Não sou mais macho que nenhum homem

7.28.2010 -



Minha unha quebra, e quero que a minha vida acabe. Bad hair day, e desejo não sair de casa. Roupas, sapatos e maquiagens, e meu ego lá em cima. O delírio que um chocolate faz por mim na TPM, nenhum homem nunca conseguiu cometer. Cozinho e passo - apenas, não lavo, pois manicure é uma vez na semana. Amo rosa, vermelho e roxo. Procuro como uma desbravadora crente, o batom que fixe a cor por mais de duas horas. Me sinto um pinto molhado na chuva, e a detesto. Converso animada e com amigas sobre cores, cortes e estilos de cabelo. Corro de baratas, lagartixas e insetos nojentos. Ver sangue me dá ânsia, se assistir à vômito, vomito junto. Tenho algumas frescuras, e não minto. Fui criada entre contos-de-fadas, princesas felizes no happy end, e amor em primeiro lugar. Aquela vida que nos ensinam de trabalho, dinheiro, família, filhos e tal. Me comovo até com comercial de dia das mães, e choro na maioria dos filmes. Não entendo absolutamente nada sobre canos, válvulas e mecânica - e não faço a menor questão. Fujo de cachorros de rua, minha festa acaba quando meu pé inicia a dor e escuto músicas melosas na fossa, e animadas quando assim me encontro. Gosto de futebol, mas me arrisco apenas em entender o esporte (sou uma negação com os pés, detesto atritos corporais e os uniformes não caem bem em nós damas, convenhamos...). Sou toda letras, literatura romântica e inspiradora. E repugno números.
Diante desse balaio de feminices, e audaciosa que sou, me arrisco a contradizer a letra famosa de Rita Lee, Pagu: não sou mais macho que nenhum homem. Entre um par de peitos, cintura fina e ancas largas, acredito que nem mesmo que quisesse, alguma masculinidade brotaria em mim. Gostaria de poder trocar eu mesma o pneu do carro, ou dirigir com perfeição; mas prefiro cozinhar o jantar, enquanto ele passa no supermercado. Adoraria conseguir abrir sozinha uma lata de palmito; porém, nada é melhor do que o sorriso dele no rosto, por se sentir útil. Não confundam, não sou fútil; amo roupas, e suas combinações, o que acredito dizer muito sobre uma pessoa, seus sentimentos e personalidade. Estou longe de ser, tampouco, machista. Apenas, acredito que a essência da mulher tem se esvaido; ficado esquecida, enquanto a independência e os salários aumentam - e a feminilidade, caindo por terra. Claro que, obtemos iguais capacidade do que as criaturas do sexo oposto. É evidente, que somos melhores, e até mesmo, mais inteligentes, sensíveis e dinâmicas. Porém, temos que operar tudo isso, e não sair do salto - no mínimo 10, de preferência.  Nada como chorar num filme, e a manga do blusão dele oferecida, para enxugar suas lágrimas infantis. Ser mulher não tem preço. Se sentir feminina, menos ainda. Yin e Yang, não se complementavam por serem tão diferentes, e um masculino, enquanto o outro, era do sexo oposto? Pelo que eu entendo, sim. Dentro de nós, reencontramos essa essência libertadora, guerreira e que quer lutar por um lugar ao Sol. Sou também assim. Vou com garras, vontade, corpo e idealização ao que é de meu interesse. Porém, sem esquecer meu gloss, sutiã e meia-calça.
E essa história de macho, sinceramente, não é pra mim. Mais másculos que eu, estão todos que entre as pernas tem algo que eu não possuo; até mesmo os homossexuais, tão viris e homens, ao confessar sua adversidade ao mundo. Dignos de coragem, são homens sim. Apenas, com escolhas que diferem da minha, da sua, ou da de ninguém. Não sou a favor de ideologia alguma, nessa pauta. Apenas, quero continuar sendo vista como mulher, moleca, boneca; princesa. E deixar a caixa de ferramentas lá em cima, no alto do armário: onde nem eu alcanço.

26 Comentários:

  1. Belo texto Camila,
    é isso mesmo, concordo que devemos buscar mais a feminilidade que anda sendo tão esquecida.

    Ótima quarta.

    Beijoss

    www.rferragut.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Hahaha. Legal. Bela descrição querida.
    Mas acho que um uniforme de futebol caberia bem em ti hahaha.
    Beijos bela.

