Vi da vida

11.30.2010 -

Então eu disse pra vida: chega. Muda logo, vai. Antes que eu mude de opinião, ou te sacoleje, aja impulsiva e transtornada, como quando você insiste em dar erro. Desbanca esse papel de drama europeu, e pula logo pra parte do roteiro em que tudo fica mesmo nonsense, romance barato, novela mexicana. E o que fez ela, essa tratante? Parou. Estancou, estacionou. Deixou cada  mastigada do que eu como sem gosto, cada gole do que bebo sem refrescar, e inanimada com qualquer novidade furtiva, que deveria emocionar. Esqueceu de aumentar o volume, e ainda, com a maior audácia, fez questão de pressionar o mute. Bandoleira. Jogou de volta pra dentro do baú de irracionais fantasias, e irreais expectativas todas as cores do arco-íris, sem esquecer, o tesouros que me danei pra ganhar, no caminho. Tudo em vão, penso.Uma malfeitora, é o como premio essa vivência dos tempos atuais. De bode comigo, além de ser totalmente utópica e maldosa, me trai. A vida me chifra dia após dia, e descornada que ando, pelos cantos de cabeça baixa, e fala mansa, chego a dar dó - o que me é atípico, e me irrita: a tal pena. Faz com que eu aceite de cabeça baixa e boca cerrada todos os nuncas que despejei com certeza forte, e faz chover imprevisibilidades na rota que percorro.
Existência retirante, indigesta. Não a que me assaltou, e levou a infelicidade e improdutividade na sola do pé. Vida bandida, sim, aquela que me tirou do colo os afagos incompletos de tramitar entre a felicidade irradiante, e o fundo do poço escaldoso. De lágrimas, de porres, de sonhos rasgados. Mas, surpreendidos. Atenciosos, e até mesmo, desejosos de atenção. De repente, final de combustível. Momentos repetidos, um dia depois do outro; todos ridículamente iguais. Sem mais feitiços e manobras radicais. Loucuras, por vinte e quatro horas banais. Entediantes, decoradas.
Vitalidade intocada, mal amada, improvisada. Sem suplicar, é pedir demais que você desenhe a folha inteira, ao invés de deixar esses espaços enormes em branco? Sem medo nenhum, será que dá pra serem maravilhosos meus dias futuros, todos esses meses pela frente? Não esquecendo as falas, as legendas, as serenatas de amor que minha janela aberta não recebe de jeito nenhum - e aguarda ansiosa. Apenas questionando, pra que tudo isso valha a pena, mereça existir. Que se encontrem as falhas, os tão ditos circuitos que não funcionam, e sim, fracionam o antes estremecedor nesse rio sem ondas, e marés cheias, quase lago, que corre fluído e espaçoso sem mais agitações. O córrego que passa então, lento, e sem topar nas pedras, sem se deixar contaminar pela agressividade chuvosa. Não nasci pro banho maria, não. Quero mais é que queime, que borbulhe, incendeie. Trocar combustível, por combustão. Por mais que, quem esteja dentro da panela, seja eu. Que se faça chover, e molhe o corpo inteiro, como quem renasce, e dança feliz. Que eu tope por aí com quem não vejo há tempo, que encontre no meio da carteira, algum bilhete qualquer, quem sabe uma luz na lâmpada que acende em cima da cabeça: idéias, aceito. Viagens, ainda mais. Risadas, cumplicidades, músicas reunidas, pecados docéis. Comida boa, companhia maravilhosa, bagunça organizada. Mergulhar, e encontrar conchas inéditas, peixes fujões, repostas. Que os dias se preencham de luzes imediatas, e momentos peculiares. Dá lugar vida, saí dessa fossa, levanta do chão que subindo na árvore a gente pega aquela flor e coloca na orelha, finge que é Jane e quem sabe, encontra Tarzan. A cem por hora, ritmo acelerado; sem mesmice, estagnação. Reergue, reflora, reascende, revive. Vida vadia, ou vida vazia? Tanto faz, maldita.

35 Comentários:

  1. Eu sempre fico sem fala quando leio teus textos. É uma terapia, me faz um bem danado. Me sinto muito mais confiante para tomar minhas decisões.

    Mais uma vez (e não será a última): Tu és demais, linda!
    Um beijão

    ResponderExcluir
  2. "Dá lugar vida, saí dessa fossa, levanta do chão que subindo na árvore a gente pega aquela flor e coloca na orelha, finge que é Jane e quem sabe, encontra Tarzan. A cem por hora, ritmo acelerado; sem mesmice, estagnação." Adorei o textoo, essa parte mesmo, parece que foi feita exatamente para mim, hehe. Beijão guria!

