No mundo da Lua

6.30.2010 -


Cuido detalhadamente da maquiagem, pra que fique im-pe-cá-vel. Blush marrom-alaranjado, batom rosa nos lábios e rímel alongador. Vestes harmoniosas, pensadas por horas à fio. Ankle boots nos pés, e a rua como caminho notívago. Duas quadras, e ei moça: sua meia-calça está desfiada. À cem metros do salão de festas. E obrigada por avisar, mas que se dane. Presto atenção aos detalhes, e esqueço o conjunto inteiro. Cabeça nas nuvens, olhos na Lua. Distraída como sempre, é incontável o número de chaves perdidas, casacos esquecidos, bolsas em cima de mesas abandonadas. Dá pra prestar mais atenção, menina? Olha, dar, até dá. Mas quanto mais me empenho em me concentrar pra que tudo saía perfeito, e sem nenhum esquecimento, caio novamento em distrações febris e passageiras. Naquela esquina com cheiro de pizza de banana; na mancha avermelhada do meu vestido; naquela rima em verso, que grudou na cabeça e não saí. Nas partes bonitas, de um todo. O que nem sempre é distração, pode virar ação. Palavras, contextos, inspiração.
Tá me ouvindo, Camila? Sim, tô sim. Olha ali aquela placa enorme, que polui visualmente o ambiente. Tá vendo também, aquela moça que caminha apressada? Tem a bolsa igualzinha à minha, pode? Ah, eu escuto tudo o que você diz, sim. O difícil é entrar na mente, e ficar. Permanecer. Tudo vai sendo filtrado, e enfim, às vezes - e somente vezenquando - esqueço, oras. Não, não finalizei aquele texto, e muito menos o curso de inglês. Mas te contei que, me matriculei no italiano? E que, larguei o Direito pelo Jornalismo? Ah, sim. Não sei finalizar, mas adoro iniciar. O problema está em concluir algo, até o final. Mas finais são tristes, não acha? Eu acho. Dá aquela nostalgia, e a gente sente vontade de se tapar até a orelha, e tomar chá o dia inteiro, sentindo o saudosismo na alma. Latente.
Gosto de sentar num banco, e ver a vida passar. Observar os comportamentos, trajeitos pessoais de cada um, as particularidades de definem estereótipos, diferenças.Vejo aquela blusa rosa caminhando, e combino com o sapato preto, de salto. De duas pessoas diferentes, entende? E ouço aquela música, que me lembra um momento único, visto por apenas dois pares de olhos cúmplices. Me reporto ao instante, e quase vivencio tudo novamente, num golpe instantâneo de saudade. A água do chá, tá apitando! Oi? Ah, sim; não sei o que fazer na noite de hoje..Muito menos, sexta-feira, ou até mesmo sábado. Vamos decidir no dia, na hora, vai...Deixa o feeling tomar conta, a vontade apontar o rumo, o sentimento imperar. E então, tá decidido. Marcar hora, pode ser. Difícil é lembrar. Ou pior: chegar no horário. Ih, são quase quatro horas. Será que dá tempo? Desisto, não vou. Nem ligo. Acontece, não é mesmo? Sei, se eu tivesse me programado, e toda essa ladainha louca, tudo bem. Da próxima vez, prometo. É sim, pisei nessa defecação, na rua; não vi. Literalmente, que merda.
Não to muito afim de pensar no futuro não, a gente começa a pensar e nem se dá conta de que está enlouquecendo - ou então, envelhencendo. Vive agora! Ouve aquela música, curte esse momento que pode até ir, mas não volta. O que não vale é ficar parado, sonhar baixinho, e falar pouco. Ou demais. Eu falo muito, você pode estar vendo. Mas não se preocupe se eu falar demais. Comece a se preocupar quando eu calar a boca, e nada me fizer falar novamente. Ah, larga esse ofício todo e vamos pro parque. Lá a gente deita na grama, vê nuvens e divaga sobre a existência humana, os valores da sociedade, e um planeta só nosso. Mas tem que ter sapatos, chocolate, chimarrão e jornal diário. Tá ok, eu deixo ter um pouco te futebol, café e video-game. Antes disso, só vamos pensar no jantar da noite de hoje. E amanhã, em acordar cedo. E agora, vamos ao trabalho que sair disso que nem ao menos existe, dá trabalho. Pega a caneta, anota tudo o que eu disser, que exige concentração. Antes, peraí: pegou a chave de casa? Eu esqueci.

