    Pq tu não publica um livro de crônicas guria? Eu compraria , com prazeer!

    ResponderExcluir
  4. Perfeito,espetacular,lindo, maravilhoso, não tem um adjetivo certo para definir esse texto guria.
    Penso que o cupido gosta de brincar com a gente, de nos fazer sofrer, mas quando ele acha que é a hora certa ele acerta um alvo certo. Pode crer que o seu ainda vai acertar no alvo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. ah que bom voltar aqui.
    esses dias eu realmente tenho vindo pouco aqui, me perdoa :/
    to sem teeempo, e meu trabalho ta exigindo muito de mim.
    você ta bem né flor?

    -
    amei esse texto.
    em relação ao cupido, estamos de relações cortadas.

    ResponderExcluir
  6. Aprender a sentir de um jeito mais sadio e correto, quando sou só loucura e arrebatamento, paixão.

    Taí, talvez o grande problema é que somos feitas de sentimentos demais e razão de menos!
    Lindo, Camila. Só pra variar um pouco haha

    beijo!

    ResponderExcluir
  7. fiquei maravilhada com tamanha sabedoria e sinceridade ao escrever. te sigo querida :)

    ResponderExcluir
  8. Que texto doce, escrito com coração, adorei a diversão do blog, adorei tudo, simplesmente me apaixonei por teu texto, parabéns de verdade, estou te seguindo.
    xx.

    ResponderExcluir
  9. Cupido andou sumido por uns tempos, mas já voltou a fazer seu trabalho por aqui. Só acho que ele tem acertado as pessoas erradas. Adorei Camila, sempre amo ler e me surpreender aqui :*

    ResponderExcluir
  10. Cupido, retorne, por favor!
    Que lindo, guria! O cupido está sumido mesmo. Mais que nunca gostaria de ser acertada. E esse danado, está por aí, distraído...

    "Chega dessa sorte no jogo, que nada adianta ser então profissionalmente uma ganhadora e tanto, se com quem gastar das horas em companhia que me estremeça, é o que mais me falta."

    Amei! Muito lindo!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Que demaisss, adorei o texto. Muito criativo, como sempre. Sabe, eu também estou a espera desse cupido, hehe!! Beijão guriaa

    ResponderExcluir
  12. Bem vo deixar de comentar teus textos...
    nem tem mais palavras pra isso
    então vou só apreciar e me maravilhar..
    ^^
    hahahahah

    Bjo meu Bem

    ResponderExcluir
  13. Esse texto veio na hora certa, tenho pensando um pouco sobre isso. Parece que o cupido tem lançado flechas loucamente em todos que estão perto de mim, enquanto eu uso um escudo ou desvio, querendo ou sem querer. E talvez eu queira dar a ele o mesmo aviso que tu deste, que ele já pode atirar sem medo, porque já é tempo.
    Tu falaste por mim, como costuma fazer por muitas das tuas leitoras.
    Parabéns!

    =*

    ResponderExcluir
  14. Flor, esse peralta realmente brinca muito conosco, mas creio que na hora certa e quando menos esperamos, ele acerta a tal flecha, aquela escondida e destinada, como você bem descreveu.
    Como sempre, texto espetacular! Ainda te verei fazendo muito sucesso, guria... Pode escrever.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. AH Guria! Enquanto tu esperas ser acertada pela flecha do amor, eu continuo esperando ele nascer aqui, para que eu possa libertar-me do casulo. ô dificuldade hein?! rs

    "Dizem que você não cresce, apenas porque o amor é que não envelhece."

    Então ainda temos tempo linda!
    Acho que o ideal é deixarmos de esperar sempre, e deixar que o tempo nos mostre a hora certa de acertarem nosso peito com uma flecha, ou a hora exata de uma borboleta nascer!
    Afinal, ainda há tempo!

    um grande beijo linda escritora! (:

    ResponderExcluir
  16. Esse texto se encaixou perfeitamente em mim. Nesse momento. Foi perfeito. Ando precisando que o cupido me visite também, com alguns pensamentos de que minha cota de flechas tenha se esgotado, tentando entender qual é a técnica que ele usa, o porque das antigas flechadas mais doerem do que terem amor... E principalmente: o porquê do cupido estar demorando tanto pra aparecer novamente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. É o cupido. Esse menino matreiro, que com suas flechas como um arqueiro tenta acertar o que muitas vezes está escondido, ou despercebido. Aflorar o que adormece e se esconde no intimo. =)! Mas um belo texto. bjs guria e uma linda semana.

