Estado Civil: Desinteressada.

11.03.2010 -


E daí que eu sou só falta de interesse em tudo que não me atiça os olhos, ou palpita as veias. Abnego toda e qualquer coisa que não me dignifique como realmente me sinto: no topo, inatingível. Hoje eu é que me sinto mais madura e tão mulher pra mais da metade, ou praticamente todos, os caras que passaram na minha vida. Só me deixo sair da linha pelo que for maravilhoso, singular, diferenciado. Ou valer muito a pena. Deixo meu coração trancafiado às sete chaves, porque para chegar até o cerne, até o limite onde hoje ele se encontra denso e escondido, será uma verdadeira prova de fogo que quem se queima cai fora - onde falta capacidade, me sobra agora indiferença. Sem vidas a mais, sete, cinco; apenas essa única com a qual viemos à Terra e não há data marcada para o fim. Tudo porque minha preocupação em ser altruísta é tão leve e companheira da minha própria presença, que minha vontade é muito mais de seduzir e cair fora, do que simplesmente tentar ver em todo e qualquer homem alguma coisa boa que me faça prestar atenção com mais destreza e sensibilidade. Não vale a pena, eu penso. Me cansa inteira ficar desenrolando alguma paixão onde já se fecharam portas - ou há janelas que nunca penso em deixar abertas - e ouvir de todo mundo que as pessoas mudam, e merecem chances, e que só irei saber realmente onde dá, se tentar. Quando na realidade, sei que se ocupamos nosso tempo tentando fazer com que qualquer sentimento desponte por quem não nos completa, nem nos faz pensar furtivamente em alguma hora do dia, seja no caminho pra casa, ou naquele cartaz de filme exposto em frente à locadora, não vale a pena. Isento qualquer preocupação previsível de futuro. E curto, tento aproveitar ao máximo. Rio, e danço, sem pensar nem no amanhã e nem em dia nenhum, querendo apenas que o hoje me faça deitar na cama e pensar: foda-se todo esse mundo, eu me diverti. As pessoas que se preocupem consigo mesmas e suas felicidades irreais, ilusórias. Não foi a isso que me fizeram acatar? Inscrita no desapego way of life, desbanco oportunidades, e esbanjo despreocupação por aí. Incrivelmente, isso atrai.
Agora são os outros que esperam essas minhas ligações que não ocorrerão, e respostas de perguntas que detesto e deixo no ar, tudo porque já fui por demais pisoteada, e se num dia somos caçador, a glória de ser caça e fugir pra longe, correr veloz, chega também. Nenhum apego, isenção de afetos. Sem mais pensamentos depressivos em músicas suaves, ou vontades incontroláveis de ligar para o que um dia fez total sentido. E o melhor: ver que esse lado da moeda (ou proposta temporária de vida) pode ser algo altamente interessante. E benéfico. Que funciona muito melhor ao ego do que fazer as unhas na sexta-feira ou comprar um par de sapatos. Ou cortar o cabelo, ou escutar cinco cantadas por quarteirão percorrido. Quando você está por cima, você realmente se sente poderosa e feminina, meio como aquelas mulheres escorregadias dos filmes em preto e branco, década de cinquenta, que amam quem não devem e fazem sofrer aqueles que insistem em tentar mergulhar em algo que os afogará. Capaz de sair de táxis em movimento, e atravessar a rua com um sorriso na face, em fuga. Sem se sentir vadia, ou promíscua, apenas uma lady que se preocupa apenas em manter a vida ocupada, e a mente leve, sã. Que vai vivendo, e vendo no que dá, enquanto nada a faça novamente suar as mãos, ou manifestar os tão antigos e apegados sentimentos de ansiedade frequente. Uma menina que arranca e larga flores pelo caminho, deixadas ao chão, ou em árvores aleatórias, até o encontro do girassol que a faça envolver o mundo, e desprender toda sua majestosa atenção. E que valha a pena, na mesma medida altamente real que ela também vale. 

34 Comentários:

  1. Atualmente tenho preguiça e desinteresse total de
    relacionamentos fúteis, conversinhas sem nenhuma capacidade mental. Sinto indiferença, tanto faz, apatia, não add no msn, facebook, nada mesmo rs!
    Bom estou em uma fase mais que desinteressada, eu diria cansada mesmo!
    Estou vivendo para mim e por mim, somente!!!

    Texto Perfeito!!!

    Bjos...

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente maravilhoso; realmente o que nós devemos fazer, viver pra si.
    espero novas postagens ;D

    ResponderExcluir
  3. Essa fase desinteressada eu me encontro agora, de cansaço mesmo, fujo das relações líquidas usando a expressão de Baumam,que a cada dia estão mais voláteis, as pessoas buscam por relacionamentos como se busca uma mercadoria e descarta-se facilmente quando não serve mais. Agora tô verificando todos os prazos, relação pra mim não pode ter prazo de validade rsrsss. Flor! As vezes tenho a impresão que você lê agente, e não nós que lemos você! Adorei! Como sempre perfeita em suas colocações. bjusss

    ResponderExcluir
  4. Como você consegue me descrever tanto assim?
    Sabe que ler seus posts é como ouvir aquela música e dizer, foi feita para mim...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi td bem? Adorei seu blog. Muito lindo. Seus posts são ótimos !!!


    bjos

    Nina

    ResponderExcluir
  6. é,
    é melhor passar um tempo desinteressada mesmo.
    depois de tudo que me aconteceu esses dias, to sem paciência para relacionamentos, para amor, para tudo na verdade.
    E agora,
    só quero por perto algo que me dignifique, o resto, pode sair da minha vida!