26 Comentários:

  1. Hahaha ñ tem como ñ dar espaço ao futebol e ao Play Station rs

    Adorei!

    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Tu me descreveu nesse texto.. Voar e esquecer as coisas é comigo mesmo.. Ser impulsiva também...
    Teu melhor texto (de novo).
    Escreve logo um livro e pede patrocínio para publicar.. :D
    bjok

    ResponderExcluir
  3. Tsc. Cada texto seu me faz me ver em você, notar características semelhantes entre nós duas. Isso faz com que eu me sinta ali, sendo descrita por palavras e imaginação.

    ResponderExcluir
  4. hahahahaha Adorei, adorei. Temos muitas coisas em comum. Também não consigo terminar as coisas que começo. Tá vendo? Caracteristica de DDA! HAHAHAHA Você é incrível. Beijão

    ResponderExcluir
  5. Claro que as mulheres se identificam.
    Eu apenas posso achar graça dessa personalidade.

    Isso não tira a sua maneira peculiar de escrever. Um ritmo que não dá pra parar de ler.

    ResponderExcluir
  6. vou concordar com as meninas e com o menino aqui...eu me vi nesse texto, mais uma vez! as características escritas são minhas e as que mais colocam defeitos...sou distraída, demais! e sim, não dá para parar de ler e reler...você é ótima! cansei de dizer isso, hahaha! :)

    ResponderExcluir
  7. cara, que texto mais gostoso de se leer.

    ResponderExcluir
  8. hahaha adorei o fim, que graça. me identifiquei muito sim, sou matraca, avoada, minha mente voa, percebo tudo, escrevo tudo na cabeça, esqueço depois. beijos guria, texto adorável de ler, ritmado, leve.

    ResponderExcluir
  9. O melhor de seus textos é que, além serem gostosos de se ler, ainda consigo me identificar. Me descrevem em segredo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Também vivo no mundo da lua e como sei bem o que é, garanto-lhe que nunca vi ninguém descrever tão bem esse tipo de distração que toma conta das pessoas como você acaba de descrever agora.
    Também vivo não concluindo as coisas, apesar de iniciá-las com grande empolgação e adoro decidir o que fazer na hora.Pensar no futuro me desgasta e nos é inútil, pois este é um mistério.

    Viver o agora, pois é.

    Encantador o texto Camila.

    bj!

    ResponderExcluir
  11. Autêntico e eficaz. Gosto das fotos que coloca no blog bela. Poderia ter fotos sua né? Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Sempre que leio seus textos chego ao final pensando se você está falando de mim e sem saber o que comentar aqui.
    A minha memória também é horrível, sempre esqueço de coisas assim, como a chave de casa.
    E bem, eu nunca termino nada também, larguei curso de inglês, aulas de guitarra, cursinho e mais um monte de coisa.
    Aqui é um lugar que eu tenho que passar todos os dias para ler, todos os dias.

    ResponderExcluir
  13. Tem como ser distraída com uma memória impecável??
    Pq eu sou assim! rsrs
    Mas não adianta,
    Sempre tem um pouco de cada uma de nós nos seus texto!
    Todas nos identificamos!
    E isso é perfeito!

