Antiga

12.07.2010 -


- Você é antiga.
- E você não é a primeira pessoa que me fala isso.
- Consigo te ver de vestidos rodados, e meias soquete com sapato. Cintura marcada, e cabelos enrolados. Buscando o leite em garrafa de vidro, a cada manhã. Congelaram o protótipo de mulher ideal das décadas passadas, e por isso é que você já veio ao mundo com opinião, grandiosa. Mulher.
- Isso tudo é o que você fantasiou.
- Você gosta de telefone celular? Não. Você se diverte nas festas com música eletrônica, superlotadas? Detesta. Você não sabe levar relacionamentos inseguros. E quando cede alguns beijos sem compromisso, se ressente todinha, que eu sei.
- São referências, e não fatos. Mesmo gostando muito desse rótulo retrô, acho que as modas voltam. Mudam pouco, rodam ciclos, e retornam. Mais alguns anos, e a promiscuidade cede lugar ao modo vintage de ser, o novo must have.
- Consigo ver você tragando em piteiras enormes, farta de jóias, impecável numa cozinha fazendo o almoço café e jantar, para o marido e os filhos famintos.
- Gosto de cozinhar. E caso quisesse escrever nas horas vagas, será que algo visto com bons olhos no meu verdadeiro antigo tempo?
- Se seu marido fosse um liberal, acho que tudo bem. Admita: você pilota muito melhor fogão, que automóvel. Prefere cartas, longos escritos, às tão banalizadas conversas instantâneas. Esperou para se dar inteirinha para um cara que te ligaria no dia seguinte. Já tomou seus porres, coisa que até os mais idosos de alma fazem, desde os primórdios tempos. Apenas tem preferido a discrição atualmente, o que é respeitável de uma peça antiga como você. Não beija mais que dois na mesma festa, mesmo se for o príncipe dos seus sonhos (que eu tenho certeza que existe no seu lado idade média, admita também). Aliás, se descobriu no barzinho. Cansou do ritmo acelerado e dos papos fúteis da noite badalada. Você está é em extinção.
- Tudo bem, eu admito sim todos esses fatos. Com certo orgulho, talvez. Mais alguma acusação?
- Você não tem piercings, e nem tatuagens. Abre mão das drogas ilícitas, usufruídas por praticamente todo jovem atual. Por você, o cara só beijaria sua mão no primeiro encontro. Pediria em namoro aos seus pais, como sinal de respeito. E o noivado? Numa grande festa, pedindo a sua mão com um anel enorme em brilhante.
- Verdade, verdade. E quem não quer esse romantismo arcaico? Passear de cavalo com longas tranças, ser salva do tédio não sei se pelo príncipe, mas algum Robin Hood da era moderna, que dá alegria à quem precisa, e a tira de quem não valoriza o sorriso com bravura? Muita mulher é assim, e apenas não se assume ser arcaica.
- Você sonha em viajar para o velho continente, Europa, que eu sei também. Escuta as músicas que seus pais hierarquizaram para você, e gosta disso. Não compreende a bissexualidade, mas aceita os homossexuais como quem quer abraçar alguém logo após um acidente: cheia de compaixão. Trair, para você, além de falta de amor é algo imperdoável. É tímida, só se soltando quando já conhece bem o terreno em que pisa. Não faz amizades por conveniência, e nem sai sorrindo por aí, efusiva. Se fecha com seus livros, e mundos paralelos. Satisfeita com sua família, amigas, e outros pouco selecionados. Você é a antítese, o paradoxo.
- O que é contrário sempre se associa a certo medo, e quem sabe, prazer. Não quero ter que provar que gosto do que repugno e aceito o que acho intolerável apenas para agradar aos moderninhos de plantão. Tenho pavor de montanha russa, e a imbecilidade dos jovens quando em bando me dá náuseas. Sou feita para andar em par, em trio. Festa é algo pra de vez em quando, se não deprimo logo. Todas aquelas conversas montadas, as relações superficiais em que um quer mostrar ter mais que o outro me fazem bocejar. Para escapar da rotina, é que ensaio a tentativa de me parecer com todos os outros, ocasionalmente.
- Vão querer te xerocar, qualquer dia. Uma clonagem em massa, do fenômeno que é não pertencer a esse mundo superficial.
- Daí me reinvento mais uma vez, não para seguir algum modismo, mas sim para camuflar a essência um pouquinho, e escapar sem demais arranhões.
- E se você esconder tão bem e o Robin Hood não te perder de vista?
-  Jogo pelo caminho um pouco do elixir da essência: é o que marca, fica, e aponta as setas de quem a gente realmente quer encontrar. Antiga, ou não.

