Masculinos & Infames: O Workaholic

8.24.2010 -


Aparentemente, ele é perfeito. Bonito, decente, se veste de maneira simples, mas discreta, e costuma ter bom gosto. Tem um carro ótimo, um apartamento adorável, e tudo isso, não sendo quase um museu. É bem sucedido e gosta do que faz. E se esse assunto começa, é difícil que ele tenha fim. A meu ver, tudo teve início ainda na infância do rapaz, quando os pais colocaram na sua pequena cabecinha que, ele nasceu para ser um campeão. Não importando o lugar, ou no que participasse - desde o futebol de botão, ao concurso de desenho. A sede de vitória dentro do menino apenas aumentando, até se tornar doentia: não aceitando perder, nem mesmo, par ou ímpar. Quase como uma obsessão, ele se tornou um aluno impecável, filho exemplar e um ótimo esportista, tendo os pais como chefes, empresários, e babões. Corujíssimos.
Desperdiçou boa parte da vida se aprimorando, aperfeiçoando, enquanto todos bebiam, dançavam, tomavam foras, beijavam na boca, e vivam aquilo que da idade era digno. Ele até saía para a noitada, mas mesmo em suas diversões, era metódico e ligava para o pai na saída, na hora combinada, para buscá-lo. Se pegasse o telefone de uma menina, ligava no dia seguinte. Não que ele seja mau, ao contrário: é tanta bondade, cafonice e destreza, que beirava a covardia de existir. Geralmente, teve uma namorada pela vida inteira, que ele não terminava um pouco para não perder o foco, e ter aventuras esporádicas (quando sua agenda hiperlotada avistava algum espaço em branco) e outro pouco, por pena de tamanha devoção, da menina. Mal sabe ele que, enquanto estava ele preocupado com seu ego imenso, a namoradinha estudava com o colega de classe química. E anatomia, se é que me entendem. Isso você só descobre muito mais tarde. Por enquanto, você não entende toda essa seriedade quanto ao trabalho e à vida, já que vocês tem a mesma idade. Tudo bem que você anda por aí de táxi, mora com os seus pais, e não tem um salário lá muito apresentável. É compreensível. Mas toda essa delicadeza ao cuidar do ganha pão, acordar cedo, e suar pra ser cada vez melhor, são inversamente proporcionais à atenção que ele desprende a você. Primeiro, ele tenta manter certa distância. Larga você em casa, que o dia amanhã será longo. Tem churrascos de confraternização da empresa, aniversários de família e despedidas de solteiro, às quais a sua bela excelência não comparece, porque ainda é cedo pra todas essas apresentações formais, e também, que ele gosta de fazer tudo com calma. Aliás calma, paciência, e devagar, são palavras que costumam aparecer com frequência. Diz ele que, assim, se constroem tanto relacionamentos sólidos. Que não há por que apressar tudo, e que ele quer ficar com você, mas primeiro TEM QUE vencer na vida. Se você fala mal daquela sua colega biscate e insuportável, ele destoa toda a raiva dele do companheiro de trabalho que ficou com a sua vaga naquela promoção - ao menos isso, vocês tem em comum; as lamúrias. Celular e notebook, são seus melhores amigos: inseparáveis. Então, você liga pra ele, numa sexta à noite: oien, tô aí por perto do seu apê, e tava com uma saudaaade... E escuta um monólogo sobre como amanhã cedo (sim, em pleno sábado) haverá uma apresentação do mais novo projeto que ele tem em mente. Enquanto ele fala emocionado sobre tudo que poderá ganhar, das ofertas que ele tem recebido, do quanto está feliz profissionalmente, um bocejo se abafa, e "sim", "aham", e "que bom", tornam-se o seu vocabulário. Você conta que foi promovida, e percebe na tensão impressa no ar, o descaso do moço trabalhador. De repente, uma fisgada de pena lhe toma o corpo, e invade. Você, que dava tudo para o amar, percebe que onde poderia florescer algum sentimento pela garotinha agradável e meio maluca que não tem o melhor emprego do mundo e anda de ônibus e lotação, há no lugar uma paixão que toma todo o lugar que uma pessoa poderia ocupar: aquela que não o abandona por nada, e marca presença diária e integral, na vil existência dele, a sua profissão. E enquanto ele não casar com essa tal labuta, e a perseguir com afinco e vontade, você fica de lado. Cada vez mais longe. Distante. Até que se cansa, e vai também ser feliz. Com alguém normal, que numa sexta-feira à noite, ou seja na terça-feira mesmo, cometa loucuras e vá pro trabalho com olheiras, ar cansado e um chupão no pescoço. Pra não deixar dúvidas: esse é de carne e osso, e deixou você vencer. Na vida dele, na história que ele escreve, a cada dia. Mesmo que você saía de cena mais tarde, que faça algumas folhas cheirarem a Chanel nº5.

