Gabrielismo.

9.18.2010 -

“eu nasci assim, eu cresci assim, eu vivi assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela”.

Nasci assim. Não é complexo de Gabriela, não. Dizem que é, talvez seja. Porém, foi assim que eu vim ao mundo, e devo ir à terra, algum dia, exatamente da mesma maneira: geniosa, arcaica e com uma paciência que perdura dependendo do motivo, e do quão caro à mim ele é. Duas situações, antigas e interligadas, não me deixam desmentir tudo isso. Sendo mais direta, fatos aleatórios da minha infância que, trouxeram de alguma maneira, essa maturidade precoce e obsoleta, que mal consigo carregar sozinha. Tento, de vez em quando, repassar toda essa minha velhice precoce aos meus queridos, aos mais próximos. E ela volta, e me atinge - como num jogo de cartas em que, aquela que você colocou no bolo, repousa novamente em suas mãos.
Prematura, não permaneci os oito meses na barriga da mamãe. Um mês antes, de tanto me remexer, e empurrar, lá estava eu, chorando e fazendo acontecer. Pequena, para a média dos bebês. Não precisei ficar em incubadora, porém, tomei vitaminas. E ainda assim, anos depois, minha mãe não compreendia o porque de todo o meu tamanho, vendo a garotinha loira ser quase sempre a última da fila. Ok. Anos depois, conhecendo o passado, comecei a aceitar melhor tudo isso - minha graúdez, e toda essa ansiedade que deve ter me acompanhado desde que chorei, para então respirar. A pressa de nascer, e que me acompanha até hoje, em tudo que coloco os olhos, as mãos, ou até mesmo, os sentimentos. O feito de minhas colegas se igualarem à mim, em altura e corpo, nos últimos anos do colégio ajudou bastante, presumo. Essa é a minha parte sedenta e vivaz, que não tem marca na pele, mas que com toda certeza está impregnada na alma. Só resta saber compreender, e tudo bem - desacelero aos poucos, e atinjo por fim uma velocidade constante, mesmo contra minha vontade de correr com o tempo.
Não sei ao certo se falei cedo, mas desde que as palavras se inseriram no meu cotidiano como forma de expressão, acho que me apeguei a toda e qualquer letra, sílaba; no ar ou na boca. Escutando e falando, formei opiniões. Fortes teorias, assim pode-se dizer. E pra mim, no auge da infância, meninas tinham que usar saias, e ponto. Sendo um frio de menos cinco graus, ou o calor de quase quarenta, lá estava a garotinha loira, de vestido ou saia rodada - abominava então, calças. Nem sob tortura, ou discussões agravadas, vestia aquilo que por entre minha cabecinha confusa, e minhas bonecas Barbie, era o que masculinizava os seres do sexo feminino. Que deviam também, ter cabelos bem compridos. Usar brincos, tiaras, anéis e pulseiras. Mas tinha que ter a liberdade por entre as pernas. Começava por mim mesma, essa revolução. Além dessa pressa em viver, ainda havia espaço e disposição para ser completamente arbitrária e ter uma personalidade difícil. Coisa que cultivo até hoje. Não penso, e nem quero mudar. Como dizia a antiga música que era tema da personagem cravo e canela, nem sempre mudar é solução. Que a gente melhore, mas não perca a pontaria da essência, não maquie aquilo que nos é inerente. Um pouco mais de paciência, mas não ser considerada submissa; um amolecimento de ideias e posicionamentos, sem esquecer aquilo em que se acredita. Causar incêndios dá também prejuízos, mas e quem é que gosta de ficar chupando o dedo, e esperando acontecer pelos outros, não é mesmo? Se escutar é o que nos salva de existir, e apenas deixar pegadas na areia; esvoaçadas. Ouvir-se internamente é seguir com fidelidade intuitiva os mais insanos delírios que a alma aponta.

24 Comentários:

  1. Ok, Camila... Você me conhece, confesse! hahaha

    Menina, como pode ser tão eu esse texto?

    Vai entender!
    Adorei!