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahaha
    adorei, Camila...
    Esse negócio de querer se igualar aos homens sendo iguais a eles é muito chato...
    Temos nossas particularidades e feminilidades.. E são elas que nos tornam mulheres....
    pelo direito de ser quem somos: sem músculos, com frescura, chocolate, tpm e maquiagem...

    amei!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, seus textos são totalmente perfeitos. Todos que eu leio encontro algo pra me identificar!
    Seu blog ja ta virando um vício pra mim, passo aqui quase que diariamentee!
    Você ajuda muitas pessoas com seus textos, e uma delas sou eu. Obrigadaa!
    beeijo ;*

    ResponderExcluir
  5. Guria, exatamente! Concordo em gênero, número e grau! Bem como tu disseste, sermos fortes e termos garra para buscar o que queremos não significa esquecer de estarmos belas! Mas eu confesso que gostaria de ser um pouco mais delicada, menos metida e curiosa. Se tivesse alguém para me ensinar sobre mecânica, eu iria aprender com a maior alegria, e ainda, se fosse preciso, me sujar de graxa! Porém lógico, que no meu salto 10! Hauehuahae. Beijos flor!!

    ResponderExcluir
  6. É a feminilidade que invade a gente. Cada uma com seu estilo próprio. É uma sorte única essa de ser mulher!

    *---*

    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Cozinho, passo e lavo. Tenho as minhas frescuras,adoro sapatos, maquiagem, pinto as unhas quase todos os dias, choro vendo filmes, novela, seriado (dependendo do meu estado, se tiver na TPM, pior). Odeio barata e todo tipo de inseto. Eca!
    Acho que toda mulher tem algo que a caracteriza, que a deixa mais feminina, mais bonita.Um batom, perfume, sapato, roupa, esmalte... Isso deve ser valorizado. A mulher não deve perder sua feminilidade, é o que nos torna mulher.
    Esse negócio de mulher-macho tá por fora!

    Guria, excelente texto! Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Camilaaaaaaaaaa...
    Ameiiii.... vou postar no meu blog tah!?!?!?!

    Beijinhooos

    ResponderExcluir
  9. Divertido, dinamico e leve.. Gostei!! Parabens!!

    http://orasbolotas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Não é só a feminilidade que está sumindo. Às vezes parece que todos os valores tradicionais que nossos pais e avôs conheciam, estão desaparecendo conforme o tempo passa. Valores que de tão tradicionais,começaram a ser questionados e martirizados. E essas questionáveis realmente, trouxeram muitas e muitas conquistas, mas também acabaram desmanchando aquilo que de tão simples, não notaram sua falta, e que hoje, acabamos sofrendo pela falta dela. A falta do cavalheirismo do homem. A falta de delicadeza, simplicidade e tenuidade da mulher. Coisas que hoje são muito difíceis de se encontrar no seu mais perfeito equilíbrio e sintonia.

    Realmente, às vezes faz muita falta a utilidade do homem em "abrir o vidro do palmito."

    Como sempre, ótimo texto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá Camila...
    Adorei o texto, mas quase não me identifiquei...

    Choro com filmes, cenas de novela, e comerciais com filha ganhando carro no dia do casamento rsrsr... Mas encaro uma barata, por nojo eu a mato... tenho mais nojo de deixa-la viva. Também fico longe das ferramentas, tenho mãos pequenas, porém, pesadas, e nenhuma paciência para esperar que abram o pote de palmito...
    Sem esquecer os saltos, a maquiagem e o cabelo. Creio que dá pra ser de tudo um pouco.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Acho que eu realmente sou mais macho que muito homem e bem diferente de quase tudo descrito acima. Mato barata, não choro em filmes, não tenho paciência pra maquiagem. Não passo, muito menos lavo ou cozinho (definitivamente não sou prendada). E olha só: até mato barata à distância, arremesso o sapato e saio correndo, splash!
    Mas todas conservam umas frescurinha que não vem das mulheres e sim das pessoas. Tenho pavor mortal de sapos, amo esmaltes e tenho um amorzinho especial com determinados filmes que assisto incansavelmente. São nossos detalhes, femininos ou não, que nos marcam sempre.

    =*

    ResponderExcluir
  14. A música é ótima, eu adoro a Rita lee..
    Enfim...
    eu sou mais macho que muito homem...
    ou melhor, eles são mais mulheres que eu...
    putz.. tem uns carinhas que arrazaaaam... Fazem até tramsplante de orgão genital..
    Mas peraê, essa dor toda, isso é ser homem!
    aguentar qualquer coisa pelo objetivo... mas mulher é que ama cirugia...
    Fiquei divida!
    :S
    putz, é melhor eu relaxar, a guerra dos sexos é demais p minha mente!
    beijos!