18 Comentários:

  1. Solidão a dois, triste de aturar, seja ela pelo excesso de responsabilidades ou de irresponsabilidade. Ser segundo plano nunca é bom, seja pelo "futuro" ou pelos amigos e bebidas de sábado a noite.


    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Realmente esses ''certinhos'' demais não se permitem viver pra valer, e pior se acham auto-suficientes e sem querer ou querendo mesmo afastam suas companhias.
    Bom mesmo é quebrar as regras, sair da rotina e colocar o amor ao próximo e a si mesmo em primeiro plano na vida. Isso é viver e não se enganar.

    ResponderExcluir
  3. Adoreiii o seu texto.
    homens homens!!!!
    =D

    ResponderExcluir
  4. haaaa Camila, muito bom, bem leve, divertido. a sua cara! beijos

    ResponderExcluir
  5. Acho que vc nao me conhece (oi?), mas eu sempre leio aqui! :)
    E resolvi mandar um selinho pra voce!:)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. ah, como sempre seus textos são perfeitos! adorei esse..
    ahhh, é sertanejo sim!hehehe..
    ADORO, não passo um dia sem ouvir! hehehe.. vc mora em Porto Alegre msm?? :*

    ResponderExcluir
  7. (...)"e que ele quer ficar com você, mas primeiro TEM QUE vencer na vida".

    Meuuu Deuuus! Juroo que já ouvi isso em algum lugar! Rsrs.
    Flor do céu, vc também o conhece? kkkkkkk

    Homens. Quando não são canalhas exageradamente, são mornos demais.
    Belíssimo texto.

    ResponderExcluir
  8. Bem que dizem que ' solidão a dois é um castigo' .
    Uns tão cafa e outros tão sem graçinha, não sei o que é pior.

    ResponderExcluir
  9. É incrivel mas eu conheço esse cara, e mais do que isso eu me apaixonei por esse cara, e ainda mais, eu larguei ele, mas não é que ele decidiu voltar.

    Menina fiquei até arrepiada com esse texto.

    beijooo

    ResponderExcluir
  10. Ficar sozinha "tendo" alguém é um horror! Mas a vida é assim,nãoé? Uma hora desencanta e o coração palpita por outro...
    beijos floor:**

    ResponderExcluir
  11. Nossa,que blog lindo,que textos perfeitos..
    Você escreve muiiiito bem,parabéns.
    Estou seguindo,
    segue?
    http://viiviihmdiario.blogspot.com/
    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  12. Conheço muitos certinhos assim, e os acho uns pela saco! rs
    Enquanto eles ficam perdendo a vida deles, aproveitamos a nossa ne!

    Bom texto!

    bjos

    ResponderExcluir
  13. E são tantas 'obrigações', tantos 'tenho que', que a única real necessidade, que gera felicidade, é adiada, e adiada, e adiada...
    Difícil entender como pode ser. Como alguém consegue deixar de viver pra 'alcançar objetivos', apenas. Que se alcance os objetivos, apoiado. Mas que consiga envolver suas vidas em um mesmo eu.
    Difícil entender, mas presenciar me mostra que é possível existir.

    Um beijo! *=)

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Homens... Quem os entende? =p

    Meu, uma vez um cara disse que, se tiver suas coisas e um bom emprego, não se importa em ficar sozinho...

    O que???

    Dúvido que consiga, a gente não nasceu pra ficar apenas com coisas. A gente nasceu pra ficar com "gente"! Me entende? =)

    Muito bom o texto pra variar!

    ResponderExcluir
  16. Me vi nesse texto, a cada novo post uma surpresa, cada vez melhor, parabéns Camila.

    ResponderExcluir