42 Comentários:

  1. É bonitinho até ser antiga assim...!

    ResponderExcluir
  2. Sabe flor, me encontrei na sua essência. Em doses iguais e desiguais. Às vezes faço dessa diferença entre o mundo e eu, quase um fardo. É todo mundo querendo ser igual e eu apenas querendo me manter intacta, preservando a minha essência que desde muito cedo já se mostrou diveregente de tantas outras. Essa linha que as vezes distância, acredito eu que só me aproxima do que eu realmente sou, antiga como você. E me orgulho muito disso. E ao contrário do que muitos forçam ser, eu não quero ser moderna e seguir modismo que para mim não são adequados.

    Eu realmente amei esse texto e saber que existe alguém assim tão diferente no mundo, como eu me acho, me conforta.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Adoro os dialogos que tu escreve. Me indentifiquei muito com esse texto, como sempre. Tu és demais, mesmo mesmo. Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Amei esse dialogo e concordo com a maioria dele. Todas nos sonha em ter um principe em nossas vidas.
    Mas na hora certa vai aparecer um na tua vida e tu vai ser muito feliz!


    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Uma boa leitura antes de ir para a faculdade sempre cai bem.
    E concordo com a Shuzy, muy fofo!

    Beijão Bela.

    ResponderExcluir
  6. Essa mulher é um pouco de mim. Tirando as festas que eu gosto.

    ResponderExcluir
  7. E já dizia Mario Quintana :"Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente,e não a gente a ele"

    Um dos textos que mais me identifiquei! Ah,como eu sou antiga também!Ainda mais por preferir as musicas e os modos de antigamente.São mais belos e respeitosos!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Há vantagens de ser antiga,é uma particularidade e quase rara.Muitos vão na onda das modinhas e esquecem da própria essencia.Que pena .
    Me vi novamente em diversos trechos principalmente do telefone,detesto !E essa parte aqui ,tenho certeza que vc leu minha mente ,como já te disse .
    "É tímida, só se soltando quando já conhece bem o terreno em que pisa. Não faz amizades por conveniência, e nem sai sorrindo por aí, efusiva. Se fecha com seus livros, e mundos paralelos. Satisfeita com sua família, amigas, e outros pouco selecionados. Você é a antítese, o paradoxo."

    ResponderExcluir
  9. Ah, que vontade de ter nascido há mais tempo atrás. Confesso que tem coisas hoje em dia que não troco, porém antigamente tudo parecia ser mais verdadeiro e sincero, sobretudo o amor. Se bem que sou fascinada por roupas, músicas e filmes antigos. As décadas de 60, 70 e 80 são as que mais me fascinam... já falei várias vezes sobre o quanto desejo ter vivido nessas décadas.
    Maravilhoso esse texto, Camila!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Florrr...

    Como sempre um texto maravilhoso!

    Me identifiquei muito com ele, principalmente a parte que fala assim:
    "Vão querer te xerocar, qualquer dia. Uma clonagem em massa, do fenômeno que é não pertencer a esse mundo superficial.
    - Daí me reinvento mais uma vez, não para seguir algum modismo, mas sim para camuflar a essência um pouquinho, e escapar sem demais arranhões."
    Sou antiga sim e admito!!!

    Bjossss...

    Eli Amorim.