    ResponderExcluir
  15. "É evidente, que somos melhores, e até mesmo, mais inteligentes, sensíveis e dinâmicas" - Adooooro modéstiaaaa! Hahaha

    "Nada como chorar num filme, e a manga do blusão dele oferecida, para enxugar suas lágrimas infantis." - E deixar a manga da blusa deletoda manchada de rímel e lápis preto. ;D

    Concordo super com tudo o que dissestes. Podemos muito bem fazer tudo (ou melhor, quase tudo) que os homens fazem sem sair do salto. Mas em contra ponto é necessário não perder a feminilidade nunca. Entre uma coisa e outra também prefiro minhas frescurites de unhas, esmaltes, roupas e maquiagens. ;D
    Dá um trabalho, e sai bem caro, mas é muuuuito bom ser mulher.

    Beijo enorme Camila querida! ;**

    ResponderExcluir
  16. Hehehehe... amei seu textooo, e na msm hr ja postei no meu!!! E com certeza, os creditos tem que ser todos seu!!! Já virei fã, já estou te seguindo e sempre que possivel vou postar seus textos!!!! Claroo se vc autorizar hehehehe
    Beijinhos amoreee... td de bom pra ti tb!!!

    ResponderExcluir
  17. Tua habilidade com as palavras me encanta, a cada linha tua que eu leio me vicio mais um pouco nos teus textos. Continue assim!
    Beeijo

    ResponderExcluir
  18. Camila, Camila, como não gostar de um texto teu? quando a gente não se identifica 100%, ao menos consegue rir ou admirar quem você é. certamente, teus dedos tem o dom! beijos girl!

    ResponderExcluir
  19. Oi... adorei o post! na verdade adoro seu blog, venho acompanhando a algum tempo já e me inspira a escrever também! Concordo plenamente com o texto: "Ser mulher não tem preço. Se sentir feminina, menos ainda.
    Mas sou um pouco diferente do que descreveu, sou mulher, extremamente vaidosa sim, mas ao contrário do que muita gente pensa entendo de encanamentos, me meto a concertar aparelhos domésticos e não tenho aversão nenhuma a baratas, ratos ou lagartixas. Apenas sapo (detesto!).

    Adoro a espontaneidade com que escreve. Continuarei acompanhando seu blog. Não comento, porque nunca gosto de comentar, tenho "preguiça".


    Bjus.

    ResponderExcluir
  20. Concordo contigo no que diz respeito a feminilidade. Não sou machista ou talvez seja, mas gosto de ser tratada e agir como mulher, delicada, fragil, a pricesa. E pra falar a verdade, eu acho que os homens gostam desse estilo frágil, eles gostam de se sentir os "donos" da relação, mesmo que não sejam na maioria dos casos, mas pra eles é bom que se sintam os mais fortes e protetores (tadinhos) hahaha.

    Sou toda letras, literatura romântica e inspiradora. E repugno números.
    odooorei essa frase, me encaixei :D

    Continue nos inspirando assim, xará! Parabéns, como de costume.
    Torço pra que um dia consiga publicar textos como os que tenho acompanhado nos ultimos tempos.

    ps: receber um elogio teu é uma honra, rs.

    ResponderExcluir
  21. "e não sair do salto - no mínimo 10, de preferência." no meu caso, 12 =)
    é que sou uma baixinha complexada com altura ;D

    ResponderExcluir
  22. 'Porém, sem esquecer meu gloss, sutiã e meia-calça.' - acho que seu texto 'casa' com o meu, escrito a quatro mãos (duas masculinas, duas femininas!)

    amei, amei!

    ResponderExcluir
  23. Disse tudo. Afinal, não nascemos pra fazer papel de homem. Podemos sim fazer, e devemos quando precisarmos e não houver um homem que o faça. Mas raramente. Até porque se não, daqui a pouco tem mulher trocando o gás enquando o homem costura. Hahah


    ;)

    ResponderExcluir
  24. seu blog é muito alto astral, tudo que você escreve parece se encaixar perfeitamente na minha vida, to seguindo :D
    beeijos

    ResponderExcluir
  25. Muito bom esse texto. Imprimi e anexei no meu mural para eu nunca esquecer como é bom ser mulher *-*

    ResponderExcluir
  26. Abençoada a pessoa que criou a maquiagem, o secador, os sutiãs (no meu caso: de enchimento). rs
    Nada melhor do que ser assim, como deve ser: feminina!
    De jeito algum frágil, sensível, é diferente e natural da gente.
    Será que eu me identifico tanto com teus textos apenas pelo fato de compartilharmos os astros e o carneiro? haha Não guria, tu és inspiração, cheia de vida!

    beijos.

    ResponderExcluir