    ResponderExcluir
  3. Ok, bom, em primeiro lugar, devo dizer que sou sua fã. Acompanho você pelo twitter e venho sempre quando vejo um link novo por lá. Nunca comentei porque fico meio boba de não saber o que dizer mediante o seu talento. É sério rs. Sei lá, consigo ver você com um livro na mão e uma fila enorme de gente que te admira.
    O calmila é um fenômeno e eu hoje senti a necessidade de te parabenizar. Porque esse texto sacudiu tudo aqui dentro, me fez perguntar se essa era a sua ou a minha vida, me fez entender a sensação que anda sambando no meu peito e eu nunca soube definir. Mas é essa. Você disse por mim. E por tanta gente que sempre para pra te aplaudir, pra te ler, pra ter orgulho de participar do início da carreira de alguém que tem tudo pra fazer muito, muito mais sucesso.
    De verdade, é tudo sincero, parabéns.
    No silêncio te leio e te admiro.
    E tenho certeza de que muita gente também.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto.

    Não existem dias iguais, todos eles são perfeitamente belos em suas mínimas diferenças.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Linda! sabe, eu sempre tive uma rixa com a vida, ando meio brigada, xingando ela por tudo, que eu tento como sei que você tenta e ela apronta dessas só pra nos desafiar mais, nem compaixão ela tem! mas esse texto, ah esse texto, falou por mim. é um dos meus mais mais, porque fala muito por mim, demais por mim e eu achei ele genial demais, super bem escrito, sei la, ate me perco no que dizer, que se torna repetitivo. mas que as nossas vidas, descubram o caminho certo e nos coloquem sorrisos e dias bons pela frente. que consigamos nos desprender disso tudo, e que a felicidade nos faça companhia. beijos sua linda!AMEI O POST, sou muito tua fã!

    ResponderExcluir
  6. Não achei que fosse possível, mas tenho que dizer que tu estás te superando no último texto. Esse ficou fantástico e o último também, como eu já tinha dito. Minha lista vai perder o sentido de seleção dos melhores, assim não dá.
    Esse sentimento de estar vivendo em banho maria acomete a todas nós uma vez ou outra. Mas de repente, e quando menos esperamos, a vida incendeia e o que mais queremos é um clima neutro de volta. É só esperar.

    =*

    ResponderExcluir
  7. A cada dia que passa me impressiono mais com os seus textos flor,tu tens uma clareza de raciocinio muito grande e consegue transmitir isso nas palavras.

    "
    Que os dias se preencham de luzes imediatas, e momentos peculiares. Dá lugar vida, saí dessa fossa, levanta do chão."

    Isso é o que eu mais te desejo, tu és uma pessoa incrivel e que merece tudo de bom, desejo que seus proximos dias sejam cheio de luz, amor, paz e harmonia, que vc se encontre e que alguém te encontre! rs


    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Meu deus! Tu conseguiu me descrever! Descrever o meu momento. Eu precisava ler isso! Obrigada Camila

    ResponderExcluir
  9. simplesmente amei seu texto *-* como sempre, claaro HAHAHA
    sério camila. Quando eu acho que o texto nao vai ter nada a ver cmg,e que eu deveria deixar esse passar,me bate um desespero de não ler o que tu escrevestes e eu leio e pans,me surpreendo,porque mesmo que seja só em uma frase,eu me encontro ;D
    "Dá lugar vida, saí dessa fossa, levanta do chão que subindo na árvore a gente pega aquela flor e coloca na orelha, finge que é Jane e quem sabe, encontra Tarzan. A cem por hora, ritmo acelerado; sem mesmice, estagnação. Reergue, reflora, reascende, revive. Vida vadia, ou vida vazia? Tanto faz, maldita." amei meesmo

    ResponderExcluir
  10. Tem algum tempo, quer dizer alguns dias que eu acompanho seu blog.
    Esse texto de hoje foi impressionante melhorou minha noite e agora me sinto reerguida.

    Bjos!!

    ResponderExcluir
  11. ai.. que meu!
    "Dá lugar vida, saí dessa fossa, levanta do chão que subindo na árvore a gente pega aquela flor e coloca na orelha, finge que é Jane e quem sabe, encontra Tarzan. A cem por hora, ritmo acelerado; sem mesmice, estagnação. Reergue, reflora, reascende, revive. Vida vadia, ou vida vazia? Tanto faz, maldita."

    tu é dmsss Camila.. sempre me calmila msm! :D

    ResponderExcluir
  12. E, de vez em quando, a vida resolve ser audaciosa o bastante pra desbancar nossa vontade de continuar ao lado dela. Será por que? Gente intensa como a gente precisa de mudanças, novidades, surpresas. Ou então o que? O tédio? A mesmice? O ócio? Não sei você, mas pra mim isso tudo é tradução de melancolia.
    Espero que a vadia pretensiosa resolva sair dos filmes em preto e branco e evolua pr'um colorido e sonoro pra você, Camila.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. A minha também anda assim, querida: mais parada que burro empacado.
    um beijo enorme...

    ResponderExcluir
  14. mulher,
    não sei mais nem o que comentar nos teus textos.
    Fantásticos, incríveis, encantadores, lindos, maravilhosos.

    ah Camila,
    parabéns viu?
    tu se garante em cada texto
    beijocas!

    ResponderExcluir
  15. Deixei um selinho pra você no meu blog. :D

    passa lá.

    bjs
    sucesso

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. No melhor estilo "não me apetece viver de meio termos" rs*

    bjs moça!