    ResponderExcluir
  18. Menino travesso! Você conheceu ele?
    hehe

    Ficou lindo viu?

    ResponderExcluir
  19. ''Me pergunto se é com flechas que caças, ou simplesmente, com armadilhas.''

    Como sempre lindo.Meu cupido também só mira no alvo errado, mas um dia ele aprende e a flecha é atirada em direção a pessoa certa.

    bj!

    ResponderExcluir
  20. ai mais que coisa fofa!! pede para ele acertar, que tudo dará certo hauhauahua saudade daqui e de você no meu humiiiiiilde espaço.. Beijos Camila. ps: adorei a nova imagem.

    ResponderExcluir
  21. Camila, o cupido tende a isso às vezes; ele tem uma vontade própria que incomoda muita gentes (nós somos essa muita gente UIEHIUE). Mas o que se fazer? Temos que acreditar no amor, não cegamente, mas apenas acreditar. "Fico com a opção de poder crescer no que não posso possuir.

    "Fico com a opção de poder crescer no que não posso possuir. "

    Seus textos sempre são ricos de intimidade.

    ResponderExcluir
  22. Primeira vez por aqui, me apaixonei pelo seu blog...
    delícia de versos, palavras, textos, imagens..
    já estou lhe seguindo!!!

    Bjs!!
    tatapalavrasaovento.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Humm, que lindo Camilla! Depois de todo este afeto transformado em palavras, o cupido será bonzinho contigo por muuuuuuito tempo!rs
    Ahhh e gostei da roupa nova do camilla, apesar de já estar habituada à roupa antiga...bjs moça!

    ResponderExcluir
  24. Lindo como sempre, Camila!
    Pergunto-me as mesmas coisas que você em relação a esse danando do cupido. Mas espero e torço muito pra que um dia, ele nos acerte. Na verdade, penso que seremos acertadas por uma flecha dele somente quando estivermos realmente preparadas para dar valor ao que nos foi dado. Por enquanto, ele só nos manda os caras errados para que, quando o certo chegue, saibamos usufruir do amor. Tomara que não demore muito, então!
    Beijos flor, parabéns pelo seu talento!

    ResponderExcluir
  25. Camila, me deixe te contar:

    Estou apaixonada. Muito apaixonada. E estamos (eu e ele), num momento em que todas as músicas, filmes e textos que tocam o coração são como tijolos de um amor que está sendo construído. Esse teu texto é um deles pra nós. Queria agradecer por usar as palavras perfeitas para o que temos sentido tanto: o frio na barriga que é essencial para valorizar a grandiosidade de uma afeição.

    Espero que o cupido esteja mirando em vc logo logo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  26. Doce, doce, doce. E é isso que sempre vejo em seus texto e por isso também que nos apaixonamos por tudo que escreves.
    Sabe, a flecha que achamos que talvez errou o caminho, o miro, pode na verdade ter ido ao lugar exato, por algum motivo não conhecido. Para nos preparar, talvez? Eu quero pensar que sim. E que quando ele, esse danadinho do cupido, perceber que a hora chegou, nós também percebamos. Sem deixar que a mira seja em vão e a flecha passe reto por nós, desatenção. Espero que ela te pegue logo, sem aviso, e surpreenda. Mas não olhe para as flechas que são lançadas a todo momento pelo nosso querido, procurando pela sua que talvez ainda esteja cuidadosamente guardada, deixe que ela venha para você. Porque na hora certa, ela há de vir.

    Um beijo, linda.

    ResponderExcluir
  27. Ah, seria tão bom se essa coisa de amor saudável acontecesse com a gente. Mas, é aquela coisa, a gente tem de dar valor para quem gostar de nós.

    ResponderExcluir
  28. Muito bom, como vários outros que já li aqui. =) Parabéns!
    Se quiser dar uma olhadinha em meu blog, ficarei grata, vai ser muito bem-vinda. Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Ah flor, esse danado desse cupido tb anda distante de mim; nunca mais apareceu...que não se demore essa visita.
    Beeeijooos

    ResponderExcluir
  30. Camila sua linda....você me inspira um monte....seus posts são perfeitos...continue assim garota....e quando fizer um livro, tenha certeza que serei uma grande fã...um abraço de sua "amiga blogueira"...Miih

    ResponderExcluir