    Um beijoo!!!
    *=)

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto, Camila!Não sei se é devido a dificuldade que tenho de falar de mim, mas eu admiro tanto essa tua capacidade de te descrever tão facilmente a ponto de fazer as pessas ficarem com a impressão que já te conhecem a tanto tempo, sem ao menos ter te conhecido. Parabéns novamente! Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  3. Fico impressionada com a sua facilidade de escrever sobre os assuntos mais diversos!
    Que texto lindo, que história de vida mais gostosa de ler!

    Amei!

    Beijos flor

    ResponderExcluir
  4. Então meu nome me descreve? hahahaha
    Ótimo texto. Isso de nascer e permanecer não é bem meu forte. Mas construir e permanecer, evoluindo opiniões e conceitos, é bem a minha cara!
    beijos, flor.

    ResponderExcluir
  5. Linda descrição Flor! Não poderia ser diferente,só pode emanar de um Ser muito especial todo os textos poeticos que agente encontra aqui. Sua expontaneidade de alma não é pequena, e vive explodindo em essência e novas inspirações que me cativam a cada dia.

    Bjusss

    ResponderExcluir
  6. Minha Linda, minha vida, meu amor!
    Que texto lindo, revivi cada cena a que tu descreveu, inclusive aquela que tu em pleno inverno gaúcho, só queria ir pra creche de saia e vestido, eu era sócia das mulheres que vendiam meias calças de lã. e E continua sendo assim, frio de ranguear cusco e tu indo pra PUC de saia, meia calça e bota. è minha filha tu não mudou nada, nadinha.
    Causar incêndios é contigo mesmo, é 8 ou 800, não importa de que jeito seja, tem que ser do teu.
    Te admiro a cada dia mais, teus fãs merecem um livro teu, e vamos batalhar juntas pra isso.

    ResponderExcluir
  7. eu pensava assim como você, que nunca mudaria, que seria sempre do jeito que eu queria ou achava que devia ser.
    veio um furacão chamado amor, revirou-me e mudou minha vida, meu jeito, tudo!
    hoje sou mais feliz!
    beijos!

    ResponderExcluir
  8. ''Causar incêndios dá também prejuízos, mas e quem é que gosta de ficar chupando o dedo, e esperando acontecer pelos outros, não é mesmo?''

    Deve ser por isso que a minha vida é cheia de incêndios!
    um beijo para a flor mais linda e expivitada *.*
    texto lindo! ;*

    ResponderExcluir
  9. Adorei essa descrição. É incrível como tantas pessoas conseguem se identificar com seus textos.
    O segredo do sucesso, você tem, menina!

    Ah, amei o novo layout!!

    Beijos, flor!

    ResponderExcluir
  10. Aii Camila. Precisava mesmo de um texto seu em um dia de domingo pontuado em tédio.
    Às vezes nos dizem que somos tão diferentes. Com um gênio difícil, eternas teimosas. E nos fazem pensar que somos tão 'não' ser humando nesse mundo. Que todas as intensidades, sensibilidades e extremismos se preenche só na gente. Como em um golpe errado mas certeiro, tudo só ficou conosco. E nos cutucam tanto, quase nos deixando culpadas. Mas hoje eu vi, aqui no seu texto, que você também tem esse orgulho de ser diferente de tantos. Impulsiva nos seus desejos e com opinião própria. Sem fazer-se de coração de gelo, mostrando o que pensa, o que sente, de verdade. "... nem sempre mudar é solução. Que a gente melhore, mas não perca a pontaria da essência, não maquie aquilo que nos é inerente. Um pouco mais de paciência, mas não ser considerada submissa; um amolecimento de ideias e posicionamentos, sem esquecer aquilo em que se acredita..."
    Lindo, e mais lindo e ver a sua mamãe aqui, te dando todo amor e apoiando o seu sonho e talento. Essa mulher de punho, de opinião e delicadeza deve sim ser mostrada ao mundo.
    Um beijo menina.

    ResponderExcluir
  11. Cara...Novamente, nem sei o que dizer. Seus textos, como sempre, marcantes, decididos, incisivos. Te descobri faz pouco tempo, e como todas, me descobri em ti. Sou só apenas um pouco preguiçosa e não comentava. Ah, também achei lindo o impulso da tua mãe, e concordo com ela: tua fragrância tem que virar livro. Ah, tomei a liberdade de colocar uma parte sua no meu blog (desculpa ser folgada até quando não quero...)