    ResponderExcluir
  18. caramba!! que forte! um tapa no meio da cara.

    beijo!

    ResponderExcluir
  19. "...Reergue, reflora, reascende, revive. Vida vadia, ou vida vazia? Tanto faz, maldita."
    A vida é realmente uma caixinha de surpresa, e ela sempre está nos surpreendendo. Adoro.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  20. Você já deve ter lido isso mais de um milhão de vezes, mas não custa nada repetir.
    Tu escreve de mais garota, e simplesmente me identifico com TODOS os seus textos e me inspiro com certeza!

    ResponderExcluir
  21. Ei...ei! Quer saber? Também cansei. Cansei de meio por impulso tua alma invadir a minha desse jeito intempestuoso. Quem você pensa que é para chegar assim e nos embriagar? Cansei de falar sempre os mesmos clichês elogiosos...Quem você pensa que é para me deixar sem elogios originais? Não vou dizer que me vi aí, mas eu te digo, garota, isso que você faz é arte. E da melhor.
    Desejar sucesso? Você É um sucesso. Desejar felicidade? Você sabe como chegar lá. Desejar amor? Você É amor. Não vou fazer nada disso. Te desafio a fazer aquilo que eu considerava impossível, mas que a cada texto me vejo errada: continue superando-se.

    Com carinho e verdade,
    sua admiradora indiscreta,
    Luana.

    ResponderExcluir
  22. Flor, vc como sempre se superando...
    Texto perfeito e, assim como tu, também tenho sentido essa necessidade de reviravolta, tornado, furação, que permita reconstruir e tirar a vida desse patamar de mesmice.
    És maravilhosa, flor. E com toda a certeza digo que o teu futuro será brilhante e muito feliz! Pessoas como vc merecem isso e muito mais!

    *.*

    ResponderExcluir
  23. "A vida me chifra dia após dia, e descornada que ando, pelos cantos de cabeça baixa, e fala mansa, chego a dar dó - o que me é atípico, e me irrita: a tal pena. Faz com que eu aceite de cabeça baixa e boca cerrada todos os nuncas que despejei com certeza forte, e faz chover imprevisibilidades na rota que percorro."

    Loucura! O.o

    Muito bom!
    BjO

    ResponderExcluir
  24. Flore eu estava passeando por entre blog e encontrei um plágio seu q foi feito ontem desse texto
    o blog é
    http://setechamodeamor.blogspot.com/
    qdo comentei ainda nao tinha visto q era seu texto estou t mandando esse comentário pq odeio plágio

    Como sempre seus textos sao tao bons q as pessoas acabam copiando pq nao conseguem ser como vc

    Beijos flore

    ResponderExcluir
  25. Oi amiga.
    Acho que este foste teu texto que eu mais gostei de ler, que mais foi se inteirando com o que passo, com o que sou. Gostei muito de ler, e acho que escolhi qual texto quero na minha carta de aniversario *-*

    Continue escrevendo tão bem, talvez esse texto não foi do gosto da maioria né?
    Mais sabe, ele pode não ter cido um "não" Mais ele tem um "que" que quem realmente esta passando por isso é que vai sentir. Este realmente não é um texto para muitos.

    ResponderExcluir
  26. Essa vida é difícil...como diz a minha mãe:
    Quer moleza? Senta em cima de um pudim! (ahahaha...é engraçado mas é verdade)

    lindo o texto, como sempre!
    Beijão

    ResponderExcluir
  27. A gente vai sentindo muitas emoções a cada palavrinha. Eu gosto de vim aqui. Não sei explicar. Mas, essas palavras me traduzem imagens boas.

    ResponderExcluir
  28. "Não esquecendo as falas, as legendas, as serenatas de amor que minha janela aberta não recebe de jeito nenhum - e aguarda ansiosa." acho que tem mais uma janela aberta, viu? hahaha. O texto ficou muito bom, muito bom mesmo. A vida nem sempre é como esperamos (ou melhor, nunca é). O final ficou espetacular "Vida vadia, ou vida vazia? Tanto faz, maldita" Pois é, certos momentos ficamos até com ódio dessa tal vida que só nos dá patadas e mais patadas, né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Acho melhor vadia!!

    Muito bom aqui...gostei muito deste texto!

    []sss

    ResponderExcluir
  30. Ual *__*
    Que DELÍCIA de texto minha ariana!:D

    Como sempre você ARRASA! ^^

    Parabéns e muito SUCESSO (é sempre bom vim aqui e ver tuas palavras ;) )

    "Que os dias se preencham de luzes imediatas, e momentos peculiares..."

    Que seja cada dias mais DOCE e SABOROSO em nossas vidas!
    Beijo (L)

    ResponderExcluir
  31. Camila, querida! Que bom chegar aqui depois de um dia péssimo, ler um texto seu e salvar a minha noite.
    Menina, essa vida é bandida mesmo!E que tudo melhore! Amei o texto, como sempre!

    beijos, linda!

    ResponderExcluir
  32. Camila, gostei muito mesmo desse texto então postei blog. Claro, creditei.
    Parabéns, você tem um talento gigante! Obrigada!
    Beijos!

    ResponderExcluir