    ResponderExcluir
  7. "Nenhum apego, isenção de afetos. Sem mais pensamentos depressivos em músicas suaves, ou vontades incontroláveis de ligar para o que um dia fez total sentido." Essa parte ficou demais! Adorei o texto. Tudo o que escrevesse, tem muito a ver comigo.. Um beijo lindona!

    ResponderExcluir
  8. Acompanhar o seu amadurecimento, nos faz amadurecer levemente junto com você. Acho que todas as mulheres deveriam ler esse seu texto, flor. Aprender a dar o devido valor a si mesma. Não aceitar pedaços ou sobras que nos cercam pelo meio do caminho. E sobretudo, ser felicidade completa em tudo. Se realizar sozinha, sem necessidar ou depender inteiramente de alguém para sorrir. Se auto-alimentar, acho que você me entende, não é? Porque realmente, relacionamentos insaciàveis por um minuto, não nos preencherão futuramente.
    Beijoca.! Maravilhoso o texto.

    ResponderExcluir
  9. O desinteresse é a melhor coisa que podemos ter depois um relacionamento conturbado. Esta é a melhor fase para se autoconhecer e aprender a gostar cada vez mais de nós mesma.

    Um grande beijo flor :)

    ResponderExcluir
  10. viajei nesse seu texto... ainda mais quando falou dos filmes, que eu tanto gosto. Camila, você não está sozinha nessa, eu sou assim, me porto assim, vivo assim e sinto assim. adorei o texto, mas nem preciso dizer isso, não há nenhum seu que eu não goste. beijos

    ResponderExcluir
  11. " Rio, e danço, sem pensar nem no amanhã e nem em dia nenhum, querendo apenas que o hoje me faça deitar na cama e pensar: foda-se todo esse mundo, eu me diverti."

    Incríiivel o texto Camila,adorei como sempre .
    Beijocas 'flor'

    ResponderExcluir
  12. ' Realmente, devemos às vezes nos
    desinteressarmos das coisas e de todos, LINDO mesmo seu texto Camila. *---*

    ResponderExcluir
  13. Camila, juro que quando li o título do post até comecei a rir. Ontem mesmo me peguei pensando se eu estava com algum problema, porque eu perdi totalmente o interesse em conhecer pessoas do sexo oposto, pelo menos por enquanto. Já me decepcionei tanto, que acho que isso desencadeou o fato de eu não querer mais saber de compromisso, nem mesmo de curtição. Sozinha é mais seguro, e como tu disse, parece que quando estamos desinteressadas eles vêm. Triste isso. HAHAHA
    Beijos querida, parabéns por ter esse talento de exprimir tudo aquilo que sinto, mas que não consigo traduzir.

    ResponderExcluir
  14. Algumas pessoas têm o dom de nos fazer perder as palavras que expressem toda nossa admiração por seus talentos natos.
    Ta aí um exemplo... Camila Paier!

    ResponderExcluir
  15. HAHAHAHAH,"
    Inscrita no desapego way of life, desbanco oportunidades, e esbanjo despreocupação por aí. Incrivelmente, isso atrai." MUITOOOOO pra mim isso, tudo oque eu precisava ler hoje! hahahahaha

    camila linda, sempre escrevendo oq precisamos ler...
    aaah... obg por passar la no meu blog, é uma honra :]
    beijos flor! :*

    ResponderExcluir
  16. É por essas e outras que existem tantos e tantas bissexuais.
    Não é nem falta de interesse, mas o fato de estar cansado do sexo oposto.

    ResponderExcluir
  17. Que honra ter de encontrado mais uma vez no Poesia, fiquei consternada com o elogio, ainda mais de uma mente incrível como a sua que tem tudo para brilhar nas páginas literárias e mesmo que eu não precise dizer, porque você sabe que este brilho de agora é só seu aperitivo, eu te digo que não falo por puxa-saquismo.

    Mas voltando ao seu blog...Este texto me faz voltar alguns anos e ter a mesma perspectiva, então, o que tenho para dizer é: siga em frente, no fim sempre vale a pena, só é um desastre demorarmos para descobrir, não é? Estamos no caminho, encontramos venenos, arbustos cortantes, situações inesperadas, mas no fim, vai estar lá, quem te acompanhou nesse caminho intempestuoso sem que você se desse conta, pronto para que você perceba. Mesmo que se negue, em algum momento será a sua vez de não ter por onde fugir de um amor que te deixa correr, mas que te faz preferir ficar. Com carinho, de verdade.