    ResponderExcluir
  14. Dizem que a pontualidade é a virtude dos entediados! rs Vc não é nenhum pouco entediada! :}

    ps* Fui eu mesma que fiz os coletinhos do blog =D

    Bjuss

    ResponderExcluir
  15. "Comece a se preocupar quando eu calar a boca, e nada me fizer falar novamente. " adorei .

    ah, camila tem selo pra ti no blog .

    bejs :)

    ResponderExcluir
  16. Uau, uau, uau, 500 vezes uau!
    Sempre me identifiquei com teus texto, mas este superou todos: parece que foi feito sob medida;
    Adoorei, ameeei
    beijos, flor
    :**

    ResponderExcluir
  17. Me apaixonei...
    Que texto.
    O que está esperando pra excrever um livro.

    Seu blog é delícioso..

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Hahaha.
    No "abandonei o Direito...", aconteceu comigo também. Preferi Ciências Sociais. É muuuito mais a minha cara.

    Esse teu texto me pareceu.
    Distração...
    E a parte do parque:
    "vamos pro parque. Lá a gente deita na grama, vê nuvens e divaga sobre a existência humana, os valores da sociedade, e um planeta só nosso." *--*

    Lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Uauuu...
    ADOREI, muito dinâmico!
    Quero mais!(risos:D)

    Filha do Sono
    http://filhadosono.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Amei.
    Como consegues escrever tão bem?

    ResponderExcluir
  21. Só consegui ler hoje esse post, tava até me sentindo meio agoniada ontem por não ter conseguido ler.ahaha Adivinha? Adorei. Já sou tua fã, sabes dsso. Acho incrível o jeito que tu escreve. Beijão

    ResponderExcluir
  22. No mundo da lua... Também sou assim, sempre mirando o horizonte do nada. O que me lembra inclusive um programa antigo, com esse mesmo título, que passava na Tv Cultura... rsrs Rolava uma identificação!

    Mas enfim, hoje eu vim para dizer que recebi dois desses selinhos de blog e resolvi te indicar! Passa lá no Pois é pra pegar, se você curte isso


    www.poiseah.blogspot.com


    beijo

    ResponderExcluir
  23. Como diz Martha Medeiros:
    "A leitura faz eu mirar em mim e acertar no que eu nem sabia que também sentia e pensava."

    Nossa, esse texto me descreve, desde a distração até a parte em desistir de Direito e ir para Jornalismo, penso seriamente nisso.

    Parabéns , Camila!

    Como sempre textos maravilhosos! (:

    ResponderExcluir
  24. Distraída eu? Com orgulho! Assim esqueço um pouco a vida irrespirável que tenho!

    (:

    ResponderExcluir
  25. "Não to muito afim de pensar no futuro não, a gente começa a pensar e nem se dá conta de que está enlouquecendo - ou então, envelhencendo. Vive agora! Ouve aquela música, curte esse momento que pode até ir, mas não volta. O que não vale é ficar parado, sonhar baixinho, e falar pouco."

    Hahaha verdade!
    ótimo texto! =)

    ResponderExcluir
  26. Adoro quando leio tantas pessoas se identificando com o que tu escreve. Camila, isso é mágico.
    E ao mesmo tempo engraçado, como pode alguém se descrever e tantas outras se encontrar exatamente no mesmo ponto que você. Adoro esses teus textos que trazem todos aqueles sentimentos que nós mesmas não consguimos expressar.

    Esse, em específico, digo que não se parece comigo. Não na grande maioria dos meus dias. E digo isso porque eu sei o quanto estou sempre alerta a tudo, com aquele redemoinho louco dentro da cabeça que me deixa tonta com as tantas coisas que absorvo. Sou bastante observadora, sabe?

    Mas hoje, exatamente hoje, acordei assim. Exatamente assim: estilo Camila.
    Nossa, hoje só não esqueci a cabeça em casa porque enfim não dápra desgrudá-la. Hahaha

    Flor, você é ótima! Mesmo não te conhecendo (pelo menos pessoalmente, já que você se apresenta a nós todos os dias) tendo como base apenas a tua foto com a maçã na boca, ainda assim vejo claramente o quanto tudo que tu escreve deve realmente se encaixar com perfeição na personagem dessa foto.

    Uma palavra: Adoro!

    ResponderExcluir