Infinitas possibilidades.

5.17.2010 -




Numa dessas minhas insônias, que há dias tem voltado-sumido-reaparecido, observei a imensidão da Lua, na minha janela que tremula a cada caminhão pesado, ou som com mais de oitenta decibéis. Tão sozinha, brilhante e gritante. Branca, em suas esferas, rodeando o Sol sem culpa, sem remorso algum. Vivendo em torno do outro, esquecendo o próprio umbigo, suas necessidades vitais. Quanta compaixão! Uma xícara de chá de morango mais tarde, e Florbela Espanca decodificada, uma sensibilidade sem igual. Queria ir pra praia, pensei. A combinação lunar e aquática, tão mais bonita do que essa urbanidade toda, que a solidão parece ainda maior. Soa muito mais agudo. De nada adianta essa sincronicidade inocente falhada. Malhada. Em ruínas, sob escombros e destroços, me surpreendo com a própria força e maturidade que já adquiri. E mais surpresa ainda, com as recentes e recorrentes, possibilidade. Mil.
Não nomeio o que sinto. Nem ao menos, o que vivo. Apenas, estou feliz, estou indo. Na minha independência maior de idade, no meu detalhismo insistente, continuo a mesma. E afinal, nem foi tão ruim assim. A gente fica triste, mas no outro dia, tem de ser lembrado do que aconteceu. Aquela coisa, sofrer tudo na hora, fazer todas as perguntas, e então, vá passear. Eu continuo apaixonada por sapatos, e pensando que o Brasil podia ser repovoado por gente decente. Ainda sou louca pela minha mãe, e por cintura alta. A mesma, de sempre. Talvez por isso os navios não tenham sido queimados, as rotas ainda estejam latentes, e o sinal verde, aberto. Velhos conhecidos, mundos já descobertos, desnudos. E não é bem o que a gente quer, mas a gente aceita. Não tapa totalmente o buraco, mas conforta por algum tempo, dá uma massageada no ego. Por mais que necessite tempo, pra me achar, pra tudo clarear, são as possibilidades, os acasos que tem seduzido e se insinuado, dançado loucamente sob a minha sacada e na minha alma. Caminhos pro futuro, expectativas de vida longa, intuição boa de que no próximo script, a resolução desse quebra-cabeça todo é certeira.
Saida por cima, bagunça inexplorada, vejo as roupas no chão, e cinco, seis livros na cabeceira. Olha em baixo da cama, os sapatos estão no lugar. Alívio...Coberta até a orelha, o frio ainda intensificando, fecho os olhos e penso: tudo miscelânea, tudo no lugar. Contraditório, real. Tudo certo, tudo inerte, tudo perto. Montada na produção, sigo o baile, a estrada é longa! Aqui não tem fila que anda, mas opção que ocorre. Não corre; caminha, lenta e bonita, rumo à certeza de vida. Amém!

22 Comentários:

  1. que lindo... como consegue escrever tão bem, hehehe

    ResponderExcluir
  2. Sua fã aqui acaba de suspirar em pensar que alguém se sente exatamente como ela! A fila nao anda, mas têm tantas possibilidades pela frente! Amo saber disso, o acaso nos reserva sempre o melhor.

    ResponderExcluir
  3. É floor, só nós mulheres de alma serelepe pra girar na maior montanha russa sentimental do mundo, e ainda sair inteira e sorrindo.
    Uma noite de insônia, uma noite de festa.

    Liindo o texto.

    beijiinhos.

    ResponderExcluir
  4. seu blog é muito bom!
    vou te seguir!
    segue-me também.
    http://ncavalcante.blogspot.com/

    beijos!

    ResponderExcluir
  5. Tem um selinho pra vc lá no blog

    ResponderExcluir
  6. Depois de um texto desses, você tem que ganhar todos os concursos que entrar..



    Beeeeeiiijo.