    ResponderExcluir
  11. Aqui estou, de novo. Precisava sim ler seu novo texto mais uma vez, antes de dormir. Para chamar alguma calmaria. Ele deixou em mim uma sensação boa. Me encantou muito, sabia?
    Você é rara.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  12. Até parece que é minha alma falando na terceira pessoa.Conseguistes dizer o que estava preso cá dentro.
    Sim,sou antiga.Não gosto de celulares,mensagens instântaneas,cansei-me dessa futilidade e amor fingido,me refugio em meus livros e blá blá blá.
    LIndo,mais muito lindo o texto.
    Beijoos e saiba que mais uma vez consegui arrancar uma imensidão de suspiros em mim.

    ResponderExcluir
  13. Essa escrita de séculos passados é uma forma singela de dizer ao planeta que é bom fazer as horas andarem pra trás?

    Essa descrição de sua personalidade tem uma verdade quase que assassina.
    Você desce pela escada esperando pelo cortejo numa balada contemporânea. Isso soa como uma canção em formação. Tem melodia e arranjos marcantes, só espera pela letra pra virar um hit.

    Se contribuí ou não, isso não importa. O fato de você conseguir se desenhar sem precisar de um espelho já deixa todos os meus esforços plenos de orgulho.

    ResponderExcluir
  14. Percebi que não fui a única que se viu nesse texto.
    Você transformou esse jeito espontâneo e indiferente em algo bom e interessante. Não é o que a maioria das pessoas fazem. Já que aquelas que possuem sensibilidade desenvolvida nunca são vistas como peças raras e fundamentais.

    Gosto de trazer os sonhos nos textos e fazer com eles pareçam possíveis. Talvez um dia alguém valorize tudo ou no mínimo note com mais vontade tudo.
    Essa inversão de valores, às vezes, me deixa exausta. Mas fico muito feliz em saber que nem todos se deixaram levar totalmente.
    Como já disse, muito lindo o texto. Realmente falou comigo.
    Beijos querida ;D
    nunca deixe de ser "antiga"

    ResponderExcluir
  15. Como sempre, você manda muito bem. Eu sou meio antiga, sim .. admito rs.
    Lindo texto, Camila. Parabéns

    ResponderExcluir
  16. O bom é que por mais que a moda mude sempre volta para o que é na essência, e ser assim antiga é essencial!
    Lindo texto! Sucesso Camila!
    ;*

    ResponderExcluir
  17. Oi flor! De todos os teus textos que me identifiquei, nenhum chegou perto desse. A não ser por duas coisas (eu tenho um piercing e adoro montanhas russas), sou bem como tu; antiga, romanesca e fora dos padrões dessa modernidade esquisita. Espero que essa moda antiga volte um dia e com ela a verdade daquilo que realmente importa!! Beijos grandes!

    ResponderExcluir
  18. adorei.
    É praticamente eu sendo descrita.
    odeio as conversas e relações superficiais. Não entendo quando uma pessoas beija 10 em uma festa.
    ah simplesmente perfeito.
    Encontrar pessoas assim que ainda guardam as suas essências é realmente muito difícil, espécie em extinção mesmo. A vida moderna tem lá suas qualidades, mas o antigo estar fazendo muita falta.
    Beijo Grande flor.

    ResponderExcluir
  19. Tão você esse texto: autêntico.
    Adorei, viu.
    Bjo, flor.

    ResponderExcluir
  20. Você tem razão - eu não sou ninguém, e foi por isso que eu apaguei o que eu havia comentado, tinha nada haver eu falar aquilo. Agora: baixa bola garota, não te fiz nenhum mal. okey!?

    te cuida!

    ResponderExcluir
  21. Camila Paier quem te deixou me descrever? hahaha'
    Ótimo texto Camila, essa essência eu conheço bem, vejo refletida no espelho cada vez que por ele passo! E, realmente, pode virar 'modinha'! Mas é difícil ser tão bem posicionada no arcaísmo!
    Sempre conheço uma Camila mais refinada e mais parecida comigo, isso me orgulha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. eu acho q ser antiga é uma coisa boa, o mundo hoje é muito doido com coisas absurdas, mas enfim, cd um com seus principios e digo flore q sou igual a ti
    sou antiga e sou feliz :D

    Beijosss

    ResponderExcluir
  23. que linda! sou antiga também e é difícil conviver nesse mundo moderninho, a adaptação nunca é plena. belo post Camila, esse ficou a sua cara. se você ainda está insatisfeita com seus escritos, pratique, até que chegue os que te satisfazem, é sempre um prazer, uma dádiva, ler você. beijos

    ResponderExcluir
  24. Nossa, estou muito surpresa! Parece que me descreveu em cada fala da segunda pessoa no diálogo. Sério. Fiquei boba! hahaha
    Texto lindo, beijos.