    Enfim, costumo desejar: sucesso.
    Mas isso você já tem, então vou te desejar sorte, pra você e pra nós que seremos de fato sorteadas com uma obra impressa sua.

    ResponderExcluir
  12. Seus textos são simplesmente sensacionais. Principalmente porque, até quando não me identifico, consigo me envolver e chorar junto, sentir contigo. Como novelas e livros que lemos, em situações que não combinam conosco, mas nos tocam mesmo assim. Parabéns, sucesso, continue assim!

    ResponderExcluir
  13. Também sou muito ansiosa e gosto de correr a frente do tempo.Mas isso ao mesmo tempo que no faz bem como em relação a maturidade, por exemplo, também nos prejudica muito.Esse texto fala muito por mim.O negócio é sabermos caminha junto com o tempo, mas é difícil bate uma pressa e uma necessidade de acelerar.

    bj Camila!
    lindo o novo layout

    ResponderExcluir
  14. Eu acho que eu sim estou com Gabrielismo.
    hahahaha
    beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi Camila. Venho acompanhando o teu blog já faz um tempo, e foi ele que me reanimou a voltar com tudo para o mundo blogueiro, e a partir disso criei um novo blog e o estou atualizando com mais frequência.
    Fico admirada com o que você escreve. Me lembra muito o estilo da Clarice Lispector, que eu adoro. Simplesmente amo o jeito que ela escrevia, e os livros dela são muito profundos, me identifico com muita coisa. Assim acontece quando leio os teus posts. Parabéns e continue investindo muito nisso, tu tem muitas chances de te tornar uma grande escritora!
    Ah, e realmente adorei o novo layout do teu blog, ficou mais a cara daqui :D
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  16. Adorei esse texto, super cheio de personalidade, vc sabe bem q a pessoa realmente está diposta a ser feliz

    hehe

    adoro aqui!
    beijosss

    ResponderExcluir
  17. http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=106473372


    GENTE, AJUDA A DIVULGAR A COMUNIDADE QUE EU FIZ PRA CAMILA PAIER! :*
    POR FAVOOOR!

    ResponderExcluir
  18. Acabo de descobrir que não fui atoa que me batizaram com este nome!
    Ameeeeeei, flor. Como sempre - muito bom; já ta guardado aqui, junto com tantos outros
    beijos

    ResponderExcluir
  19. Também nasci com essa vontade de fazer acontecer; na verdade acredito que toda mulher nasce com isso, só que algumas não tem medo de desenvolver essa vontade...
    Pra mim viver é isso, desenvolver toda essa vontade!
    Beeijo ;*

    ResponderExcluir
  20. QUE LINDO FICOU O BLOG! sei que você tem bom gosto, ficou um encanto. combina com as suas palavras, sempre belas até em textos mais melancólicos :) não é o caso desse, que sucesso. gosto de pessoas com personalidade. também tenho desse seu amadurecimento e pressa, ficar olhando pro relógio não é pra mim, eu sempre fui de fazer e acontecer. que texto Camila, de brilhar os olhos e pintar sorrisos! adoreeeiiii! grande beijo

    ResponderExcluir
  21. Achei vc em uma das comunidades do Caio F. Vc escreve muito bem. Paranéns por sua sensibilidade. Gostei de seu espaço.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Ao ler este post, lembrei-me de que é sempre assim: pessoas que tem 'um passado regado com dor e sofrimento' acabado tendo um amadurecimento precoce. Consequentemente força pra encarar os obstáculos da vida, ainda que estes sejam as próprias mudanças que somos obrigados a dar de frente dia-a-dia.

    Parabéns Camila, excelente texto. Quando escrever teu livro não esqueça de nos comunicar, faremos questão de comprar.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  23. Guria! Você me dá medo! haha
    Como que pode? Gostar tanto do modo como você escreve? Suas palavras se parecem com mães que nos colocam no colo e nos envolvem num caloroso abraço.
    Adorei ariana apressada!

    (:

    beijos.

    ResponderExcluir