    ResponderExcluir
  7. ''Apenas, estou feliz, estou indo. Na minha independência maior de idade, no meu detalhismo insistente, continuo a mesma.''
    Me identifiquei com tudo ,inclusive essa parte.Gosto muito de ver como me identifico com seus textos :)

    ResponderExcluir
  8. Ai a lua, tão linda e sempre nos faz pensar!
    Belo post, flor!
    ah, tem um mais um selo para ti lá no blog
    beijos, querida

    ResponderExcluir
  9. A combinação lunar e aquática, tão mais bonita do que essa urbanidade toda, que a solidão parece ainda maior. Soa muito mais agudo.


    Realmente meu amor, realmente.

    ResponderExcluir
  10. Aqui não tem fila que anda, mas opção que ocorre. Não corre; caminha, lenta e bonita, rumo à certeza de vida.

    ResponderExcluir
  11. Caminhos pro futuro, expectativas de vida longa, intuição boa de que no próximo script, a resolução desse quebra-cabeça todo é certeira.

    ResponderExcluir
  12. Eu continuo apaixonada por sapatos, e pensando que o Brasil podia ser repovoado por gente decente. Ainda sou louca pela minha mãe, e por cintura alta. A mesma, de sempre. Talvez por isso os navios não tenham sido queimados, as rotas ainda estejam latentes, e o sinal verde, aberto.

    eu também sou apaixonada por ti amore eese amor é verdadeiro e recíproco a gente sabe, não tem igual.

    ResponderExcluir
  13. se eu já disse que seu blog é muito bom, é verdade e repito. no fim acho que a gente não muda, quem sabe só agrega, aprende, ganha calos e cicatrizes. e os buracos realmente são preenchidos, nem sempre por coisas boas, mas a vida realmente nos cerca de opções corridas, só temos de vê-las. você sempre usa um bom vocabulário, linguagem culta, adoro isso. beijos, ficou bom bom bonzão!

    ResponderExcluir
  14. Adorei o texto! :DDD
    Não nega que é gúcha né! uehaea.
    Boa semana! Se puder passa no Sutilmente ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Aqui não tem fila que anda, mas opção que ocorre. Não corre; caminha, lenta e bonita, rumo à certeza de vida. Amém!

    adorei isso,parabéns pelos seus textos *-*
    :*

    ResponderExcluir
  16. pois é .. aquele texto foi realmente ótimo .. adorei esse seu .. realmente bom! .. aliás 'todos' os seus textos são ótimos .. obrigada por andar lendo meu blog .. beijos guria! ")

    ResponderExcluir
  17. Calmilindíssimaaaaaaaaaaaaaa! Tem selinho pra vc lá no Manual das Encalhadas> http://manualdasencalhadas.com.br/blog/archives/276

    Dá uma passada lá e aproveita e comenta! haha

    #MovimentoComenteMais já! rs

    Beijooos

    ResponderExcluir
  18. amém amém.
    e amem.
    é bom descobrir que tudo está no seu lugar.
    que a gente ainda tem vida. muita vida. é bom.

    ResponderExcluir
  19. Poxa,muito bo m o seu blog! Tntei fazer um,mas nao tive tempo de publicaralo descente nele...heh!
    Paabéns,vc é uma garota genial! Sucesso! Bjos

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Observar a lua da janela do quarto é abrir o mundo para mil e um pensamentos. Pensar na vida, no jeito que vivemos ela e nas coisas que nos acontecem todos os dias. Que mesmo que algumas coisas não sejam agradáveis, somos obrigados a lembrar delas, pois delas nós amadurecemos e então podemos caminhar à certeza de vida.
    Não preciso dizer que encontro-me fascinada a cada leitura de suas palavras, certo? Um beijo para você, linda. E continue escrevendo dessa maneira encantadora.

    ResponderExcluir
  22. A caminhada é lenta, mas nunca para! O negócio é seguir em frente, sempre, parar só pra respirar e avaliar... Beijoooooos

    ResponderExcluir