    ResponderExcluir
  25. Mais da metade em mim é antiga...

    Beijos

    ResponderExcluir
  26. AMEI.
    SIMPLESMENTE AMEI *-*

    Ah verdade, você disse.
    me indentifiquei totalmente.

    ResponderExcluir
  27. Nesse mundo superficial cheio de solitarios de espirito, é interessante saber que existe pontinhos raros de luz trazendo um suave conforto a esse ambiente esquisito..

    (Teresina/Piaui)
    Bjos.

    ResponderExcluir
  28. Não é diferente ser antigo... o antigo hoje virou "old fashion"... tudo é novo...usual...até mesmo a maneira de ser... Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  29. Escreveu esse para mim, foi? hahaha
    Todo mundo diz que sou idosa (e eu bem que gosto de ser assim)...
    beeeijo queridona =**

    ResponderExcluir
  30. Mais uma aqui que se acha "antiga" e mais uma que te parabeniza minha ariana querida! *__*

    Adorei o texto e me encontrei acho que em 95% do texto! :O

    "Apenas tem preferido a discrição atualmente, o que é respeitável de uma peça antiga como você."

    Não quero um mundo NOVO e moderno, quero ter apenas a essência da antítese e do paradoxo das décadas passadas! :D

    Beijo grande minha querida! :*

    ResponderExcluir
  31. Camila, querida!!
    Amei o texto!
    Também sou antiga e adoro!

    beijos, Flor!

    ResponderExcluir
  32. Depois de toda essa explicação, me enquadro nessa antiguidade! E a verdade é que meus olhos enxergam coisas abomináveis nesse mundo de hoje, prefiro ser antiga mesmo, continuar acreditando no amor e nos sentimentos e nessa futilidade da pegação...
    Ao melhor modo antigo de ser...
    Beeijo ;*
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  33. eu sou meio antiguinha...rs

    com relação ao Paul , ele tbem é genio, ele era o mais musical dos beatles. a banda foi o encontro de dois genios da musica e com george de quebra que tbem era maravilhoso! rs

    beijos

    ResponderExcluir
  34. Confesso que tenho uma queda pelo retrô, apesar de não gostar de rótulos. A essência é a marca do ser humano e quando, durante a caminha, ela se perder, já não faz sentido continuar a busca. Lindo texto, como sempre :*

    ResponderExcluir
  35. Meu, não sei se tu viu o filme Robin Hood ou se foi coincidência. Porque a "senhora" dele é bem assim...

    Acho que a gente tem sim um pouco disso.. Um pouco arcaica. Porque é lindo. =)

    BjO

    ResponderExcluir
  36. Camila, mais uma vez eu me encontro nas suas palavras, na essência que você coloca em seus textos. É difícil se encaixar neste mundo tão "moderninho" quando não é compatível a ele...
    Eu também nasci para andar em par.

    Sempre que me perco, venho aqui e me encontro.
    Um grande beijo, minha poetisa!

    ResponderExcluir
  37. Olha, se vão te xerocar, eu não sei, mas o que tem de cara de pau te plagiando por aí é uma grandeza! :(

    Bjs!

    ResponderExcluir
  38. Well, fazia tempo que eu lia os seus textos, todos com um requinte e sutileza incriveis. Virei sua fã, pois o que você escreve é sincero e real. Gostei de ler esse seu texto por que para a maioria ser 'antiga' é ridiculo, mas poucos percebem que com modinhas vão perdendo a sua essência, como você diz. Me identifiquei com esse texto, demais.
    Bjs e muita criatividade para você :)

    ResponderExcluir
  39. Adorei. 'me disseram' que sou eu T.T
    copiar e colocar no meu blog. Com seus créditos, é claro *-* adorei MEEEEEEEEEEEEEEEEESMO

    ResponderExcluir