Tudo o que eu quero.

5.24.2010 -



Quando não se tem mais nada a perder, há só o que ganhar. E a falta? Ela representa a perda. Ou seria o ganho? A ausência é coisa pra idealizadores, visionários e otimistas. Porque, as perspectivas são à longo, imenso e gritante prazo, e a falta, na ausência, só é vista e sentida muito depois, quando a pessoa ou objeto de admiração, situação ou casualidade está a milênios, metros, milhas e jardas de distância. E hoje, penso no que quero, e o que desejo se confunde com aquilo que vislumbro. Ficar na moita, só e em silêncio faz abrir a mente e o coração, e escutar batida por batida, cada neurônio dizer o que realmente almeja. Eu quero ouvir umas boas músicas anos oitenta, me imaginar nessa época inconsequente e frenetizada. Eu quero olhar a lua, dia após dia, e acompanhar suas mudanças, nuances e a sua delicadeza. Eu quero que a minha bipolaridade se amenize, que seus efeitos não sejam tão radicais, e cortantes. Eu quero a minha insônia livre, distante, e repassada à frente! Eu quero casar de véu, grinalda e vestido branco, numa igreja pequenininha, mesmo que não agora. Eu quero que a falta de humildade das pessoas que ostentam o luxo e a riqueza dê um tapa de luva de pelica, na cara dos próprios. Eu quero uma massagem nos pés, e massager as mãos, costas e pescoço de alguém, só para emilinar de vez toda essa minha força e raiva, essa repressão sentimental que acometo comigo mesma. Eu quero ver o mar e sentir a areia, deixar o sol penetrar na minha pele, e bronzear. Eu quero um mate amargo e sólido, desses que só gaudérios de primeira estância tomam ser fazer cara feia. Eu quero a sincronicidade dos relacionamentos, umas pistas do destino e ver tudo às claras, tudo às boas. Eu quero me manter no papel de mulher independente, que dirige seu próprio carro, cuida da sua casa própria e não esquece da vaidade e de si mesma. Eu quero a cura da minha instabilidade emocional, e descer às vezes, quando necessário dessa minha montanha russa que intitulo, vida. Eu quero ao meu lado as pessoas que exalem a exentricidade, gente louca, pessoal estranho que eu possa me aprofundar, crescer e rir numa boa. Eu quero agora, ou nunca mais. Now or never. Oito ou oitenta. Eu quero o brasil repovoado por indivíduos de bem e paz, de caráter e personalidade, que se preocupem com cultura e não em se enriquecer, de tal maneira. Eu quero um homem de terno, nós em sua gravata pela manhã (desfeitos, feitos ou refeitos) e um beijo na bochecha como quem diz "tenha um bom dia".  Eu quero que o meu anjo, minha mãe, continue me guiando e mesmo atrapalhada, não me abandone nunca, nunca, nunquinha.
Eu quero demonstrar interesse sincero, quando possível e não desse meu jeito intenso e reacionário. Eu quero tudo por completo; nada de restos, ou pedacinhos, migalhas. Eu quero a fé. Eu quero um pequeno apartamento, e viajar pelo mundo! Eu quero a sensibilidade dos corações partidos, e transpor tudo isso pro papel. Eu quero ohana, quero família, famiglia. Quero nunca mais abandonar, nem esquecer. Eu quero livros, seus sebos, mofos, traças e complexidades. Eu quero o charme, o encanto e a sedução; tudo isso é essencial. Eu quero declarações inesperadas, totalmente irrompidas de preceitos e vergonhas, na cara e na coragem. Eu quero observar, e não falar nada. Porque não é preciso. Eu quero a simplicidade (pra que muito?). Eu quero a auto-suficiência em amizades, cansada de pisar no pão que o diabo amassou em prol de gente egoísta e parasitas. Eu quero acordar meio Wally - hoje, certamente será impossível me encontrar. Eu quero que as minhas atitudes independam da de qualquer pessoa, para que tudo que faça, sinta e veja sejam verdadeiramente eu. Eu quero que não te preocupes, porque embora o mundo esteja assim às avessas e sucumbido de modernidade, tudo ainda é natural. Dizia Caio, se for pra gente se encontrar, a gente se encontra. Aqui ou na China.

15 Comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida, o melhor que li até agora.. muuuuuuito bom Camila, muito booooom ♥

    ResponderExcluir
  3. O que tiver que ser, será!
    Estou neste momento, ainda não sei se a falta que eu sinto é sofrimento ou uma dádiva, uma perda ou um ganho... Se bem que algumas vezes é preciso perder pra ganhar.
    Amei linda.

    ResponderExcluir
  4. Eu qru q a Camila continue assim...
    Descrevendo suas emoções, q por muitas vezes são tb as nossas, e quando não são, se tornam!
    Parabéns menina...

    ResponderExcluir
  5. Eu adorei esse texto. Música dos anos 80, excentricidade. Adoro a frase: 8 ou 80. É isso mesmo. E tenho certeza que todos teus sonhos virarão realidade. Beijocas linda gaúcha *__*

    ResponderExcluir
  6. http://eraumavezaluh.blogspot.com/p/selos.html
    flor teus selos, veja se consegue agora. depois eu volto pra ler o testo. beijos!

    ResponderExcluir
  7. Quanto querer bom.Anos 80,livros,boas músicas,ser mulher independente,casamento de véu e grinalda,pessoas excêntricas...
    Querer pra pessoas de conteúdo como você é poder.
    Linda,linda e intensa como sempre nos textos.

    Bj!

    p.s: Adorei a citação de Caio no finalzinho.

    ResponderExcluir
  8. Eu quero.. Eu quero.. Eu quero... Querer é o começo e faz parte do conseguir. Desejo que você consiga tudo e sei de uma coisa que tu consegues e consegues muito bem, escrever lindamente e fazer com que os leitores sintam suas próprias emoções descritas.

    ResponderExcluir
  9. Lindo seu blog, to te seguindo :D

    ResponderExcluir
  10. Encontrei muito sentimento logo cedo ao vir aqui no seu blog.
    Muito do que você quer eu também quero e é tanta coisa, ao mesmo tempo tão simples e difícil de encontrar ... gostei da citação de Lilo e Stitch sobre família e sinto o mesmo sobre minha mãe. Especialmente sinto a necessidade de que minhas ações não seja reflexo de outros senão de mim mesma.

    ResponderExcluir
  11. Aahhh adorei.
    Afinal quem não é movido pelos sonhos?
    Quem não faz planos antes de dormir mesmo que alguns deles sejam grandes demais pra nossa pequena imaginação.
    Lindo texto.
    Cheio de esperança e perspectiva.
    Parabéns ;)

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Camila, nem sabia que tu tinha o dom da escrita (:
    adoro vir aqui ler esses textos maravilhosos, que por vezes são tão próximos ao que eu sinto...
    tu é como eu, intensa, extremista, apaixonada. eu gosto disso (:
    tá lindo esse teu blog! beijo

    ResponderExcluir
  14. Lembro de ter lido esse texto,mas olha só que eu nem comentei que feio! hahaha
    Mas acho que agora ele me tocou de uma forma mais intensa! Lendo ele agora eu senti a beleza dele, e tantas coisas que também quero agora,que penso tanto e estão aqui no texto!
    Parabéns sempre pelo teu talento que me faz vir aqui em textos antigos e ter o prazer de comentar!

    ResponderExcluir