    ResponderExcluir
  18. Nossa, tô chocada com o que aconteceu agora! Bom... eu não uso internet a alguns meses e, hoje, quando finalmente decidi ver as novidades nos sites que costumo fuxicar, lembrei do teu blog, mas logo pensei "Ah, os textos dela são fantásticos, mas não tem mais a ver comigo e essa minha nova fase (Decidi dar um tempo na "Kamila românticíssima" depois de ler "Por que os homens amam mulheres poderosas"). Mas sei lá, não resisti e vim te ler. E... porra Camila, me identifiquei super com o seu post, era tudo que eu precisava ler pra me encontrar. As vezes parece que você é minha irmã gêmea (?) gaúcha! HAHAHAHHAH. Seu blog é todo perfeito, quero comprar muitos livros seus ainda. Beijos!!!

    ResponderExcluir
  19. perfeito. realmente muito ,muito, muito bom esse texto . parabéns !

    ResponderExcluir
  20. Queria eu estar neste estado...
    mas um dia eu retorno.
    beeijos flor

    ResponderExcluir
  21. Seus textos sempre ótimos Camila, parabéns mesmo. E muito obrigada por ter ido no meu blog, fiquei muito feliz, sério! *-*
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Certas vezes, chegamos a um ponto em que, após tantas tentativas em vão sobre encontrar em alguém a pessoa que mudará de vez nossa forma de encarar a rotina, simplesmente deixamos a preocupação de lado. Não sei mesmo até que ponto essas buscas valem a pena, não mesmo. Mais um texto seu onde encontro minha situação atual, e digo: prefiro sentir-me bem comigo mesma e não me deixar abalar por coisa pequena ao invés de sofrer diariamente pelo que não é maior que meu amor próprio.

    ResponderExcluir
  23. Maravilhoso! A melhor maneira de nos sentirmos mais mulher e de estar sempre por cima é ser desinteressada mesmo. Lindo texto, amei *.*

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  24. Confesso que já vivi esse estado civil, e foi muito bom! Mas a algum tempo a ansiedade frequente está de mãos dadas comigo. Não sei se quero aquela calma no peito de antes ou continuar vivendo como se fosse carnaval no peito todo o tempo.
    Vou deixar a vida se encarregar dessa escolha...
    Beeijo ;*

    ResponderExcluir
  25. Às vezes eu penso, as pessoas reclamam tanto do amor, mas não suportam não-sentir, não estarem apaixonadas. E então qual a solução?
    Concordo com o texto inteiro, mas esse trecho me chamou a atenção:

    "Deixo meu coração trancafiado às sete chaves, porque para chegar até o cerne, até o limite onde hoje ele se encontra denso e escondido, será uma verdadeira prova de fogo que quem se queima cai fora - onde falta capacidade, me sobra agora indiferença"

    Me sinto assim agora. Sinto que não tenho mais tempo para ser jogado fora. Aprendi a me amar, acho que todos aprendem, mais cedo ou mais tarde.

    =*

    ResponderExcluir
  26. "...sei que se ocupamos nosso tempo tentando fazer com que qualquer sentimento desponte por quem não nos completa..."

    Linda, que texto O.O
    Oxe, é por isso que digo e repito. Sou tua fã.
    Tou passando por algo parecido. Queria que o desinteresse baixasse aqui em mim. HAHA
    Ameeeei! Beijinho;*

    ResponderExcluir
  27. Fiquei feliz ao ler esse texto seu flor!
    Chega uma hora que de tanto quebrar a cara a gente simplesmente quer viver e não se preocupar com nada né!
    Ai vem o desinteresse!

    Amei!

    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Lindo, croncreto sem perder a sensibilidades. lindo lindo

    ResponderExcluir
  29. É o que devíamos aprender, que não somos dois, somos um ser que devia tentar se completar sem precisar se apoiar em outra pessoa. É mais ou menos assim que me sinto agora, não tão livre de sentimentos, mas cansada de alimentar essa vontade estúpida de que tudo seja eterno. Não se mede a intensidade das coisas pelo tempo, por isso largo de mão da mesma forma que você descreveu. Tenho preguiça, jogo a toalha. E o que tiver de ser que venha até mim, (que venha até nós!) porque cansei de procurar.
    OBS: Adoro seus textos, de verdade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  30. "Me cansa inteira ficar desenrolando alguma paixão onde já se fecharam portas."

    Pois é.. Disse tudo. Me cansa também! Hahaha

    Ótimo texto!!!
    BjO

    ResponderExcluir
  31. sua ladra de palavras e sentimentos rs , você disse tudo o que estou passando .. fiz UM TEXTO EM SUA "HOMENAGEM" rs http://palavrasapenas-palavrasaovento.blogspot.com/

    se puder ver .. beijos

    ResponderExcluir
  32. "Nenhum apego, isenção de afetos."

    Tudo o que sou agora.
    Camila, que texto maravilhoso! Sou tua fã, guria e os teus textos sempre me trazem algo de bom. Tomara que saia logo um livro!

    beijos!

    ResponderExcluir